Modos de produção

Modos de produção

Os sociólogos definem economia como a instituição social que organiza a produção, distribuição e consumo dos bens e serviços de uma sociedade.

Três são os setores em que se dividem as atividades econômicas: primário, secundário e terciário. O setor primário é o que explora e utiliza matérias-primas diretamente do ambiente natural. É constituído por atividades rurais: pesca, silvicultura e mineração. O setor secundário da economia é o que transforma matérias-primas em produtos acabados: trata-se essencialmente do setor industrial. O setor terciário é o da prestação de serviços: comércio, serviço público, escolas, energia, comunicações, saúde, esportes, lazer, etc.

As sociedades diferem em vários aspectos, mas todas precisam produzir, distribuir e consumir bens e serviços. Como isso ocorre depende de quais setores da economia são os mais importantes. Isso depende muito do nível de desenvolvimento da sociedade. Geralmente, quanto menos desenvolvida é a economia de uma sociedade, mais importante é o seu setor primário. Por outro lado, quanto mais desenvolvida for a sociedade, mais importante será o seu setor terciário. À medida que as sociedades se desenvolveram economicamente ao longo dos séculos, o setor primário se tornou menos importante e o terciário, maior e mais relevante.

Capitalismo e Socialismo

Os dois sistemas econômicos predominantes de hoje são o capitalismo e o socialismo. Em uma extremidade, há sociedades caracterizadas pelo mercado livre (capitalismo). Na outra extremidade, há sociedades cujas economias são completamente regulamentadas pelo governo (socialismo). Entre essas duas extremidades, há modelos econômicos que são uma mistura desses dois sistemas.

A maioria das sociedades mistura elementos tanto do capitalismo como do socialismo. Cada sociedade faz isso de forma diferente. Algumas sociedades tendem ao capitalismo e outras, ao socialismo. Dois exemplos de sistemas que combinam elementos tanto do capitalismo como do socialismo são a Social Democracia e o Capitalismo de Estado.

Os Estados Unidos são considerados um dos países mais capitalistas do mundo. Quase todas as empresas do país são privadas. Contudo, as indústrias norte-americanas são reguladas pelo governo. Por um lado, muitos empresários norte-americanos gostariam que houvesse menos regulação governamental. Por outro, os críticos do sistema puramente capitalista apoiam a ideia de que haja mais regulação por parte do governo. Tal questão – se o governo deve ou não regular as indústrias nos Estados Unidos – se tornou ainda mais polêmica após o colapso de bancos e de outras instituições financeiras norte-americanas em 2008. O fracasso dessas instituições levou à crise financeira global – a pior crise desde a Grande Depressão. Antes da crise de 2008, os bancos norte-americanos eram desregulamentados. A falta de regulação levou à especulação excessiva. Isso resultou no enfraqueceu do sistema financeiro norte-americano e global.

O Capitalismo

O Capitalismo é um sistema em que os recursos e os meios de produção (terra, ferramentas, tecnologia, etc.) são propriedade privada e os indivíduos são incentivados a buscar o lucro. No sistema capitalista, o sucesso ou o fracasso de um empreendimento é determinado pela livre concorrência sem que haja interferência por parte do governo.

O capitalismo laissez-faire representa uma forma pura de capitalismo que não é mais praticada por nenhum país. Alguns economistas acreditavam que o governo não deveria intervir de forma alguma nos negócios. Tal posição fundamenta-se na teoria do laissez-faire, que, em francês, significa “deixai fazer”. Essa teoria foi elaborada por Adam Smith, considerado do pai da Economia. De acordo com Adam Smith, a competição – que caracteriza o capitalismo – deveria operar por conta própria, sem que houvesse intervenção ou controle governamental. Hoje, os governos regulamentam as empresas e as indústrias, em maior ou menor grau: determinam medidas de segurança, regulamentam a poluição, estabelecem salários mínimos e direitos trabalhistas, etc.

A ideologia que caracteriza o capitalismo de hoje está fundamentada no conceito de que a competição entre empresas é benéfica para os consumidores. À medida que os indivíduos buscam maximizar seus lucros, toda a sociedade se beneficia. Bens são produzidos e serviços são prestados: as pessoas pagam pelo que necessitam e desejam e, consequentemente, a economia e a sociedade prosperaram. Para prevalecer sobre a competição – para sobreviver e prosperar –, as empresas precisam vender produtos melhores a preços menores do que seus concorrentes. Isso beneficia os consumidores. Em tal sistema, o mercado – o que as pessoas compram e as leis de oferta e demanda – determinam o que e quanto as empresas produzem. Ao mesmo tempo, o trabalhador é motivado a trabalhar mais para poder adquirir os produtos e serviços que deseja.

O Socialismo

O socialismo é um sistema em que os recursos e os meios de produção são propriedade coletiva (geralmente pertencem ao governo) e o direito à propriedade privada é limitado. Além disso, o bem da sociedade tem prioridade sobre o do indivíduo, e o governo controla a economia. O socialismo é definido pela centralização da economia, pela produção sem fins lucrativos e pela estatização da produção e distribuição de bens e serviços. Em um sistema capitalista, o governo pouco interfere na economia. Já em um sistema socialista, o governo a controla. A China é exemplo de países socialistas: o governo chinês possui e controle quase todos os recursos naturais do país.

A prioridade do socialismo não é a busca pelo lucro, e sim, o bem coletivo. Isto é, as necessidades da sociedade são consideradas mais importantes do que as dos indivíduos. Dessa forma, os indivíduos não competem entre si para obter lucro. Em vez disso, trabalham em conjunto pelo bem de todos.

A ideologia do socialismo rejeita a do capitalismo. Em um sistema econômico socialista, é o estado que determina quais produtos são produzidos e a que preço devem ser vendidos. O socialismo elimina a competição e o lucro e objetiva a igualdade social – visando a fornecer às pessoas o que elas precisam.

É importante ressaltar que assim como nenhuma nação nunca aderiu ao capitalismo puro, também nunca houve um país que aderiu ao socialismo puro. Socialismo puro é um sistema em que todos os trabalhadores ganham exatamente o mesmo salário. Na realidade, os países socialistas pagam salários mais altos para administradores e para certos profissionais, como os médicos. Contudo, devido ao fato de o estado empregar praticamente todos os membros da sociedade – e determinar os salários – as disparidades salarias são muito menores do que em países capitalistas.

Sumário

- O Capitalismo
- O Socialismo
i. A Teoria Econômica de Marx
- Capitalismo vs. socialismo
- Socialismo Democrático
- Capitalismo de Estado
- As Corporações
Assine login Questões a responder image Questões para o Enem image