Poríferos e Celenterados

No reino animal estão reunidos os organismos heterótrofos pluricelulares que apresentam tecidos corporais bem definidos. Na evolução dos animais desenvolveram-se estruturas corporais especializadas em localizar e capturar alimentos, juntamente com um sistema nervoso que coordena e orienta essas e outras atividades biológicas.

A presença desses órgãos e suas respectivas estruturas nos diversos sistemas, apresentam grandes variações nas diferentes espécies e constituem, de forma comparada, o principal critério para a sua classificação.

Veja, por comparação, a variação no número de espécies dos principais filos do reino animal ou metazoários:

1) Poríferos (Espongiários) 4.000 espécies .......... 9o

2) Celenterados (Cnidários) 11.000 espécies ............... 6o

3) Platielmintes 15.000 espécies ........................................ 5o

4) Asquelmintes (Nematelmintes) 80.000 espécies ............... 3o

5) Anelídeos 9.000 espécies ...................................... 7o

6) Artrópodos 1.000.000 de espécies ................................................... 1o

7) Moluscos 110.000 espécies ....................................................... 2o

8) Equinodermos 6.000 espécies .......................... 8o

9) Cordados 54.000 espécies .............................................. 4o

Ainda com finalidade sistemática, a tabela abaixo considera - comparativa e evolutivamente - algumas características do desenvolvimento embrionário dos principais filos: número de folhetos embrionários, presença ou não de cavidade corporal; desenvolvimento do blastóporo. São respeitados os parentescos evolutivos, com ancestralidade comum!

Filo dos Poríferos ou Espongiários

A grande maioria é marinho. Uma só família de H20 doce (Demospongeae).

São fixos (sésseis) quando adultos. Isolados ou coloniais. Colorações várias, devido a associações com algas: acinzentadas, avermelhadas, amareladas, transparentes.

As esponjas menores e simples mostram simetria radial, enquanto a maioria é assimétrica.

Algumas são de grande valor comercial, pois o esqueleto inteiramente proteico é usado como esponja (Demospongeae - subgrupo Keratosa), após decomposição de todas as células vivas.

Os poríferos, ou espongiários, constituem o filo mais primitivo dos metazoários: embora sejam pluricelulares, suas células formam agregados frouxos, não constituindo tecidos verdadeiros.

Características

A esponja adulta tem o formato de um vaso. Fixa num substrato, a água entra por numerosos poros (porócitos) na superfície do seu corpo e após circular na cavidade do átrio - paragáster - ou espongiocele, sairá pelo ósculo, que é a abertura no polo superior.

Esse sentido de movimentação da água é determinado pelo batimento unidirecional - direção oposta ao corpo celular - de flagelos dos coanócitos. Outra função destas "células em colarinho" é fagocitar os alimentos que estão em suspensão na água e realizarem a única forma de digestão desses animais: intracelular.

O endoesqueleto é formado por espículas minerais (calcárias ou silicosas, secretadas pelas células escleroblastos) e por filamentos da proteína espongina.

Os amebócitos são células indiferenciadas que poderão repor (regenerar) todos os demais tipos celulares, além de formarem os gametas.

Os variados agregados celulares frouxos têm funções especiais, mas não há tecidos, isto é, conjunto de células semelhantes que executam funções específicas. Faltam, aindacélulas nervosas e uma cavidade digestiva (não há digestão extracelular). Daí, muitos autores considerarem as esponjas "um grupo à parte dos demais metazoários"  parazoários.

Tipos de esponjas, com crescente grau de complexidade: Ascon, Sycon, Leucon.

Reprodução

a) assexuada: por brotamento, dando origem a colônias com numerosos indivíduos. As espécies de água doce poderão formar gêmulas (estruturas de resistência contendo numerosos amebócitos) que permanecerão em estado de vida latente até terminar o período desfavorável do ambiente, quando passarão a desenvolver novos indivíduos.

b) sexuada: cada indivíduo poderá formar gametas masculinos (espermatozoides) ou femininos (óvulos). Do encontro dos gametas (fecundação interna) forma-se o zigoto que realiza desenvolvimento indireto, produzindo uma larva ciliada típica (= anfiblástula). Esta, nada e se alimenta no ambiente, até fixar-se e desenvolver a nova esponja. A maioria das esponjas é hermafrodita, mas algumas têm sexos separados. O zigoto desenvolve-se até blástula flagelada móvel; a gastrulação será diferente dos outros metazoários!

c) regeneração: é uma característica de todos os seres vivos, porém aqui ocorre facilmente, pois de uma esponja dividida em vários fragmentos, cada parte (contendo amebócitos) poderá reconstituir um novo indivíduo.

  • Aulas relacionadas

Sumário

- Filo dos Poríferos ou Espongiários
- Filo Celenterados ou Cnidários
Assine login Questões a responder image Questões dissertativas image Questões para o Enem image