Tipos de epitélio

Nos animais, reconhecem-se quatro tecidos fundamentais, divididos em vários subtipos: tecido epitelialconjuntivomuscular e nervoso.

O tecido epitelial, também denominado epitélio, é formado por células justapostas com pouca substância entre elas (substância intercelular). É basicamente um tecido de revestimento e proteção do organismo.

Os epitélios apresentam diferentes origens embrionárias. A epiderme, por exemplo, é originada do tecido ectodérmico do embrião, enquanto o epitélio de revestimento interno do tubo digestivo tem origem endodérmica.

Como tecido de revestimento, recobre toda a superfície externa do corpo, como é o caso da epiderme. A epiderme é tecido que protege o corpo contra atrito ou traumas, desidratação, substâncias tóxicas do ambiente, penetração de bactérias, vírus e outros agentes nocivos.  Reveste todas as cavidades internas e órgãos que direta ou indiretamente estão em contato com o exterior do corpo. Reveste também a maioria das cavidades internas e fechadas do corpo. Permite o relacionamento do organismo com o meio, captando estímulos ambientais e tornando possíveis as reações adaptativas.

Os epitélios que revestem internamente os órgãos fazem absorção de água e alimentos, troca respiratórias e ainda a eliminação de excretas.

Há também os epitélios secretores ou glandulares, cuja função é a produção de substâncias especiais como suor, gordura, lágrima, muco, leite e sucos digestivos. Para executar essas funções, os epitélios têm características citológicas típicas, podendo ser definidos como tecidos de células justapostas, poliédricas e com uma finíssima camada de substância cimentante. Eles não têm vascularização (com raras exceções) e são, portanto, alimentados por difusão, a partir de capilares sanguíneos dos tecidos conjuntivos das camadas adjacentes.

Diversas formações aumentam a aderência entre as células epiteliais vizinhas, por exemplo, os desmossomos e as interdigitações.


Célula epitelial

Os tipos de epitélios

Os epitélios são classificados com base em diferentes aspectos, como a forma de suas células, o número de camadas celulares e as funções que desempenham.

Quanto à função os epitélios podem ser:

  • protetores;
  • sensoriais;
  • ciliados;
  • secretores (glandulares);
  • de absorção.

Os protetores são geralmente estratificados e queratinizados, como a epiderme dos mamíferos. A queratina é uma proteína que confere resistência e impermeabilização à camada superficial da epiderme, que é morta.

Os sensoriais têm células de sustentação e entre elas células sensoriais, como ocorre no epitélio olfativo.

Os epitélios ciliados têm células com a superfície livre coberta por um grande número de cílios (cerca de 200 a 250 por célula). O batimento coordenado dos cílios garante o deslocamento de substâncias sobre as células.

Dentre os epitélios de absorção convém salientarmos o da mucosa intestinal, cujas células têm um grande número de microvilosidades.

Os epitélios secretores constituem as glândulas.

As glândulas exócrinas pluricelulares são classificadas, pela forma, em três tipos básicos:

1-  Tubulosas

2- Glândulas acinosas

3-  Túbulo-acinosas

Apresentam longos  canais  ramificados  e na extremidade de cada um  há um ácino, que é a única  região secretora.  São deste tipo as glândulas submaxilares sublinguais (salivares), as lacrimais e a porção exócrina do pâncreas. As glândulas  podem ser ainda  analisadas sob outros  dois aspectos:  a  natureza química e a origem da secreção.

Sumário

- Os tipos de epitélios
- Glândulas exócrinas: tubulosas, acinosas, túbulo-acinosas
- Glândulas serosas
- Glândulas mucosas
Assine login Questões a responder image Questões dissertativas image