Conceitos de Geografia

Conceitos de Geografia

A Geografia é a ciência que estuda o espaço físico e suas relações com as sociedades. Ela precisa tanto das ciências naturais - a Geologia (que estuda os solos), a Oceanografia, a Climatologia e a Ecologia (que descreve o meio ambiente) - como das Ciências Sociais - Economia, Sociologia (o estudo das comunidades), a Política (que busca entender o poder) e a História.

A Geografia é dividida em:

Geografia Astronômica, que descreve os astros do espaço cósmico e a posição da Terra;

Geografia Física, que analisa o relevo (geomorfologia), a hidrografia (oceanos, mares, lagos e rios) e também os climas do espaço terrestre (climatologia) e a biogeografia (que estuda a vida no planeta Terra , dividida em Zoogeografia - que descreve os animais que fazem parte da paisagem - e Fitogeografia, interessada em estudar a vegetação).

Geografia Econômica, que tem por objetivo estudar como o homem produz bens para seu consumo;

Geografia Social, que quer entender como a humanidade vive no espaço físico, tanto no campo quanto na cidade;

Geopolítica, que quer estabelecer as relações entre o espaço físico e o poder político;

Geografia Regional, que divide o espaço terrestre em partes, interessada em compreender as ligações entre a natureza, a sociedade e a produção econômica de uma região.


Esta paisagem, onde não se percebe a presença humana, é estudada pela Geografia Física


Paisagem alterada pela ação humana

A HISTÓRIA DA GEOGRAFIA

A Geografia nasceu no século XIX. As nações mais importantes do mundo precisavam de uma ciência que explicasse a sua posição no mundo e permitisse sua expansão por todo o planeta. Necessitavam de uma descrição precisa da Terra. A Geografia surgiu como uma ciência militar, pois para conquistar um terreno é preciso conhecê-lo.  O primeiro passo para o desenvolvimento da Geografia foi a expansão europeia pelo mundo, iniciada no século XV e conhecida como as "Grandes Navegações", que permitiram uma visão mais clara da Terra.

A Geografia nasceu, principalmente, em dois países: na Alemanha, que politicamente dividida até o século XIX e desejando sua unificação nacional, precisava de uma ciência que justificasse esse projeto; e na França que, interessada em conquistar a Ásia e a África, necessitava de uma disciplina que descrevesse essas regiões. Os alemães acreditavam que o espaço físico determinava os comportamentos sociais: as ações políticas de uma nação se explicam pela sua ação geográfica ("Escola Determinista"); os franceses acreditavam que o homem, sendo livre, pode alterar as condições do espaço físico ("Escola Possibilista").

LEMBRE-SE:

A Geografia é a ciência que estuda a paisagem, isto é, as coisas que existem e podem ser vistas tanto no espaço cósmico - "céu" - como no planeta Terra.

AS PRIMEIRAS ESCOLAS GEOGRÁFICAS

A Escola Geográfica Determinista Alemã defendia a tese de que o homem é determinado pela natureza.

ALEXANDER VON HUMBOLDT (1769 -1859) - formulou uma filosofia da natureza baseada na Geografia experimental. Seu método era a pesquisa empírica racional, isto é, a observação do meio ambiente era o fundamento de sua pesquisa. Na sua opinião, o geógrafo deveria levar adiante uma observação racional e sistemática da natureza como forma de explicação dos fenômenos, suas causas, consequências e conexões. Foi ele o criador da Biogeografia.

KARL RITTER (1779 - 1859) - aplicando os princípios de Humboldt, criou a Geografia Humana. Segundo sua opinião, o papel do geógrafo era compreender as relações entre o homem e o meio ambiente.

Friederich Ratzel (1844 - 1904) - influenciado pela teoria da evolução de Charles Darwin (1809 - 1882) e pelo ambientalismo ecológico de Haeckel, Ratzel elaborou o conceito de que a Geografia deveria explicar a influência do meio ambiente sobre a formação das ideias e das comunidades. Acreditava que o homem era determinado pelas forças da natureza, criando espaços onde se organizavam as sociedades e os Estados. O homem, assim, era determinado pelo meio; o Estado e as comunidades também o seriam. Dessa maneira, chegou à conclusão de que o espaço geográfico é fundamental para a criação e a permanência do Estado. Sua teoria acabaria sendo um dos mais importantes fundamentos ideológicos da expansão neocolonialista da fase imperialista do capitalismo.

Em oposição à Escola Determinista Alemã, a França desenvolveu a Escola Possibilista, que defendia o conceito de que o ser humano, dotado de razão, pode transformar o meio ambiente. Portanto, o homem não é um ser passivo em relação à natureza, mas ativo, adaptando-se às condições naturais e podendo modificá-las pela tecnologia. Os partidários dessa escola acreditam que o homem, um ser agente, escolhe, dentre as múltiplas possibilidades que a natureza lhe oferece, aquelas que melhor se adaptam às suas necessidades.

VIDAL DE LA BLACHE - professor da Universidade de Sorbonne, em Paris, afirmava que o espaço geográfico "não tem fatalismos, mas apenas possibilidades". Seu método empírico era baseado na coleta de dados, sistema criado pela Geografia alemã, mas sua teoria do conhecimento geográfico fundamentou-se nas ideias positivistas do sociólogo Émile Durkheim, que defendia a ideia da sociedade como um todo orgânico, formado por partes que interagem de maneira harmônica e estável.

Para estudar Geografia, o aluno deve responder às seguintes questões:

- Saber localizar, medir e quantificar os fatos geográficos.

- Conhecer as causas e as consequências dos fenômenos geográficos.

- Estabelecer as relações entre os diversos fenômenos geográficos.

- Estabelecer as relações entre os fenômenos geográficos aprendidos e os que já são do seu conhecimento.

- Conhecer os antecedentes históricos dos fenômenos geográficos e projetar suas tendências futuras.

Sumário

- A História da Geografia
- As Primeiras Escolas Geográficas
Assine login Questões a responder image