Respiração - Processo respiratório

Respiração - Processo respiratório

A respiração, no seu sentido geralmente usado, inclui dois processos: a respiração externa, a absorção de O2 do corpo como um todo (respiração pulmonar); e a respiração interna, a troca dos gases entre as células e o seu meio líquido (respiração celular).

Durante o repouso, o indivíduo humano normal respira 12-15 vezes por minuto. 500 ml de ar por respiração ou 6-8 litros/min são inspirados ou expirados. Este ar mistura-se com o gás nos alvéolos e, por difusão simples, o O2 entra no sangue através dos capilares pulmonares enquanto o CO2 entra nos alvéolos. Deste modo, 250 ml de O2 entram no corpo e 200 ml de CO2 são eliminados por minuto.

Troca de Gases

O alimento obtido pelo aparelho digestivo e o oxigênio, absorvido pelo aparelho respiratório, são distribuídos às células através do sangue, que é transportado pelo sistema circulatório.

O oxigênio participa da respiração celular, através da qual a energia química dos alimentos é transferida para moléculas da ATP. Da respiração celular são liberados gás carbônico e água.

Obtenção de oxigênio

Entre os vertebrados há três tipos de estruturas que possibilitam a obtenção de oxigênio e a eliminação de gás carbônico, constituindo os seguintes tipos de respiração:

  • cutânea: a pele, úmida, pouco queratinizada e muito vascularizada, possibilita a troca de gases entre o sangue e a atmosfera ambiente. Comum em anfíbios;
  • branquial: as brânquias, delgadas, pregueadas e muito vascularizadas, possibilitam a troca de gases entre o sangue e o ambiente aquático. Comum em peixes e larvas de anfíbios;
  • pulmonar: os pulmões, órgãos internos, ocos e muito vascularizados, possibilitam a troca de gases entre o sangue e a atmosfera ambiente. Ocorre em peixes dipnoicos, anfíbios adultos, répteis, aves e mamíferos.

OBSERVAÇÃO: Além destes tipos há a respiração traqueal, exclusiva dos insetos. Através das traqueias o ar penetra diretamente nos tecidos. Não há, portanto, transporte de gases pelo sangue nestes animais.


Respiração traqueal 

Respiração no homem

Nos mamíferos, a entrada do ar no sistema respiratório é devida à ação dos músculos sustentados pelas costelas e pela contração do músculo diafragma, o que resulta na expansão do volume da cavidade torácica e um consequente abaixamento da pressão interna.

A hematose - troca de gases da qual resulta a oxigenação do sangue - ocorre nos alvéolos pulmonares.

A maior parte do O2 (oxigênio) é transportado, no sangue, combinado com a hemoglobina presente nos glóbulos vermelhos.

A maior parte do CO2 é transportado na forma de HCO3- (íon bicarbonato), no plasma sanguíneo. Esse íon resulta da dissociação do ácido carbônico (H2CO3), que é formado nas hemácias pela ação da enzima anidrase carbônica.

O O2, assim como outras substâncias, alcança as células do corpo por difusão, dissolvido no plasma que deixa os capilares e banha os tecidos (líquido intersticial).

Bronquite crônica, enfisema e câncer de pulmão

Bronquite crônica e enfisema pulmonar são doenças causadas por obstrução pulmonar e estão ligadas ao hábito de fumar e à poluição do ar. Mais de 75% dos pacientes com bronquite crônica são ou foram fumantes. O enfisema é muito raro em pessoas que nunca fumaram.

Na bronquite crônica os bronquíolos secretam muco exageradamente, tornando-se comprimidos e inflamados. Os cílios do epitélio bronquiolar deixam de bater, e muco e partículas de sujeira vão-se acumulando. Com isso a passagem de ar é dificultada, a respiração torna-se curta e são constantes os acessos de tosse. Pessoas com bronquite crônica, em geral, acabam por desenvolver enfisema.

O enfisema é a obstrução completa dos bronquíolos, com aumento da resistência à passagem de ar, principalmente durante as expirações. Pode ocorrer, então, rompimento das paredes dos alvéolos, com formação de grandes cavidades. Isso diminui a eficiência dos pulmões em absorver oxigênio, e há sobrecarga do coração como forma de compensar a deficiência pulmonar. A sobrecarga leva a maioria dos pacientes com enfisema a morrer de insuficiência cardíaca.

O hábito de fumar é a principal causa do câncer de pulmão. Estima-se que 80% desse tipo de câncer poderia ser evitado se as pessoas deixassem de fumar. Diversas substâncias contidas no cigarro são comprovadamente cancerígenas. Células cancerosas originadas nos pulmões multiplicam-se rápida e descontroladamente, podendo invadir outros tecidos do corpo, onde originam novos tumores.

Sumário

- Troca de Gases
i. Obtenção de oxigênio
- Respiração no homem
i. Bronquite crônica, enfisema e câncer de pulmão
Assine login Questões a responder image Questões dissertativas image