História da Química - O que é Química

História da Química

Por volta do ano 400 a. C, dois filósofos gregos, Demócrito e Leucipo, propuseram uma teoria referente à natureza da matéria. Se dividíssemos qualquer material e o quebrássemos sempre em menores pedaços, chegaríamos a um ponto em que o fragmento remanescente seria tão pequeno, que não seria  mais possível dividi-lo. Este fragmento indivisível eles denominaram de átomo.

Hoje sabemos que o átomo é divisível, mas sabemos também que Demócrito e Leucipo estavam corretos em acreditar que toda matéria é constituída de partículas extremamente pequenas.

Á
TOMO
não divisível

A confirmação de que o átomo é divisível ocorreu no final do século XIX (1887), através da descoberta do elétron pelo cientista inglês Joseph John Thomson.

O conceito de átomo surgiu pela primeira vez por volta do ano 400 a.C, mas somente no final do século XIX ficou comprovado que o átomo poderia ser dividido. Portanto, durante aproximadamente dois milênios, a palavra átomo foi usada para designar o elemento básico que constitui toda a matéria. Hoje em dia continuamos a utilizar o termo átomo (“não divisível”), mesmo sabendo que ele é divisível.

Sabe-se que um átomo tem diâmetro de aproximadamente 10-8 cm.

10-8 cm =  1 /(1 . 108) cm = 1/100.000.000 cm
 


cem milhões

 

Vamos comparar:

Medindo-se 1 cm e dividindo-o em 10 partes iguais temos um milímetro, mostrado na régua abaixo.

 1 /10 cm = 1 mm
 
 

Para se ter uma ideia do tamanho do átomo , ,  teríamos que medir 1 cm e dividi-lo em 100 milhões de partes exatamente iguais.

Matéria
Tudo que tem massa e ocupa um lugar no espaço.

Toda matéria é constituída de átomos. Mas, se o átomo é tão pequeno, como conseguimos enxergar as coisas? A matéria é constituída por um agrupamento gigantesco de átomos.

Até hoje foram descobertos pouco mais de 100 átomos; a combinação entre eles é o que forma as moléculas. A mais famosa molécula, e uma das mais importantes, é a água, representada pelo símbolo H2O. Ou seja, uma molécula de água é o resultado da combinação de dois átomos de hidrogênio e um átomo de oxigênio. Cada molécula de água é constituída por três átomos, mesmo que estes não sejam visíveis a olho nu.

O que enxergamos é o agrupamento de um número muito grande de moléculas, denominadas de substância.

Uma constatação:

O sal de cozinha, cloreto de sódio, é representado pela fórmula NaCl. Em cada 10g deste sal, temos por volta de 200 sextilhões de íons, 100 sextilhões de sódio e 100 sextilhões de cloro, todos agrupados. Quando dissolvemos o sal na água, ocorre uma separação, íon a íon, em partículas tão pequenas que não conseguimos enxergar; daí a impressão do sal ter desaparecido na água.

Íon
Qualquer espécie química que apresenta carga, positiva ou negativa.

Exemplo

Na átomo de sódio

Na+ Íon de sódio

No exemplo acima, falamos de 200 sextilhões de íons em apenas 10g de sal. Mas quanto representa 200 sextilhões?

Se começarmos a contar e levarmos um segundo para contar cada número, quanto tempo levaria para chegar a 200 sextilhões?

Observem: em cada hora temos 3.600 segundos, portanto num dia temos 3.600 . 24 = 86.400 segundos. Em um ano 86.400 . 365 = 31.536.000 (trinta e um milhões, quinhentos e trinta e seis mil).

Este exemplo demonstra, mais uma vez, como o átomo é minúsculo, e que há um número incomensurável de átomos agrupados em toda e qualquer matéria que enxergamos.

A Química é a ciência que estuda a constituição da matéria e suas transformações. Também estuda os átomos, isoladamente, e como se unem, uns aos outros, para formar substâncias. Outro aspecto estudado pela Química é como as substâncias  se transformam na presença de outras  analisando todos os tipos de energia envolvidos no processo químico.

Energia
Não se define. É medida apenas nas mais variadas formas que assume: energia elétrica, energia térmica etc...

Tudo o que tem massa é matéria, e toda matéria é constituída por átomos; portanto, toda matéria é química.

O ar, os alimentos, os medicamentos, as roupas e o  nosso corpo são todos constituídos por produtos químicos.

Popularmente, por pura falta de conhecimento, a química é tratada como alguma coisa nociva. Acredita-se que tudo que tem química faz mal à saúde.

Quando lemos a embalagem de um sorvete vemos que está escrito: "colorido e aromatizado artificialmente", podemos pensar que o alimento “só contém química”, já que muitas pessoas têm a ideia de que "química" é necessariamente prejudicial à saúde.

Na televisão, vemos propagandas de produtos naturais e o apresentador é enfático: “não tem contraindicação, pois não tem química; o produto é 100% natural”.

Acredita-se que

  • Produto artificial = produto químico = nocivo à saúde.
  • Produto natural = não é produto químico = não faz mal à saúde.

Mas estudamos nesta aula que tanto o produto natural, como o produto artificial, tem massa; ambos são matéria e, portanto, ambos são constituídos por produtos químicos.

Vamos tratar a Química de forma correta e justa!

Produto químico Qualquer matéria, independente de fazer bem ou mal à saúde.

As definições corretas são:

Natural Retirado diretamente da natureza.

Artificial Produzido no laboratório.

Há produtos naturais que fazem bem à saúde, como as verduras, frutas e substâncias extraídas desses vegetais; por outro lado, o cigarro também é um produto natural, produzido a partir de plantas, mas sabemos que é muito prejudicial à saúde.

Há produtos artificiais que também fazem bem à saúde: os medicamentos, por exemplo, desde que sejam administrados no momento certo e na quantidade correta. É a má utilização de produtos artificiais que os torna tão prejudiciais.

Vejamos alguns exemplos de produtos químicos que estão ao nosso redor:

  • Produtos Eletrônicos
  • Frutas / Legumes
  • Sorvestes / Carnes
  • Medicamentos
  • Alimentos

Sumário

- História da Química
Assine login Questões a responder image