Texto em prosa

Quando alguém se refere a texto, é comum que a expressão remeta a uma página impressa. É um hábito escolar que termina por generalizar o conceito. Entretanto, é necessário reconhecer que o texto é a expressão discursiva, isto é, forma um discurso: pode estar escrito ou ser falado.

Discurso (ou texto) é toda atividade de comunicação falada ou escrita. Há discurso (texto) quando as pessoas se cumprimentam, quando discutem um assunto, quando escrevem/leem uma carta, um livro; quando, enfim, contatam o seu semelhante, a fim de satisfazer uma necessidade ou uma intenção. Aqui, damos prioridade à modalidade escrita de comunicação.

Leia-se o que diz o Dicionário de Linguística (Cultrix): "Chama-se texto o conjunto de enunciados linguísticos submetidos à análise: o texto é então uma amostra do comportamento linguístico que pode ser escrito ou falado." Claro que a informação aborda um conceito meramente material do que seja o texto. Entretanto, vale notar que o texto só se realiza dentro de circunstâncias físicas e psicológicas, isto é, dentro de uma situação de comunicação. Tais situações formam o contexto. O texto só existe dentro de um contexto.

Francisco Platão Savioli e José Luiz Fiorin, em Lições de Texto: Leitura e Redação, Ática, 1966, mostram que um texto tem coerência de sentido. Assim o texto não se caracteriza por uma sequência qualquer de palavras. Ele impõe relações sintáticas - termos que exercem funções — e semânticas — significados presos ao contexto. Um elemento tomado à parte do texto não pode apresentar coerência de sentido, mesmo porque caberia em outros textos-contextos. 

Os mesmos autores - de cuja teoria aqui nos valemos - apontam para o fato de que o texto resulta das experiências do homem inserido em seu tempo e em seu grupo social. Desta forma, o texto fixa os instantes da sociedade humana, sob uma ótica personalíssima: o contexto em que se coloca.  

Os fragmentos de texto seguintes, extraídos do livro O Ateneu, de Raul Pompeia, foram escritos entre 1886 e 1888. Época já bem distante de nós. Assim é de se notar que há referências, alusões, descrições e mesmo uma forma de expressão linguística - à parte o valor artístico-literário - que mostram o homem daquele tempo, apontam para um contexto. Certamente o desconhecimento daquele contexto trará dificuldade de compreensão para o leitor pós-moderno.

"Vais encontrar o mundo - disse-me meu pai, à porta do Ateneu - Coragem para a luta. 
Bastante experimentei depois a verdade deste aviso, que me despia, num gesto, das ilusões de criança educada exoticamente na estufa de carinho, no regime do amor doméstico; diferente do que se encontra fora, tão diferente que parece o poema dos cuidados maternos um artifício sentimental, com a vantagem única de fazer mais sensível a criatura à impressão rude do primeiro ensinamento, têmpera brusca da vitalidade na influência de um novo clima rigoroso. Lembramo-nos, entretanto, com saudade hipócrita, dos felizes tempos - com a mesma incerteza de hoje, sob outro aspecto, não nos houvesse perseguido outrora, e não viesse de longe a enfiada das decepções que nos ultrajam."(...) 
"Frequentara como externo, durante alguns meses, uma escola familiar do Caminho Novo, onde algumas senhoras inglesas, sob a direção do pai, distribuíam educação à infância como melhor lhes parecia." (...) 
"Um dia, meu pai tomou-me pela mão, minha mãe beijou-me a testa, molhando-me de lágrimas os cabelos, eu parti." (...) 
"Ateneu era um grande colégio da época. Afamado por um sistema de nutrido reclame, ..."

Notemos a forma de expressão, o vocabulário e o contexto da narrativa:

a) Uso da segunda pessoa do singular - no discurso do pai: "Vais encontrar o mundo...", que, no contexto da região Sudeste, hoje, causa certa estranheza, principalmente numa relação informal.

b) A forma e o conteúdo que descrevem a maneira de criação: "criança educada exoticamente na estufa de carinho,..."  Rigorosamente, que criança de nossa época é assim criada?

c) A primeira escola que o narrador-personagem frequentou por algum tempo não é modelo para a maioria das escolas atuais.

d) A lacrimosa e romântica partida para o Ateneu remete a outros tempos.

e) O uso da palavra reclame em lugar de propaganda (ou, mais atual, de "marketing")  afasta muito o relato da vivência hodierna.

Tudo insere o texto num contexto histórico, por isto temporal, que deve ser compreendido e avaliado pelo receptor/leitor.

Sumário

- Texto em prosa
- Fazendo Paráfrase de Texto em Prosa
Assine login Questões de Revisão image