História da Arquitetura – Parte 2

História da Arquitetura – Parte 2

Arquitetura na Idade Média

Com o passar do tempo, a Arquitetura se desenvolveu, por meio de estruturas medievais como o castelo e a fortaleza.

Dois importantes estilos de arquitetura desenvolveram-se na época. O primeiro deles, denominado estilo romanesco, foi o mais usado durante os séculos IX-XII. Esse estilo arquitetônico, adaptado da arquitetura romana, era caracterizado pelo uso de arcos redondos no topo das construções.

A típica estrutura romanesca possuía paredes maciças – que eram necessárias para segurar o teto – e pequenas janelas, com pouca iluminação em seu interior. A construção usava poucas cores e ornamentos, mas as portas e paredes eram decoradas com esculturas religiosas. O estilo romanesco foi utilizado para decorar igrejas, castelos e mosteiros da Europa.

No final do século XI, um novo estilo arquitetônico foi desenvolvido, caracterizado por construções que eram mais altas e graciosas que as estruturas romanescas. Denominado gótico, o novo estilo foi utilizado na construção das catedrais da Europa. Em construções romanescas, eram os arcos redondos que sustentavam a estrutura. Nas góticas, as paredes eram sustentadas por arcobotantes e, portanto, poderiam ser altas e menos maciças, permitindo o uso de vitrais.

Igreja no estilo gótico
Igreja no estilo gótico

Muitas catedrais góticas ainda existem. Elas revelam a habilidade dos artesãos medievais e demonstram a importância que a religião cristã tinha na época.
O fascínio pela arquitetura medieval gótica foi reavivado durante os séculos 19 e 20. Arquitetos na Europa e nos Estados Unidos projetaram grandes edifícios e casas particulares cuja arquitetura imitava a das catedrais da Europa medieval.

Arquitetura no Renascimento

Os artistas do Renascimento buscavam inspiração na arte de Roma e Grécia antigas. Artistas medievais haviam empregado sua criatividade para servir à Igreja e expressar sentimentos religiosos. Em contraste, a arte do Renascimento simbolizava os interesses da época: celebrava o ser humano e geralmente retratava rostos e figuras humanas.

Os arquitetos do Renascimento não apreciavam o estilo gótico das catedrais da Europa. Eles voltaram a construir igrejas no estilo romanesco, com domos, janelas e sacadas para permitir a ampla entrada de luz e ar. Projetavam as igrejas para que elas parecessem perfeitamente equilibradas em termos de tamanho e forma.

Alguns dos grandes arquitetos do Renascimento foram: o pintor e arquiteto Filippo Brunelleschi, que projetou o grande Duomo (catedral) e o pintor Michelangelo Buonarroti, que pintou o teto da Capela Sistina e projetou o domo da Basílica de São Pedro, no Vaticano, entre muitos outros.

Duomo
Duomo

Vários séculos após o fim do Renascimento, arquitetos do Mundo Ocidental buscaram inspiração na belíssima arquitetura equilibrada da época. Durante o século XX, arquitetos projetaram casas no estilo Renascentista, que se assemelhavam aos palácios e vilas da Itália Renascentista.

Arquitetura Barroca

O estilo Barroco se espalhou por toda Europa e pelas colônias espanholas e portuguesas das Américas, incluindo o Brasil.

Nos anos 1600, a arquitetura Barroca elaborada surgiu e se tornou o estilo predominante na Europa.

A palavra “barroco” é italiana e significa “bizarro”. A arquitetura barroca era certamente extravagante. Edifícios cujo estilo é barroco possuem características como formatos complicados, grandes formatos curvados, colunas retorcidas, grandes escadarias, cúpulas altas e pinturas Trompe l’oeil.

Na Itália, a religião influenciou vários aspectos da arte barroca, pois era a própria Igreja Católica que financiava catedrais. A Igreja italiana esperava voltar a atrair fiéis com gloriosas obras de arquitetura.

Os papas italianos queriam que a arquitetura expressasse um santo esplendor. Eles determinaram que as igrejas seriam construídas com enormes cúpulas e colunas espiraladas, mármores de diversas cores e murais luxuosos. Até os edifícios não religiosos passaram a ser construídos com tal exuberância. Um exemplo: a Fontana di Trevi (Fonte de Trevos), em Roma.

Fontana di Trevi
Fontana di Trevi

A política também influenciou a arte e a arquitetura barroca. Os monarcas franceses e espanhóis encomendavam obras de artes e edificações que refletiam o esplendor e a riqueza monárquica.

Na França, os reis construíam palácios magníficos para exibir o poder e a glória da monarquia. O maior exemplo é o Palácio de Versalhes. Sua construção teve início em 1669. O palácio foi construído em honra e sob as ordens do rei francês Luís XIV, o Rei Sol. O Palácio de Versalhes é a construção da época barroca mais significante da França. É extremamente luxuoso: há centenas de aposentos decorados com mármore, móveis de prata e decorações em ouro. Pinturas no teto dos cômodos ilustravam as conquistas de Luís XIV e um jardim suntuoso – adornado com inúmeras esculturas e fontes – circundava o palácio. Os jardins do palácio também refletiam o luxo exigido por Luís XIV. Milhares de trabalhadores levaram mais de 20 anos para completar a obra. O luxuoso Palácio de Versalhes, próximo à Paris, se tornou lar da família real e da corte. A corte real mudou-se para Versalhes em 1682.  


Palácio de Versalhes

Jardim do Palácio de Versalhes
Jardim do Palácio de Versalhes

No Brasil, o estilo barroco é representado principalmente pelas igrejas construídas por Aleijadinho.

Igreja - Aleijadinho
Igreja - Aleijadinho

Arquitetura Rococó

O estilo rococó ocorreu durante a segunda metade do século XVIII, na época em que reinava Luís XV da França. O estilo nasceu em Paris e se difundiu pela Europa. Era utilizado na decoração de castelos, igrejas e casas e na arte de quadros, talheres, roupas e porcelanas.

O estilo rococó foi essencialmente um estilo de arte decorativa com ornamentos de linhas curvadas, como desenhos de flores e conchas.

Neoclassicismo

O período da arte neoclássica durou de 1780 a 1820.  No Neoclassicismo, ressurgiu a simplicidade, que foi uma das principais características do movimento, em oposição aos exageros do Barroco. Esse movimento se baseou no renascimento do clássico, ou seja, nos estilos artísticos da Grécia e Roma antigas. A arquitetura desse período foi inspirada nos templos gregos e romanos.

A Casa Branca e o Capital Building (Estados Unidos) são exemplos de edifícios neoclássicos.

White House
A Casa Branca

Sumário

- Arquitetura na Idade Média
- Arquitetura no Renascimento
- Arquitetura Barroca
- Arquitetura Rococó
- Neoclassicismo
- Arquitetura na Era Industrial
- Arquitetura no Século XX
- Arquitetura no Século XXI

Assine login Questões de Revisão image Questões para o Enem image