Movimentos e Artistas do Século XX

Movimentos e Artistas do Século XX

Os maiores pintores do século XX foram Henri Matisse e Pablo Picasso. Amigos e rivais, eles criaram novos estilos, exploraram vários campos da arte e influenciaram profundamente a história da Arte. Atualmente seus quadros são vendidos por dezenas de milhões de dólares.


A Dança – Henri Matisse


Henri Matisse

Henri Matisse (1869-1954), foi um pintor, escultor e litógrafo francês. Tendo explorando cores e formas, Matisse é considerado um dos maiores pintores da época moderna. Matisse pintou obras impressionistas, pós-impressionistas e variações de grandes obras de arte.


Picasso – Menina Diante do Espelho

Pintor espanhol, Pablo Picasso (1881-1973) é também famoso por suas esculturas, litografias e trabalho com cerâmica. Picasso é considerado o maior artista do século XX. Sua arte é caracterizada por várias fases, tais como a fase rosa e azul. Temas recorrentes em seus quadros são suas amadas, pessoas próximas a ele, autorretratos e touradas. Entre seus quadros mais renomados estão: Les Demoiselles d'Avignon (1907, MoMa N.Y.C.) e Guernica (Reina Sofia, Madrid). Picasso participou de todos os movimentos artísticos da época.

Em 1907, Picasso e Georges Braque fundaram o cubismo.

Cubismo

O Cubismo foi introduzido em 1907, quando Picasso expôs, em Paris, seu quadro Les Demoiselles d’ Avignon.


Picasso - Les Demoiselles d’ Avignon

Influenciado por máscaras africanas, estatuetas negras e polinésicas, Picasso apresentou, na composição desse trabalho, formas geometrizadas, deformadas, principalmente no rosto das figuras que se encontram à direita do quadro.

A partir daí, surgiram outras obras semelhantes, tendo como princípio a decomposição da realidade em fragmentos geométricos que se entrecortam.

O Cubismo é um movimento artístico em que pessoas e objetos são representados por uma composição de cubos e por outras formas geométricas. A arte cubista rompe com a linearidade criada pelo Realismo e mostra que existem outras maneiras de perceber e interpretar o real: para compreender uma realidade, deve-se observar todos os lados dela. Na pintura, esse princípio evidencia-se ao apresentarem-se, no mesmo plano e no mesmo espaço, todos os lados do objeto, através da superposição, do simultaneísmo e da colagem. E assim, rompe-se com o conceito de espaço: não importa a linearidade ou a representação real do espaço, mas apenas o que se pode ver nele.

O Cubismo é facilmente reconhecido nas artes plásticas, principalmente nos quadros de Pablo Picasso, Georges Braque, Léger, Juan Gris e de Anita Malfatti, Tarsila do Amaral e Lasar Segall, no Brasil.


Picasso – Violino e Guitarra