Impactos ambientais causados pelo homem

Os seres vivos e o ambiente formam uma complexa rede de inter-relações, harmônicas ou desarmônicas, contribuindo decisivamente para a melhoria de qualidade de vida ou, ao contrário, minando intensa ou lentamente a saúde.

É preciso considerar que a atividade humana sempre tem algum impacto negativo sobre o ambiente: matamos seres de outras espécies para obter alimento, destruímos ecossistemas naturais para construir moradias e eliminamos nossos excrementos e lixo nos mares, nos rios ou no solo.

Quanto maior for o número de pessoas, maior será a exploração dos recursos naturais e a produção de resíduos, com poluição da atmosfera, da água e do solo. Os efeitos globais da poluição gerada pelo desenvolvimento industrial já são evidentes: há locais, onde as chuvas são ácidas e corrosivas; há buracos, que estão se expandindo, na camada de ozônio que envolve a Terra e que expõem perigosamente os seres vivos à radiação ultravioleta (mutagênica); a temperatura média está subindo, perigosamente, em todo o planeta, em função do efeito estufa, provocado pelo acúmulo de determinados gases (CO2 das combustões, CH4 das fermentações etc.).

O consumo de energia e a produção de resíduos são, de sobra, maiores nos países desenvolvidos em relação aos subdesenvolvidos ou em desenvolvimento.

Superpopulação, desenvolvimento econômico e degradação ambiental são componentes intimamente ligados. Os modelos atuais de desenvolvimento econômico têm levado a uma imensa desigualdade social, além de serem perdulários e altamente poluidores.

Desmatamento

Florestas Tropicais localizam-se no norte da América do Sul (Bacia Amazônica), na América Central, na África, na Austrália e na Ásia e são as mais ricas em biodiversidade, apresentando um grande número de espécies.

O desmatamento e a destruição de grandes partes das florestas tropicais têm causado um aumento perceptível do teor do dióxido de carbono na atmosfera. O desmatamento diminui o número de árvores, ou seja, dos produtores de oxigênio.

Desmatamento por causa de práticas agrícolas e as queimadas têm alterado drasticamente o habitat de várias espécies. O período de reposição dessas florestas é enorme e dependo da situação do solo após o desmatamento, até impossível.

O desmatamento ocorre por razões econômicas como: a extração de madeira para fins comerciais, a mineração e o desmatamento para abrir áreas para a criação de gado. Incêndios também contribuem para a devastação das florestas tropicais.

As principais consequências da destruição de grandes áreas dessas florestas são:

  • Aumento da temperatura: os raios solares incidem diretamente sobre o solo aumentando a capacidade de absorção de energia do mesmo; este irradia calor para a atmosfera;
  • Diminuição do índice pluviométrico;
  • Erosão do solo, causando assoreamento de rios e represas, prejudicando a agricultura e agravando as enchentes;
  • Empobrecimento do solo;
  • Comprometimento do equilíbrio atmosférico entre gás carbônico e oxigênio;
  • Destruição da biodiversidade;
  • Agressões aos povos indígenas e populações ribeirinhas.
  • Desertificação.

A Floresta Amazônica, a maior floresta tropical no mundo, já foi altamente devastada. O governo brasileiro, visando o desenvolvimento do estado do Amazonas, chegou a subsidiar a criação de gado, indústrias e outras atividades que causaram o desmatamento de áreas extensas da floresta.  As consequências dessas atividades alcançam um nível global. Internacionalmente, o governo brasileiro sofre pressão a respeito de medidas sérias para a preservação da Floresta Amazônica - que é frequentemente chamada de "o pulmão do mundo".

Poluição do Ar

Inversão térmica

No tempo frio, o ar se movimenta mais lentamente e os gases e partículas irritantes que os carros e as indústrias eliminam demoram mais para se dispersar. No inverno, as pessoas sentem arder os olhos, têm tosse, alergias e até pneumonia.

Em condições normais, o ar atmosférico é mais quente na parte de baixo, por receber o calor armazenado no solo. O ar quente – menos denso – tende a subir, enquanto o ar frio – mais denso – passa para baixo. Este movimento – convecção térmicadispersa a poluição.

O solo, no inverno fica mais frio, provocando uma inversão das camadas. Sobre a camada fria próxima ao solo, fica outra mais quente, de modo que não há convecção, pois o ar quente já está por cima. Assim, os poluentes ficam represados na camada fria de baixo e entram mais facilmente nas vias respiratórias humanas.

inversão térmica

Chuva Ácida

Monóxido de carbono (CO), dióxidos de nitrogênio (NO2) e de enxofre (SO2) são os principais poluentes gasosos da atmosfera. A parte combinada, dos dióxidos de nitrogênio e enxofre com o vapor de água do ar, produz ácido nítrico (HNO3) e ácido sulfúrico (H2SO4), que além de tóxicos são corrosivos. Ao chover, esses ácidos dissolvidos na água, produzem as chuvas ácidas, prejudicando as florestas, lavouras e seres aquáticos, além de corroer monumentos históricos.

problemas ambientais para a humanidade

Efeito estufa

Cientistas acumulam provas de que uma elevação considerável da taxa de CO2 e outros gases na atmosfera provocam o chamado efeito estufa, que consiste na concentração do calor do sol na atmosfera – aquecimento global.

A retenção do calor é assim explicada: gás carbônico (CO2) principalmente,  mas também metano (CH4), nitroso (N2O), ozônio (O3) e clorofluorcarbonos (CFCs) são transparentes à luz visível, como o vidro de uma estufa, permitindo que os raios do sol aquecem a superfície terrestre. Quando a Terra devolve o calor em excesso, não é mais sob a forma de luz, mas de radiação infravermelha. Como os gases poluentes absorvem a radiação, uma parte do calor, que deveria ser eliminada, fica na atmosfera.

Gases como CO2, CH4, N2O, O3 e CFCs acumulam-se na atmosfera como resultado da atividade industrial e do crescimento urbano.

O efeito estufa é a reprodução, em escala planetária, do fenômeno de aquecimento que ocorre quando se deixa um carro fechado sob o sol. A luz atravessa os vidros fechados, aquece o interior do veículo e o calor não consegue escapar, porque os vidros retêm os raios infravermelhos. Disso resulta uma enorme elevação de temperatura.

Dessa forma:

a) A radiação solar – luz e calor – é absorvida pela superfície da Terra.

b) Uma parcela dessa energia será irradiada para a atmosfera, sob forma de calor.

c) Como o CO2 da atmosfera dificulta (retém) a irradiação do calor, tanto maior a sua concentração, tanto maior o calor retido.

d) As medidas executadas nas últimas décadas acusam, de fato, uma elevação perceptível – cerca de meio grau, em um século.

efeito estufa

Fica clara a interligação dos acontecimentos do planeta: a derrubada das matas e a queima de combustíveis fósseis poderão causar inundações, devido ao aumento da concentração de CO2. É verdade, também, que o maior teor de CO2 no ar favorece o desenvolvimento das plantas, visto que elas sintetizam os compostos orgânicos combinando CO2 e água, sob a ação de enzimas (fotossíntese). Estima-se que 10% do aumento da produção agrícola no século XX tenha resultado do aumento de concentração do gás carbônico na atmosfera.

Além do homem, as vacas e outros ruminantes produzem gás metano (CH4), durante a digestão, e o expelem pela boca. No mundo inteiro, os ruminantes produzem cerca de 530 milhões de toneladas de metano. Esse metano atmosférico contribui 25 vezes mais para o efeito estufa do que o CO2 – e sua produção é claramente mais difícil de controlar.

Na opinião de vários cientistas as consequências do efeito estufa não seriam iguais em todo o planeta. Nos trópicos o aumento de temperatura (aquecimento global) ficaria em torno de 1 a 2 graus, enquanto nas regiões polares seria de 6 a 8 graus, o que causa o degelo.    

degelo

Uma das consequências do efeito estufa seria o aumento do nível dos mares, com inundação das regiões litorâneas, devido ao degelo nas regiões polares. Está constatada uma elevação de 4 milímetros por ano no nível médio dos oceanos.

Buraco na camada de ozônio

ozônio é um gás que existe em quantidade mínima na atmosfera, mas forma uma camada que envolve a Terra na estratosfera. Uma camada de ozônio (O3) filtra boa parte da radiação ultravioleta que o Sol nos envia - apenas pequena parte dela chega ao planeta. 

Os CFCs são substâncias sintéticas utilizadas em aparelhos de ar condicionado e em geladeiras, sendo usados ainda para impulsionar os aerossóis dos sprays. Sua baixa densidade faz com que os CFCs migrem – subam – para as camadas mais altas (estratosfera). Aí, sob a ação da radiação ultravioleta, os CFCs se decompõem libertando cloro   [Cl], o qual destrói o ozônio:

[Cl]  + O3 ClO + O2 

ClO + ½ O2 O2 + [Cl]

A camada de ozônio – entre 30 e 50 km acima da superfície da Terra – absorve 99% da radiação ultravioleta vinda do Sol. Se toda essa radiação atingisse a superfície da Terra, a vida seria impossível.

Medidas diretas mostraram que a radiação ultravioleta que chega até nós já subiu 5% nos últimos 30 anos. Os efeitos negativos para o homem dessa destruição incluem queimaduras de sol, eleva a incidência de tumores de pele e outras afecções, além de prejudicar a agricultura.     

Além dos CFCs, outras substâncias, como os óxidos de nitrogênio também destroem o ozônio; estes são liberados pela queima dos combustíveis fósseis

Problemas de Saúde causados por Poluição

Há poluentes que promovem degradação lenta e contínua das funções fisiológicas do organismo:

  • a exposição prolongada ao dióxido de enxofre (SO2) provoca bronquite para uma parcela da população.
  • percentuais da população, por causa da inalação de ozônio apresentarão fibrose dos pulmões, com perda irreversível das funções respiratórias.
  • óxidos de nitrogênio e de enxofre deprimem o sistema imunológico, deixando o organismo mais vulnerável às infecções por vírus e bactérias.
  • indivíduos que já apresentem alguma doença respiratória ou cardíaca, vivendo em ambientes de alta poluição, poderão sofrer um stress adicional, que poderá resultar em morte.
  • amianto é substância utilizada na fabricação de lonas de freios para automóveis. Essa substância pode causar câncer para parte dos indivíduos expostos a ela; cada vez que um carro é freado, soltam-se fibras de amianto para a atmosfera. A sua inalação provoca a doença asbestose, a qual vai fibrosando tecidos dos pulmões.
  • há, ainda, uma série de outros poluentes desencadeadores de câncer nos pulmões: benzopirenonicotina e seus numerosos derivados.
  • estrôncio-90 provoca uma forma especial de poluição atmosférica. É resultante das explosões nucleares, fazendo parte do "lixo atômico" que volta para o solo junto com as poeiras e chuvas. Tanto pela água do solo como pelas folhas, o estrôncio-90 é eficientemente absorvido pelos vegetais. O homem e outros vertebrados, consumindo essas plantas, irão concentrar o estrôncio-90 nos ossos, próximos à medula óssea, onde são produzidos os elementos figurados do sangue. A gravidade para a saúde resulta de o seu comportamento ser, dentro do organismo, semelhante ao cálcio. Desenvolve câncer nos ossos e leucemia. O leite de vaca acaba sendo uma das formas mais importantes de contaminação para o homem.

O Problema do Lixo

Enquanto o crescimento demográfico permite que as cidades cresçam, disso resultam grandes áreas de depósito de lixo. Essas áreas, a céu aberto, vão se tornando insuficientes. Enterrá-lo é muito pouco indicado, visto ser enorme o risco de contaminação das águas do lençol freático. As soluções modernas apontam para a reciclagem do lixo, ou seja, o seu reaproveitamento.

Para tanto, há necessidade de triagem, ou separação dos diversos tipos de lixo. Requer, ainda, o que não é simples, informação e educação da população em geral. A parte orgânica, uma vez separada, pode ser decomposta por microrganismos em grandes tanques chamados biodigestores. Por esse processo, forma-se o metano ou gás natural, que é utilizado como combustível residencial ou industrial. Os resíduos sólidos dessa biodigestão podem ser utilizados como fertilizantes do solo.

Poluição da Água

O crescimento populacional vai implicando em que a necessidade de água doce e potável seja cada vez maior. Porém, em consequência da contaminação crescente de rios, lagos e lagoas, a disponibilidade de água doce é cada vez menor. Grande número de doenças são veiculadas direta ou indiretamente através dessas águas contaminadas pelo despejo de esgotos industriais ou domésticos.

Hoje, mesmo parecendo incrível, esgotos de casas e prédios são despejados diretamente no mar sem prévio tratamento. Aí reside um seríssimo problema para a saúde pública de milhões de banhistas, uma vez que numerosos microrganismos causadores de doenças, estarão presentes na água contaminada por fezes humanas: diarreias, micoses, hepatites infecciosas e outras. Uma forma de amenizar esse enorme problema foi a construção de interceptores oceânicos marinhos, que devem conduzir os esgotos a grande distância, mar adentro.

Grande parte dos esgotos domésticos e industriais desemboca, direta ou indiretamente, nos rios, contaminando a água de uso doméstico e eliminando peixes e outros organismos. A represa Billings - abastece parte da cidade de São Paulo - recebe metade dos esgotos não tratados da região metropolitana pelo rio Pinheiros. A cada segundo, são lançados 30 m3 de esgoto nas águas da represa.

Há estimativas de que, em 30 anos, a crise mundial de água potável será tal, que não haverá mananciais suficientes para abastecer a população do planeta. No Brasil, a "legislação prevê e controla" o tratamento dos resíduos das indústrias para que elas não lancem nos rios água quente, resíduos químicos, esgotos não tratados e pesticidas tóxicos.

O risco continua presente e é muito sério, sempre que os dejetos apresentem metais pesados, pesticidas e material radioativo que contaminarão diferentes níveis tróficos das cadeias alimentares marinhas e que, portanto, ainda poderão se apresentar "à nossa mesa".

mercúrio - poluente cumulativo

Eutrofização (ou eutroficação)

Eutrofização significa o despejo de grandes quantidades de nutrientes na água. Se forem orgânicos (esgotos residenciais, lixo de indústrias de alimentos, etc.) serão degradados pelos seres decompositores, resultando num aumento muito grande da taxa de sais minerais na água; poderá haver também o despejo direto desses sais minerais (por exemplo, certos tipos de detergentes contêm fosfatos). Havendo maior disponibilidade desses nutrientes, a população das microalgas cresce muito. Quando essas algas vão morrendo, suas células são degradadas por micro-organismos decompositores aeróbios: em consequência, as populações desses seres crescem muito (já que há muito alimento para eles) e o teor de O2 na água cai muito (já que eles são aeróbios e, portanto, consomem O2). Com o aumento de todas essas populações e com a grande quantidade de seres em decomposição as águas tornam-se turvas - a penetração de luz torna-se difícil e a fotossíntese das algas fica prejudicada: isso causa menor produção de O2 e mais mortes de algas. Vários organismos, incluindo os peixes, sensíveis à diminuição da taxa de O2, morrem. Os únicos que podem sobreviver são os decompositores anaeróbios (já que eles não utilizam O2), que tem agora enorme massa de matéria orgânica para degradar, trabalho que realizam lentamente, produzindo gases malcheirosos. Temos agora um ambiente aquático impróprio para a vida.

Poluição térmica

As usinas nucleares e algumas indústrias, são instaladas perto de rios, para utilizar a água no sistema de refrigeração de seus equipamentos. Esse processo resfria os equipamentos e aquece a água, que é devolvida ao rio. O aquecimento da água nos rios causa a morte de peixes e de muitos outros seres vivos, mesmo sendo a água não poluída por substâncias tóxicas, porque a temperatura da água aumenta e, com isso, diminui a quantidade de oxigênio dissolvido, fundamental para a sobrevivência dos peixes.

Poluição visual e sonora

Circulando pelas ruas encontramos ou lemos numerosas mensagens escritas, pintadas ou rabiscadas, desde anúncios luminosos fixos ou móveis, até a "pobreza, sem significado produtivo" das pichações de paredes e monumentos. A esta poluição visual adiciona-se o barulho - contínuo e ininterrupto - dos múltiplos e variados veículos, dos alto-falantes e outros afins, instalando-se como estressante poluição sonora.

Sumário

- Desmatamento
- Poluição do Ar
i. Inversão térmica
ii. Chuva Ácida
iii. Efeito estufa
iv. Buraco na camada de ozônio
v. Problemas de Saúde causados por Poluição
vi. O Problema do Lixo
- Poluição da Água
i. Eutrofização (ou eutroficação)
ii. Poluição térmica
- Poluição visual e sonora
Assine login Questões de Revisão image Questões dissertativas image Questões para o Enem image