Redação sobre Tecnologia

Redação sobre Tecnologia

Tablet

Tecnologia

Tema 1

Muitas pessoas afirmam que nossa sociedade se tornou demasiadamente dependente de tecnologia, especialmente de computadores. Você concorda com essa afirmação? Será que nossa sociedade se tornou viciada em tecnologia: computadores, telefones celulares, tablets, etc.? Justifique sua resposta.

Tema 2

É inegável que a tecnologia tornou a vida mais conveniente do que era no passado. Por exemplo, é muito mais fácil e eficaz escrever um e-mail do que uma carta. Mas será que a tecnologia tornou a vida melhor do que era antigamente? Será que as pessoas eram mais felizes quando a vida era mais simples? Justifique seu ponto de vista.

Tema 3

Elabore uma redação em que você descreve o impacto que a tecnologia teve no mercado de trabalho na última década. Não é difícil apontar os impactos positivos. Mas quais foram os negativos?

Tema 4

Há pessoas que acreditam que um dia, as empresas não mais contratarão pessoas para trabalhar, pois todo o trabalho será robotizado. Mas sabemos que há muitas coisas que nenhum robô nunca conseguirá fazer. Aponte algumas delas. Elabore uma redação em que você discute por que o ser humano nunca poderá ser substituído por um robô.

Tema 5

Na sua opinião, o progresso elimina problemas ou simplesmente os substitui por novos? Em outras palavras, será que o progresso é sempre positivo? Justifique sua resposta com exemplos específicos.

Tema 6

Elabore uma redação com base na seguinte afirmação: “Em certas circunstâncias, evitar a tecnologia é algo benéfico, tanto para o indivíduo como para a sociedade”.

Tema 7

Você concorda com a seguinte afirmação: “A tecnologia moderna está unificando o mundo e, assim, criando uma única cultura mundial”. Justifique sua resposta.

Redação UPF 2016 

Cuidado: uso excessivo de internet e celular pode viciar

A tecnologia está definitivamente presente na vida cotidiana. Seja para consultar informações, conversar com amigos e familiares ou apenas entreter, a internet e os celulares não saem das mãos e mentes das pessoas. Por esse motivo, especialistas alertam: o uso excessivo dessas ferramentas pode viciar. Apesar de o distúrbio ainda não constar no Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais, estudos recentes apontam que as mudanças causadas no cérebro pelo abuso na utilização da web são similares aos efeitos de drogas químicas, como o álcool e a cocaína. “A dependência pela tecnologia é comportamental, as outras são químicas, mas ela causa o mesmo desgaste na ponta do neurônio que as drogas”, explica Cristiano Nabuco de Abreu, coordenador do Grupo de Dependências Tecnológicas do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas de São Paulo.

(Disponível em: http://oglobo.globo.com/sociedade/tecnologia/cuidado-uso-excessivo-de-internet-celular-pode-viciar-8636717. Adaptado. Acesso em 22 set. 2015.)

Com base no fragmento acima e em suas leituras sobre o tema, escreva um texto dissertativo-argumentativo, trazendo prós e contras para o uso da tecnologia na vida diária das pessoas.

Redação Mackenzie 2015

Redija uma dissertação desenvolvendo um tema comum aos textos abaixo.

Obs.: O texto deve ter título e estabelecer relação entre o que é apresentado nos textos da coletânea.

TEXTO I

Dados da edição de 2012 da pesquisa Retratos da Leitura no Brasil, encomendada pela Fundação Pró-Livro e pelo Ibope Inteligência, mostram que os brasileiros estão cada vez mais trocando o hábito de ler jornais, revistas, livros e textos na internet por atividades como ver televisão, assistir a filmes em DVD, reunir-se com amigos e família e navegar na rede de computadores por diversão.

Portal G1 Educação

TEXTO II

O problema não é o computador ou a TV, é o uso excessivo deles. Tem criança que fica o dia inteiro com as telinhas ligadas. Não pode. É preciso ter hora para brincar, estudar, sair, comer e, claro, também para o computador e a TV. Tem que ter disciplina.

Ruth Rocha, escritora

TEXTO III

O computador pode ser um instrumento que desenvolva o hábito da leitura em crianças usuárias desta ferramenta podendo, portanto, melhorar a capacidade intelectual delas, e ainda possibilitar a realização de atividades lúdicas que contribuem para atrair a atenção e o interesse de leitores iniciantes.

Valéria Gomes da Silva e Elieuza Aparecida de Lima, pesquisadoras

Redação Puc-PR 2014

Com o avanço acelerado das tecnologias digitais nos últimos 20 anos, houve significativas mudanças nos estilos de vida, nos comportamentos e na saúde de crianças e jovens. O uso, muitas vezes excessivo, de computadores, videogames, internet e celular tem sido apontado como responsável por problemas decorrentes de tais mudanças. Por outro lado, especialistas defendem a possibilidade de se manter uma relação saudável com o mundo virtual, usufruindo de seus benefícios e aspectos positivos.

A partir da leitura dos textos de apoio, elabore um texto de opinião manifestando seu ponto de vista sobre o suposto de que “as novas tecnologias digitais são uma ameaça às crianças e jovens”.
Os textos de apoio estão relacionados ao tema. Selecione deles o que julgar pertinente, articule o conteúdo selecionado com suas experiências de leituras anteriores e siga estas instruções:

Para atender à proposta, seu texto deverá apresentar:
- título;
- tese/ponto de vista bem definido;
- argumentos que sustentem a tese;
- contra-argumentos para desqualificar a tese contrária à sua.

TEXTO 1

(...) Para Marc Prensky, especialista em tecnologia e educação pela Universidade de Yale e autor de vários livros sobre o assunto, entre eles Ensinando nativos digitais (2010), as crianças de hoje já nascem num mundo caracterizado pelas tecnologias e mídias digitais e teriam, portanto, seu perfil cognitivo (de aprendizado) alterado – essas “novas crianças”, segundo o especialista, teriam estruturas cerebrais diferentes e seriam mais rápidas, capazes de realizar muitas tarefas ao mesmo tempo e mais autorais do que as das gerações anteriores. Para ele, há um claro “gap geracional” entre pais ou professores e alunos, no que se refere ao modo como utilizam as novas tecnologias digitais e o que elas causam em seus cérebros. As ideias de Prensky, no entanto, não desfrutam de unanimidade.(...)

FONTE: KAMPF Cristiane. A geração Z e o papel das tecnologias digitais na construção do pensamento. Disponível em: http://www.comciencia.br/comciencia/?section=8&edicao=70&id=870 Acesso em 18/05/2014.

TEXTO 2

 

(...) Portanto, quer seja no contexto educacional, ou não, é preciso que os educadores e/ou a família implementem metodologias/estratégias adequadas para que o uso desses recursos contribua com o desenvolvimento e o processo de construção de conhecimento da criança. Pois está cada vez mais evidente que a tecnologia veio para ficar. Não devemos lutar contra o uso dela. Temos, sim, de lutar para que este uso aconteça de forma crítica e estabelecer para as crianças limites, regras e horários para o uso da tecnologia. Isso significa explorar a tecnologia sem cercear o direito das crianças à acessibilidade.

FONTE: VILHETE. João. As Tecnologias Digitais na Educação da Infância Disponível em: http://www.omepms.org.br/web/upfiles/Arquivos/file_020709084114_As_tecnologias_digitais_na_educacao_da_infancia.pdf. Acesso em 17/05/2014.

TEXTO 3

O mundo virtual vai, progressivamente, confundindo os seus limites com o mundo real no cotidiano de crianças e adolescentes. A internet, o telefone celular e muitos novos equipamentos de tecnologia da informação vão transformando os comportamentos e as formas de se relacionar com a família, com os amigos e com as novas possibilidades de viajar pelo mundo sem sair de casa. Mas, também, surgem novos riscos à saúde para a geração da era digital, devido ao excesso de horas no uso do computador, deficiência de sono e hábitos sedentários, queda do rendimento escolar, pornografia e pedofilia on-line.

FONTE: EISENSTEIN Evelyn e; Susana ESTEFENON. Geração digital: riscos das novas tecnologias para crianças e adolescentes. Disponível em: http://revista.hupe.uerj.br/detalhe_artigo.asp?id=105. Acesso em 17/05/2014.

TEXTO 4

A médica psiquiátrica Evelyn Stein, pesquisadora da área de neurologia e neurociências, e a psicóloga Susana Estefenon apresentam um conjunto de fatores de risco digitais que ameaçam a saúde física e mental das crianças e jovens: mau uso do tempo livre e distorção dos hábitos de sono e alimentação, sexualidade virtual problemática, riscos de pedofilia e pornografia digital, cyberbullying e violência digital, acesso facilitado à ilegalidade e crimes cibernéticos, dentre outros.

FONTE: Revista Hospital Universitário Pedro Ernesto, UERJ. Ano 10, agosto de 2011, p.50.

TEXTO 5

(...) É preciso que nós educadores continuemos nos apropriando dos conhecimentos para a ampla utilização das ferramentas tecnológicas disponíveis nos dias atuais, criando possibilidades de uso dessas tecnologias que agucem no aluno o interesse pela pesquisa dentro e fora da escola, desenvolvendo no educando as capacidades de interpretação, síntese e criticidade, uma vez que a escola é o espaço apropriado para ensinar como as pessoas devem se portar diante das tecnologias que fazem parte do seu cotidiano.

FONTE: Jamille Galvão e outros. As novas tecnologias digitais, as crianças e a educação. Disponível em: http://midiasnaeducacaopara.blogspot.com.br/2009/10/as-novas-tecnologias-digitais-as.html. Acesso em: 17/05/2014.

Redação Puc-PR 2013

Leia a coletânea a seguir e selecione o que julgar pertinente para a realização da proposta. Articule os elementos selecionados com sua experiência de leitura e reflexão. O uso da coletânea é motivador. Não será( ão) aceita(s) cópia(s) integral(is) que caracterize(m) seu texto como mera reprodução dos fragmentos da coletânea.

TEXTO A

Liberdade monitorada: a crescente vigilância eletrônica prejudica a privacidade? 

Todos vigiam todos: o fim do big brother de George Orwell

A União Internacional de Telecomunicações (ITU, em inglês), agência da Organização das Nações Unidas especializada em tecnologias de informação e comunicação (as chamadas TICs) divulgou em seu site, em fevereiro, que no início de 2014 haverá mais de 7 bilhões de telefones celulares em uso no planeta, muitos dos quais equipados com câmeras de vídeo. “Esse dado é ainda mais significativo”, analisa Bruno Cardoso, coordenador de pesquisa do Núcleo de Estudos da Cidadania, Conflito e Violência Urbana (Necvu) da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Para Cardoso, o fato de que os celulares são móveis e podem se conectar instantaneamente à internet nos colocaria diante de um quadro completamente novo quando se analisa a vídeo-vigilância. “É um fato que muitos não veem, mas isso acaba nos afastando significativamente do pesadelo do ‘big brother’, retratado no livro de George Orwell, no qual um (o Estado) vigia muitos (os cidadãos). Atualmente, são bilhões de pessoas podendo captar imagens de diversos tipos de acontecimentos da vida cotidiana, de maneira bastante discreta e frequentemente sem nenhuma preocupação ética ou regulação de conduta. Esse fator é a grande inovação no campo da produção de imagens, que são potencialmente de vigilância, assim como podem ser de denúncia, de lazer, de família, de reuniões sociais ou mesmo de nada”, revela o pesquisador da UFRJ.

O Estado, portanto, não tem mais o privilégio de ser o único capaz de vigiar – se ele utiliza câmeras para monitorar os cidadãos, esses poderiam também, e em um grau muito maior, utilizar suas câmeras para se proteger ou denunciar arbitrariedades do Estado. Cardoso cita casos em que pessoas usam câmeras como forma de se proteger da violência e da arbitrariedade da polícia, assim como de outras formas do poder estatal, ou mesmo como instrumento de denúncia de extorsão, de esquemas de corrupção pública, cobrança de propinas etc.

Por Cristiane Kampf. 10/03/2013. Fonte: Disponível em: www.comciencia.br/comciencia/?section=8&edicao=86&id=1059. Acesso em: 25/03/2013. Adaptado.

TEXTO B

Autor: Matheus Aguiar
Fonte: Disponível em: matheusilustra.blogspot.com.br/2011_07_01_archive.html. Acesso em: 25/03/2013.

Após a leitura dos textos e com base no seu conhecimento de mundo, redija um texto dissertativo-argumentativo em que você expresse a sua opinião sobre o seguinte tema:

O papel dos equipamentos eletrônicos como celulares e tablets na sociedade contemporânea: ferramentas para a liberdade ou para o aprisionamento?

Ao defender o seu ponto de vista, você deverá:

a) apresentar parte da sua experiência pessoal no que tange à problemática;
b) sustentar a tese com argumentos consistentes.

Redação Puc-Go 2013

ORIENTAÇÕES GERAIS

Há, a seguir, três propostas de produção de texto escrito, a partir da concepção de gêneros textuais. Escolha uma delas e desenvolva o seu texto, em prosa, observando atentamente as orientações que acompanham cada proposta. Você deverá se valer das ideias presentes na coletânea desta Prova de Redação (mas sem fazer cópia), bem como de seu conhecimento de mundo e dos fatos da atualidade. Observe que cada proposta se direciona para um gênero específico de texto (artigo de opinião, carta de leitor e crônica). 

COLETÂNEA

TEXTO 1

A tecnologia está nos transformando em animais

Frank Partnoy

[...]

A tecnologia piorou o nosso senso de pressa. Hoje as pessoas esperam uma resposta imediata para tudo com a internet, redes sociais como o Twitter, etc. Essas ferramentas são fantásticas, mas também perigosas. Geralmente as nossas primeiras reações são erradas ou tendenciosas. Elas não nos dão tempo para refletir. Daí voltamos para a questão da diferença entre humanos e animais. Nós somos capazes de pensar, de contemplar o futuro. A tecnologia está nos desumanizando, nos transformando em animais que apenas reagem instantaneamente. Acabamos perdendo muito com isso. por exemplo, houve esse caso terrível do massacre na escola em Newtown, recentemente. Começou uma pressão incrível e imediata na mídia por informações. E ela foi tanta que, inicialmente, uma pessoa errada foi apontada como o atirador. Esse tipo de coisa está acontecendo com cada vez mais frequência.

[...]

Se os médicos em um pronto-socorro puderem tirar alguns segundos ou minutos extras para fazer uma pergunta a mais ao paciente ou examiná-lo melhor, isso é positivo. Os bombeiros se saem melhor se levarem alguns segundos a mais para analisar a situação. Quanto mais especializados nos tornamos em um assunto, maior é o nosso excesso de confiança, e daí é mais fácil cometermos erros. Não é sempre que precisamos ser lentos. O ponto é identificar qual é o seu “universo de tempo” e maximizá-lo coletando informações e refletindo sobre elas.

(PARTNOY, Frank. IstoÉ, São Paulo, n. 2253, Ano 37, p. 6-8, 23 jan. 2013.) 

TEXTO 2

Uma nova ciência social

Luli Radfaher

O mundo está cada vez mais complexo. Os velhos modelos de abstração não conseguem dar conta da crescente sofisticação e interligação dos sistemas digitais. De uma rede de comunicação global, a internet evoluiu para uma espécie de memória coletiva, a que boa parte dos processos é delegada. Smartphones, computação em nuvem e internet das coisas, cada vez mais familiares, mensuram cada transação e, por meio da compilação de dados, definem quem é você, o que faz e onde passa a cada instante.

Big Data, quem diria, pode transformar as ciências humanas. Ao simular a complexidade social a partir de regras simples, como é feito em meteorologia e macroeconomia, computadores descobriram que o comportamento humano pode ser previsível, já que é derivado de opções limitadas pelos ambientes coletivos. Por mais que o livre-arbítrio tente provar o contrário, o estado de um indivíduo conectado depende cada vez mais dos estados de seus vizinhos e das regras que determinam como ele deve responder a eles.

[...]

(RADFAHER, Luli. Disponível em: http://www1.folha.uol. com.br/colunas/luliradfahrer/. Acesso em: 20 jan. 2013.)

TEXTO 3

O lado sombrio da tecnologia

Susan Greenfield

[...] 
“O Alzheimer, à medida que avança, provoca a perda de células cerebrais, conduzindo o paciente a um estado de alienação crescente. [...] computadores, tablets, smartphones, enfim, todos os dispositivos interativos, quando usados excessiva e ininterruptamente, deixam a mente em um estado de confusão sobre o aqui e o agora muito semelhante aos efeitos do Alzheimer. As pessoas nesse estado perdem momentaneamente a noção clara do que seja passado, presente ou futuro. Alguém imerso nesse universo virtual está sempre de prontidão para responder rapidamente a um e-mail ou uma mensagem de bate-papo. Essa disponibilidade instantânea para os apelos digitais interativos, dominada pelos sentidos e não pela cognição, deixa a mente em um estado semelhante ao provocado pelo Alzheimer ou mesmo pelo autismo. Ainda não existem evidências de que o cérebro sadio submetido de maneira intermitente a esses estímulos sofrerá transformações fisiológicas permanentes. No entanto, essa é uma hipótese a se considerar a longo prazo.

[...]

Pelos dados que temos em mãos hoje, ainda não somos capazes de definir esse limite (máximo de tempo de imersão diária no mundo virtual). A questão não é propriamente o tempo que se passa on-line. O cerne do problema é deixar de exercer, por causa da internet, outras atividades essenciais para o desenvolvimento pleno do cérebro e para a manutenção da saúde mental. Passar cinco horas seguidas jogando vídeo game ou no Facebook pode ser bem estimulante, mas são cinco horas a menos para abraçar alguém, caminhar pela praia, conversar cara a cara com um amigo em um bar ou restaurante.[...]

[...]

(GREENFIELD, Susan. Veja, São Paulo, n. 2, Ano 46, p.15-16, 9 jan. 2013.) 

TEXTO 4

A web está criando a geração mais inteligente de todas

Don Tapscott

Você não precisa temer a internet. A mente da geração digital parece ser incrivelmente flexível, adaptável e ter um profundo conhecimento de mídia. A imersão em um ambiente digital e interativo fará as pessoas mais inteligentes do que a média dos sedentários que passam o tempo todo assistindo TV no sofá. Em vez de simplesmente receberem as informações, eles interagem. Em vez de apenas acreditarem que um anunciante na TV está falando a verdade, avaliam minuciosamente a mistura de fatos contraditórios ou ambíguos. A internet deu a oportunidade de tornar essa geração a mais inteligente da história. 

O que conta não é mais o que você sabe: é o que você pode aprender. Hoje, o importante é processar as informações novas o mais rápido possível. Nós estamos na era da informação, quando, à medida que os empregos mudam, você não pode enviar seus empregados para outro treinamento. Nós precisamos aprender constantemente, pelo resto das nossas vidas. 

Esse novo mundo permite que trabalhemos unidos como uma mente só, qualificada para resolver nossos problemas. Agora, os cientistas podem acelerar suas pesquisas ao abrir suas informações e métodos possibilitando que colegas experientes do mundo inteiro colaborem. Médicos podem ajudar comunidades de pacientes onde pessoas com problemas de saúde semelhantes dividem informações, fornecem auxílio mútuo e contribuem para a pesquisa. 

Nós entramos numa era de contribuição. Milhões colaboraram com a Wikipédia, e milhares em iniciativas como o Linux e o Projeto Genoma Humano (PGH). Há agora uma oportunidade histórica. Afinal, o potencial para novos modelos de colaboração não termina com a produção de software, mídia e entretenimento. por que nosso governo, nosso sistema educacional, de saúde, de pesquisas científicas e a produção de energia não têm um “código aberto”? São oportunidades reais e palpáveis, não fantasias. 

Vivemos um tempo excitante, em que todos podem participar na produção de informação de maneira que antes era impossível. para os governos e sociedade como um todo, as evidências mostram que nós podemos armazenar a explosão de conhecimento, colaboração e inovação de negócios para liderarmos vidas mais ricas e cheias, e estimularmos a prosperidade e o desenvolvimento.

(TAPSCOTT, Don. Disponível em: http://revistagalileu. globo.com/cevista/common/. Acesso em: 05 jan. 2013 [Adaptado].)

TEXTO 5

Cabeça

Zeca Baleiro

[...]

Tudo que eu queria era um chiclete e um jornal de esportes para ler na viagem, mas os títulos dos livros nas prateleiras foram atraindo meu olhar. primeiro avistei “A Cabeça de Steve Jobs”. E em seguida “A Cabeça de Peter Drucker”, que, perdoem a minha ignorância na matéria, até então eu não sabia que existia. Óbvio que fui investigar no oráculo de nossa era, o Google. Drucker, segundo li, foi um analista financeiro austríaco, morto em 2005. É um dos mais influentes estudiosos de gestão de todos os tempos, guru de executivos e ícone do mundo dos negócios.

Diante dos livros, pensei: que diabo de fetiche seria esse por cabeças de homens brilhantes, meu Deus? 

Sim, sei que isso é literatura para executivos e empresários. Mas será que há algum incauto entre eles que acredita que, “entrando” na mente de Steve Jobs ou de outro gênio empresarial, terá o mesmo sucesso que ele? Curioso também é notar que, apesar do culto a essas mentes brilhantes, este mundo hipermoderno e ultracapitalista não preza, infelizmente, o que as cabeças têm de mais especial – a própria capacidade de pensar e criar com originalidade e personalidade. O mundo corporativo em geral quer ideias prontas, reconhecidamente bem-sucedidas, não ideias visionárias. Aqui e ali, porém, um pequeno milagre acontece. Aí então o dono da cabeça milagrosa passa a ser objeto de admiração e mesmo adoração (vide os casos de Drucker, Jobs e outros tantos). [...]

(BALEIRO, Zeca. IstoÉ, São Paulo. Disponível em: http:// www.istoe.com.br/colunas-e-blogs/colunista/. Acesso em: 5 jan. 2013.)

PROPOSTA 1 – ARTIGO DE OPINIÃO

Artigo de opinião é um gênero do discurso argumentativo em que o autor expressa a sua opinião sobre determinado tema, deixando bem marcada uma argumentação que sustenta a defesa do ponto de vista apresentado.

O ato de pensar, efetivamente humano, sempre esteve presente na busca do conhecimento empreendida pelo homem. Tal busca permite a reflexão sobre os resultados e os meios necessários para o desenvolvimento. A era tecnológica tem afetado o modo de agir e de pensar do homem contemporâneo, transformando sua noção de tempo, o que o faz desejar rapidez em todos os aspectos da vida humana, desde o acesso a informações até a resolução de problemas. Essa nova configuração, mediada pelas tecnologias, vem modificando, também, sua competência para refletir, planejar e pesquisar.

Imagine a seguinte situação: você é um articulista de uma revista semanal e terá de produzir um texto sobre o tema: Como a Tecnologia Influencia na Capacidade Reflexiva do Homem? Com base nessas informações, na coletânea de textos desta prova e em seus conhecimentos prévios sobre o tema, produza um artigo de opinião, argumentando convincentemente em defesa de seu ponto de vista.

PROPOSTA 2 – CARTA DE LEITOR

Reflita sobre o tema Como a Tecnologia Influencia na Capacidade Reflexiva do Homem? e escreva uma carta de leitor, endereçada ao autor, Don Tapscott (texto 4), em que você defende um ponto de vista contrário ao que ele apresenta em seu artigo.

Considere as marcas de interlocução peculiares ao gênero carta na construção do seu texto e apresente argumentos convincentes. Utilize a coletânea e seus conhecimentos prévios sobre o tema.

PROPOSTA 3 – CRÔNICA

Imagine a seguinte situação: você é um jornalista cético em relação às vantagens da tecnologia. Ao entrar em uma livraria, sua intenção é circular pelo ambiente restrito à mídia impressa, mas é abordado por um amigo, aficionado por tecnologia, que, insistentemente, quer lhe apresentar as últimas novidades tecnológicas e as vantagens do mundo digital. Ele mostra que mesmo nesse ambiente, que antes era dominado por livros, a tecnologia está presente. Ressalta, também, que as pessoas, em sua maioria, circulam pela seção de produtos tecnológicos e de alguma forma, estão conectadas por meio de celular, tablet, smartphone, ipod, netbook etc. Desse diálogo entre você e o amigo, especialista em tecnologia, nasce a ideia e o material para produzir uma crônica. Escreva, então, essa crônica, apresentando o narrador em primeira pessoa e com diálogos que contribuam para o debate sobre o tema Até que Ponto a Tecnologia Tem Contribuído para o Desenvolvimento das Habilidades da Comunicação Verbal?

Redação Unicamp 2012

TEXTO 

Imagine-se na posição de um leigo em informática que, ao ler a matéria Cabeça nas nuvens, reproduzida abaixo, decide buscar informações sobre o que chamam de computação em nuvem. Após conversar com usuários de computador e ler vários textos sobre o assunto (alguns dos quais reproduzidos abaixo em I, II e III), você conclui que o conceito é pouco conhecido e resolve elaborar um verbete para explicá-lo. Nesse verbete, que será publicado em uma enciclopédia on-line destinada a pessoas que não são especializadas em informática, você deverá:

  • - definir computação em nuvem, fornecendo dois exemplos para mostrar que ela já está presente em atividades realizadas cotidianamente pela maioria dos usuários de computador;
  • - apresentar uma vantagem e uma desvantagem que a aplicação da computação em nuvem poderá ter em um futuro próximo.

Cabeça nas nuvens

Quando foi convidado para participar da feira de educação da Microsoft, Diogo Machado já sabia que projeto desenvolver. O estagiário de informática da Escola Estadual Professor Francisco Coelho Ávila Júnior, em Cachoeiro de Itapemirim (ES), estava cansado de ouvir reclamações de alunos que perdiam arquivos no computador. Decidiu criar um sistema para salvar trabalhos na própria internet, como ele já fazia com seus códigos de programação. Dessa forma, se o computador desse pau, o conteúdo ficaria seguro e poderia ser acessado de qualquer máquina. A ideia do recém-formado técnico em informática se baseava em clouding computing (ou computação em nuvem), tecnologia que é a aposta de gigantes como Apple e Google para o armazenamento de dados no futuro.

Em três meses, Diogo desenvolveu o Escola na nuvem (escolananuvem.com.br), um portal em que estudantes e professores se cadastram e podem armazenar e trocar conteúdos, como o trabalho de matemática ou os tópicos da aula anterior. As informações ficam em um disco virtual, sempre disponíveis para consulta via web.

(Extraído de Galileu, no. 241, ago. 2011, São Paulo: Editora Globo, p. 79.)

"Você quer ter uma máquina de lavar ou quer ter a roupa lavada?"

Essa pergunta resume de forma brilhante o conceito de computação em nuvem, que foi abordado em um documentário veiculado recentemente na TV.

(Adaptado de http://toprenda.net/2010/04/computacao-em-nuvem-voce-ja-usa-e-nem-sabia.)

Vamos dizer que você é o executivo de uma grande empresa. Suas responsabilidades incluem assegurar que todos os seus empregados tenham o software e o hardware de que precisam para fazer o seu trabalho. Comprar computadores para todos não é suficiente - você também tem de comprar software ou licenças de software para dar aos empregados as ferramentas que eles exigem.

Em breve, deve haver uma alternativa para executivos como você. Em vez de instalar uma suíte de aplicativos em cada computador, você só teria de carregar uma aplicação. Essa aplicação permitiria aos trabalhadores logar-se em um serviço baseado na web que hospeda todos os programas de que o usuário precisa para o seu trabalho. Máquinas remotas de outra empresa rodariam tudo - de e-mail a processador de textos e a complexos programas de análise de dados. Isso é chamado computação em nuvem e poderia mudar toda a indústria de computadores.

Se você tem uma conta de e-mail com um serviço baseado na web, como Hotmail, Yahoo! ou Gmail, então você já teve experiência com computação em nuvem. Em vez de rodar um programa de e-mail no seu computador, você se loga numa conta de e-mail remotamente pela web.

(Adaptado de Jonathan Strickland, Como funciona a computação em nuvem.Disponível em http://informatica.hsw.uol.com.br/computacao-em-nuvem.htm.)

A simples ideia de determinadas informações ficarem armazenadas em computadores de terceiros (no caso, os fornecedores de serviço), mesmo com documentos garantindo a privacidade e o sigilo, preocupa pessoas, órgãos do governo e, principalmente, empresas. Além disso, há outras questões, como o problema da dependência de acesso à internet: o que fazer quando a conexão cair? Algumas companhias já trabalham em formas de sincronizar aplicações off-line com on-line, mas tecnologias para isso ainda precisam evoluir bastante. 

(Adaptado de O que é Cloud Computing? Disponível em: http://www.infowester.com/cloudcomputing.php.)

Redação Udesc 2012

Redija um texto dissertativo com base na leitura dos textos motivadores abaixo, enfocando o tema: 

O uso da tecnologia como influenciador na sociedade.

TEXTO 1

"É claro que estamos assistindo a todas essas mudanças ocorrendo em nossas vidas, muitas vezes sem nos darmos conta da profundidade e do impacto de tais mudanças. Empresas e profissionais que ainda operam de forma conservadora certamente estão sofrendo as consequências negativas dessas mudanças, ao passo que aqueles que observarem essas tendências e aprenderem não apenas a conviver com elas, mas na medida do possível, a tirar-lhes proveito, poderão conquistar grandes benefícios."

REVISTA VISÃO JURÍDICA, Editora Escala, n. 64, p. 23.

TEXTO 2

http://rizomas.net/charges-sobre-educacao.html. Acesso em 30/10/2011

Redação Fatec 2008

Para desenvolver sua redação, reporte-se ao texto II (“Do jeito que eu quero ser”) e ao texto a seguir. Eles estão associados à proposta de redação e podem servir de subsídio para suas reflexões acerca do tema dado. 

Fatec 2008

“Na vida real, eu sou lixeiro. Nem sequer tenho o ensino fundamental completo. No Second Life, recepciono grupos de novos participantes e tenho a função de ensinar os primeiros passos dentro do jogo. Minha intenção sempre foi dispor de um espaço no qual pudesse interagir com pessoas que eu não teria chance de conhecer na vida real. Há engenheiros, advogados, gente com quem sempre aprendo algo. Quando chego em casa no início da tarde, eu me sento em frente ao computador e passo mais de seis horas no jogo. É praticamente uma nova jornada de trabalho. Também invisto meu dinheiro virtual. Já tenho um terreno e uma loja de roupas e sapatos no Second Life. Não é possível trocar os lindens (a moeda do game) por reais, mas tenho planos de ganhar dinheiro de verdade no jogo. Estou aprendendo a criar roupas para a minha loja, graças a uma amiga que me ensinou a usar as ferramentas certas. Hoje, o meu maior bem real é o computador.”

(Depoimento de Antônio, em Veja Especial – Tecnologia, agosto, 2007, p. 21) 

A partir das informações e idéias expostas nesses textos, desenvolva uma dissertação sobre o tema

AVATARES, MUNDOS VIRTUAIS E LIMITES DA REALIDADE

O Educabras prepara você para o Vestibular e o Enem. Entre na faculdade de sua escolha e siga a carreira de seus sonhos!
Conteúdo e recursos para otimizar seu tempo de estudo e maximizar sua nota no Vestibular e no Enem.

Mais informaçõesimage
image

Agilize e facilite seu trabalho!
- Conteúdo didático para elaborar aulas e usar em classe.
- Banco de dados com milhares de questões por matéria.
- Elabore provas em alguns minutos! Opção de imprimir ou baixar provas e salvá-las em seu cadastro para usá-las no futuro.

Mais informaçõesimage
image

ESTUDO PERSONALIZADO

Programa de Estudo Personalizado com foco nos vestibulares que você prestará:
- Otimize o tempo de estudo: concentre-se nos assuntos relevantes para os vestibulares de sua escolha.
- Opção de incluir o Enem em seu Programa de Estudo Personalizado.
- Conteúdo e Ferramentas: Aulas, resumos, simulados e provas de Vestibulares e do Enem.
* Confira se os vestibulares de sua escolha fazem parte do Programa de Estudo Personalizado

Mais informaçõesimage

Colégios

O Educabras ajuda o colégio a melhorar o desempenho acadêmico dos alunos no Enem e no Vestibular e aumentar o índice de aprovação nas mais conceituadas faculdades do Brasil.
Pacotes de assinaturas: contrate assinaturas a um valor menor para seus professores e alunos.

Mais informaçõesimage