Educação

Educação

Escola - educação

Educação é uma das mais importantes instituições sociais. O termo educação geralmente se refere a uma instituição social responsável por promover conhecimento, habilidades, valores e normas. Toda sociedade precisa preparar seus jovens para a vida adulta e ensiná-los valores. Educar significa transmitir conhecimento formal – ensinar o aluno a ler, a escrever, a fazer cálculos matemáticos –, mas também significa ensinar valores, moral e ética.

A Educação prepara os jovens para adentrar a sociedade. É, portanto, um importante agente de socialização. A Educação promove a integração social. Nas escolas, os alunos aprendem sobre a cultura de outros alunos.

Educação é de importância fundamental para todos os seres humanos. É fundamental para o bem estar social e econômico de todo país.

Educação formal e informal

Educar não significa apenas ensinar o que consta nos livros. Significa também ensinar sobre os assuntos de importância fundamental para a sociedade: cultura, Ética e Moral, o sistema político, crenças religiosas, etc.

Educação Formal é o que alunos aprendem na escola: Português, Matemática, Ciências, História, etc.

Educação Informal ocorre tanto dentro como fora da escola. A maioria das crianças e jovens recebe educação informal em casa. Seus pais as ensinam valores morais e éticos, crenças religiosas e normas de conduta. Na escola também se ensina educação informal: a importância de respeitar os outros, seguir ordens, respeitar pais, professores e figuras de autoridade.

Teorias sobre a Educação

No estudo da Sociologia, as três principais perspectivas sobre a educação são a teoria funcionalista, a teoria do conflito e a teoria da interação simbólica.

Teoria Funcionalista

A teoria funcionalista aborda as funções que a educação exerce para satisfazer as várias necessidades da sociedade. Essa teoria afirma que a educação desempenha várias funções para a sociedade: socialização, integração social, colocação social, capacitação profissional e inovação social e cultural. A educação é também responsável por assistência infantil e pelo estabelecimento de laços de amizade entre jovens.

De acordo com a teoria funcionalista, a mais importante função da sociedade é a socialização. A educação é o principal meio para que as crianças aprendam as normas e os valores da sociedade e as habilidades necessárias. De acordo com Émile Durkheim, o fundador da teoria funcionalista, o papel da educação é o de incentivar a socialização. Para ele, “a educação é umas socialização da jovem geração pela geração adulta”.  Durkheim ensinou que o compartilhamento de uma série de crenças e de valores ajuda a forma uma estrutura social mais coesa ao agregar pessoas de origens diferentes. A educação, portanto, prepara as crianças para a vida em sociedade e as ajuda a desempenhar um papel positivo nela após se formarem do colégio.

De acordo com Durkheim, as escolas são um dos mais importantes agentes de socialização. Na escola, colegas e professores exercem muita influência sobre a socialização das crianças e fazem com que elas ajam conforme seus valores e normas.

A educação também fornece preparo profissional. Séculos atrás, antes da industrialização, a maioria das profissões era passada de pai para filho. Hoje, vivemos em um mundo industrializado e globalizado. A maioria dos empregos requer que o aluno complete tanto o Ensino Fundamental como o Ensino Médio. Muitos empregos exigem um diploma de faculdade.  

Outra importante função da educação é o controle social: tentar prevenir o comportamento desviante. Obrigar os jovens a ir à escola significa evitar que fiquem na rua, causando problemas.

Teoria do Conflito – A desigualdade da educação

A Teoria do Conflito afirma que o objetivo da educação é o de manter a desigualdade social e preservar o poder das pessoas que controlam a sociedade.

A Teoria do Conflito alega que o sistema de educação é distribuído de forma desigual pela sociedade. Isto é, é utilizado para segregar certos grupos. As grandes diferenças entre escolas e colégios, quanto aos recursos que possuem e o nível de educação que podem oferecer, refletem-se no grau de preparo de seus alunos. Escolas cujos alunos pertencem à classe alta costumam ter mais recursos financeiros e, consequentemente, oferecem educação de alto nível. Isso perpetua a desigualdade social, pois os alunos das melhores escolas costumam estudar nas melhores faculdades e ter sucesso profissional e financeiro.

De fato, o nível das escolas varia muito. Isso vale não apenas para as escolas particulares. Escolas públicas localizadas em cidades mais ricas costumam ser melhores que as de cidades e bairros pobres. Isso se reflete no nível de ensino.
As escolas particulares costumam ser melhores que as públicas, pois contam com mais recursos financeiros. Pagam melhor os professores e, portanto, conseguem atrair os melhores. As salas de aula têm relativamente poucos alunos e instalações modernas, inclusive laboratórios, bibliotecas, salas de computadores, etc.

Isso significa que a situação financeira de uma família tem grande impacto sobre a educação de seus filhos. E já que uma boa educação geralmente significa um futuro econômico mais promissor – pois os alunos das melhores escolas geralmente cursam uma faculdade e, posteriormente, conseguem empregos e oportunidades de trabalho –, cria-se um ciclo virtuoso para os ricos e um ciclo vicioso para os pobres. Estes, por falta de recursos financeiros, são obrigados a mandar seus filhos para escolas cujo nível não é tão bom e que não preparam seus filhos para conseguir entrar em uma boa faculdade. Isso limita as oportunidades profissionais desses jovens. O sistema educacional é, portanto, um mecanismo que produz e reproduz a desigualdade na sociedade.

Além da diferença de nível entre escolas, está comprovado que alunos cujos pais fazem parte das classes alta e média geralmente têm um desempenho na escola que é melhor do que alunos cujos pais pertencem às classes mais baixas. Há vários motivos para isso. Filhos de pais das classes altas e média contam com melhores condições de vida, professores particulares, livros didáticos novos e atualizados, etc.

Os proponentes da teoria do conflito alegam que a educação inclui um “currículo oculto” – uma série de valores e crenças que apoiam o status quo, inclusive a existente hierarquia social.

Teoria da Interação Simbólica

A teoria da interação simbólica enfatiza a interação social que ocorre no colégio – na sala de aula, na área recreio e em outros lugares – e seus resultados. As pesquisas indicam que a interação social que ocorre no colégio ajuda a fortalecer os papéis e os estereótipos de gênero.

Há enormes diferenças entre o desempenho educacional dos diferentes grupos que constituem a sociedade. Por exemplo, meninas têm desempenho melhor do que meninos na escola. Um dos motivos disso é que as meninas, em geral, se orgulham de seu sucesso acadêmico. Já os meninos podem se comportar mal ou não estudar porque buscam a admiração não de seus professores, mas de seus colegas, muitos dos quais menosprezam os estudos.

Há também, inegavelmente, um fator cultural. A maioria das famílias asiáticas exige de seus filhos um desempenho acadêmico excepcional. A cultura asiática valoriza o esforço. Muitas famílias brasileiras, por outro lado, não esperam que seus filhos estudem muito: esperam apenas que eles passem de ano. 

Os estudos demonstram que as expectativas do professor quanto ao potencial intelectual de seus alunos influenciam quanto estes aprendem. É interessante ressaltar que os alunos costumam confirmar as expectativas de seus professores. Muitos alunos se comportam da forma como seus professores esperam que se comportem. Se o professor espera que seus alunos se comportem bem, eles provavelmente se comportarão bem. Por outro lado, se um jovem for rotulado como um “mau aluno”, poderá desistir de tentar mudar a percepção que seu professor tem dele. O rótulo por si só pode fazer com que um aluno desista de tentar ser um bom aluno: ele pode se revoltar contra seus professores, desistir de estudar e se comportar mal na sala de aula.

As expectativas do professor em relação aos seus alunos podem ser influenciadas por fatores como etnia e classe social.

Sumário

- Educação
- Educação formal e informal
- Teorias sobre a Educação
i. Teoria Funcionalista
ii. Teoria do Conflito
iii. Teoria da Interação Simbólica
- Perspectiva Global sobre a Educação
- Educação Universitária
- Ação afirmativa
- A Educação no Brasil
Assine login Questões a responder image Questões para o Enem image