Relevo - Agentes formadores do relevo

Relevo - Agentes formadores do relevo

O solo representa a camada superficial da crosta terrestre, na qual nós vivemos e onde se acham fixados os vegetais. Essa camada constitui o relevo ou modelado terrestre.

O relevo compreende também uma parte situada abaixo do nível do mar, encoberta pelas águas.

Relevo é um conjunto de acidentes, irregularidades ou desnivelamentos na superfície da crosta terrestre. É chamado de relevo terrestre ou positivo, quando se encontra acima do nível do mar; é denominado relevo submarino ou negativo, quando se acha abaixo do nível do mar.

O relevo terrestre atual é, porém, apenas uma fase da longa evolução de que resultou o modelado terrestre. Isto porque a natureza está em permanente alteração e quase sempre são muito lentas as mudanças que nela se operam. É necessário que decorram milhares de anos para que se notem as modificações naturais do relevo.

As diferentes formas de relevo que a crosta terrestre apresenta são provocadas por dois tipos de agentes ou forças:

• as internas, endógenas ou formadoras do relevo.
• as externas, exógenas ou modificadoras do relevo.

Agentes formadores do relevo

Os agentes internos, também chamados de endógenos ou formadores do relevo, são forças que agem sobre o relevo, acentuando ou aumentando as diferenças e os desníveis. Como ocorrem nas camadas inferiores da crosta terrestre, ou seja, no interior do planeta, são também denominados agentes estruturais.

As forças que agem sobre o relevo possuem as mais variadas causas:

• contração na crosta terrestre, devido ao resfriamento;
• deslocamento das massas continentais, ocasionando forças laterais;
• pressão do magma.

Os agentes internos compreendem: o tectonismo, o vulcanismo e os abalos sísmicos.

Tectonismo

O tectonismo é o mais lento e duradouro dos agentes internos e o que promove as maiores alterações na paisagem. Ele se manifesta por meio de pressões, provenientes do interior da Terra, que afetam a superfície terrestre tanto no sentido vertical quanto no sentido horizontal, de acordo com a natureza das rochas e a direção dessas pressões.


Fonte: "Estudando a Paisagem", Prof. Osvaldo Piffer

As pressões verticais são denominadas falhas ou fraturas. As falhas ocorrem quando rochas bastante rígidas recebem forças além de sua resistência, provocando desnivelamento do solo, com elevações e rebaixamentos, ou seja, movimentos de subida e de descida de grandes áreas da crosta terrestre.


Falha geológica
Fonte: Observatório Sismológico da UNB

As pressões horizontais, denominadas dobras, são movimentos que, embora lentos, encontram rochas sedimentares menos resistentes, provocando o dobramento delas.

Vulcanismo

Vulcanismo é a atividade por meio da qual materiais oriundos do interior da Terra chegam à superfície. Quando esses materiais atingem a superfície terrestre, através de uma fenda ou abertura, ocorre a erupção vulcânica. O relevo formado por vulcanismo caracteriza-se por não ter relações com a estrutura do terreno onde se localiza e por se formar com enorme rapidez. Isto porque o relevo é formado de rochas vindas do interior do planeta, o que dá ao relevo uma forma imprevista e artificial.

Algumas áreas de nosso planeta apresentam maior concentração de vulcões. São elas:

• o Círculo de Fogo do Pacífico, que vai desde o Alasca até o Chile, e da costa oriental da Ásia até a Nova Zelândia;
• o eixo do mar Mediterrâneo, que compreende a Itália, a Grécia Insular e o Cáucaso;
• a dorsal do Oceano Atlântico, que é uma cadeia elevada no fundo do oceano onde as ilhas representam os picos mais elevados, abrangendo as Antilhas, os Açores, Cabo Verde e as Canárias;
• as fossas da África Oriental, que incluem as costas do mar Vermelho, parte da Arábia, Etiópia, Quênia e Tanzânia.

Abalos sísmicos

Os abalos sísmicos são estremecimentos sofridos por algumas áreas da superfície terrestre, em função de deslocamentos de camadas inferiores, e que se propagam por meio de vibrações. Quando ocorrem nos continentes, os abalos sísmicos recebem o nome de terremotos; já nos mares e oceanos, denominam-se maremotos.

Os terremotos manifestam-se como tremores da crosta e variam de intensidade. Geralmente, são muito rápidos e com resultados catastróficos, principalmente em áreas habitadas. Os terremotos mais violentos chegam a abrir enormes fendas no solo, fazendo desaparecer casas e pessoas. Estão relacionados a causas vulcânicas e tectônicas e aos desmoronamentos internos.

Existe um aparelho, denominado sismógrafo, bastante preciso, que é utilizado para registrar a ocorrência dos terremotos. Como as ondas sísmicas propagam-se a grandes distâncias, os terremotos podem ser registrados por sismógrafos situados a muitos quilômetros de distância do epicentro, que é o ponto do interior da Terra onde se origina o terremoto. Por meio desse aparelho, pode-se conhecer a duração, a intensidade e o lugar de origem do terremoto.

Os principais locais de ocorrência de terremotos em nosso planeta são: a orla do Oceano Pacífico, na região do Círculo de Fogo, os Alpes, o Himalaia, a Ásia Menor, a África Oriental, etc.

Os abalos sísmicos podem também ocorrer no fundo dos oceanos: são os maremotos. Os deslocamentos de camadas da crosta repercutem no relevo submarino, provocando ondas de grande porte (tsunamis). Se alcançarem ilhas ou litorais continentais, causam enormes prejuízos à população.

Como vimos, os agentes internos acentuam o relevo, sendo que os mais decisivos para o modelado terrestre são as lentas transformações causadas pelo tectonismo, por meio das dobras e falhas, embora os vulcões, as falhas e os terremotos estejam inter-relacionados.

Agentes modificadores do relevo

Os agentes externos (exógenos), ou modificadores do relevo, caracterizam-se pela ação lenta e constante sobre a superfície terrestre, o que resulta em uma tendência a uniformizar o relevo. Uma curiosidade sobre os agentes modificadores é que nunca atuam independentemente uns dos outros. Estão relacionados uns aos outros e a ação de cada um representa sempre um trabalho em conjunto.

A ação dos agentes externos apresenta quase sempre três formas ou processos distintos:

- erosão: altera completamente a paisagem, por meio do seu trabalho de desgaste e destruição das rochas;
- transporte: permite que os detritos e as partículas desagregadas pela erosão sejam levadas sempre em direção a lugares mais baixos;
- deposição: é a consequência direta da erosão, uma vez que os detritos, que decorrem do trabalho desta, acumulam-se no sopé das montanhas, no fundo dos vales, nas margens dos rios, nas depressões, etc. A contínua acumulação de sedimentos se processa em camadas superpostas, promovendo o aterro de lodaçais, lagos, mares costeiros ou fundos de vale, com o passar do tempo.

Os agentes externos, responsáveis por toda essa alteração na fisionomia da paisagem, são o intemperismo, as águas correntes, os ventos, os oceanos, as geleiras e os seres vivos.

Sumário

- Agentes formadores do relevo
i. Tectonismo
ii. Vulcanismo
iii. Abalos sísmicos
- Agentes modificadores do relevo
Assine login Questões a responder image Questões dissertativas image Questões para o Enem image