Acústica

Reflexão de Ondas

Volta de ondas ao meio primitivo de propagação após incidir na superfície de separação de dois meios.

Velocidade, comprimento de onda e frequência não se alteram.

Pode ocorrer mudança de fase.

REFLEXÃO COM INVERSÃO DE FASE

A onda é refletida por um meio mais rígido (no caso de onda mecânica) ou mais refringente (no caso de onda eletromagnética) do que aquele em que ela se propaga.

REFLEXÃO SEM INVERSÃO DE FASE

Fenômeno característico das ondas transversais; dos diversos planos de vibração de uma onda (não polarizada), após sua passagem pelo polarizador, teremos somente um plano de vibração (onda polarizada).

A LUZ PODE SER POLARIZADA

O SOM NÃO PODE SER POLARIZADO

Ângulo de incidência (i) e reflexão (r) tomados entre a frente de onda e a superfície (S) ou entre o raio de onda e a normal.

i = r

Fenômenos Sonoros

Eco

Os obstáculos que refletem o som podem apresentar grandes asperidades. Assim, o som pode ser refletido por um muro, uma montanha, etc.

Para uma pessoa ouvir seu próprio eco, deve estar situada a, no mínimo, 17 m do obstáculo refletor, pois o ouvido humano só pode distinguir dois sons com intervalo de 0,1s. O som, que tem velocidade de 340 m/s, nesse tempo percorre 34 m.

Reverberação

Em grandes salas fechadas ocorre o encontro do som com as paredes. Esse encontro produz reflexões múltiplas que não só reforçam o som como também o prolongam durante algum tempo, depois que cessou a emissão.

É esse prolongamento que constitui a reverberação.

A reverberação ocorre quando o som refletido atinge o observador no instante em que o som direto está se extinguindo, ocasionando o prolongamento da sensação auditiva.

Difração

Fenômeno em que uma onda sonora pode transpor obstáculos.

Exemplo

uma pessoa atrás de um muro não nos vê, mas pode nos ouvir pois o som difrata.

Interferência

Fenômeno que consiste em um recebimento de uma ou mais ondas de fontes diferentes.

SOM FORTE INTERFERÊNCIA CONSTRUTIVA (I.C.)

SOM FRACO INTERFERÊNCIA DESTRUTIVA (I.D.)

Ressonância

Quando um corpo começa a vibrar por influência de outro, na mesma frequência de outro, ocorre a ressonância.

Exemplo

o vidro de uma janela que se quebra ao entrar em ressonância com as ondas sonoras produzidas por um avião a jato.

Refração de Ondas

Passagem de ondas de um meio de propagação (meio 1) para outro (meio 2), desde que as velocidades de propagação sejam diferentes nos dois meios.

Velocidade (v) e de onda () variam, mas frequência permanece inalterada.

Não há mudança de fase.

Ângulo de incidência (1) e refração (2) tomados entre a frente de onda e superfície (S) ou entre o raio de onda e a normal.

Lei de Snell-Descartes

no caso de onda eletromagnética

FRENTES DE ONDA INCIDINDO E SE REFRATANDO EM S

 

Ondas Estacionárias

É o resultado da superposição de dois movimentos ondulatórios progressivos, de mesma frequência, velocidade, comprimento de onda e amplitude, propagando-se na mesma direção e em sentidos contrários.

N = nó ou nodos

v = ventre

CONFIGURAÇÃO DE UMA ONDA ESTACIONÁRIA

Nós interferência destrutiva

Ventre interferência construtiva

Sumário

- Reflexão de Ondas
- Fenômenos Sonoros
i. Eco
ii. Reverberação
iii. Difração
iv. Interferência
v. Ressonância
- Refração de Ondas
i. Lei de Snell-Descartes
- Ondas Estacionárias
- Cordas Vibrantes
- Tubos sonoros
- Efeito Doppler
Assine login Questões a responder image Questões dissertativas image Questões para o Enem image