Significação das Palavras

Sinônimos

Sinônimos são palavras de significado igual ou parecido. As palavras de significado igual são os sinônimos perfeitos. As palavras de significado aproximado são os sinônimos imperfeitos.

Antônimos

Antônimos são palavras que têm significado oposto. Amor e ódio, bom e mau são exemplos de antônimos.

Palavras homônimas

Chamam-se homônimas todas as palavras que apresentam coincidências. Tais coincidências podem ser de grafia ou de pronúncia ou mesmo de ambas. Veja alguns casos.

a) Palavras homógrafas: têm coincidência na grafia.

Exemplos:

Tragam-me uma colher.

Vou colher bons frutos.

O substantivo e o verbo apresentam a mesma grafia, embora se pronunciem de forma diferente. São homônimas. Chamam-se homógrafas, porque têm a mesma grafia.

b) Palavras homófonas

Exemplos:

Ouçam este concerto!

Este carro já não tem conserto.

 

O substantivo conserto (= reforma) tem a mesma pronúncia do substantivo concerto (= acordo), embora sejam grafados diferentemente. São homófonas.

c) Palavras homônimas perfeitas: coincidência de grafia e de pronúncia.

Exemplos:

Ele vende mangas e laranjas.
A costureira vai reformar as mangas da camisa.

Palavras parônimas

Confira alguns exemplos de palavras que nunca apresentam coincidência gráfica ou fonética; apenas são semelhantes.

Palavra

Significado

Palavra

Significado

absolver

perdoar

absorver

reter

acender

pôr fogo

ascender

elevar-se

acento

sinal gráfico

assento

lugar

acurado

feito com esmero

apurado

fino

aferir

conferir

auferir

obter lucro

amoral

indiferente à moral

imoral

devasso

comprimento

extensão

cumprimento

saudação

conjetura

hipótese

conjuntura

situação

deferir

atender

diferir

diferenciar

Existem expressões parônimas que devem chamar a atenção do usuário da língua, uma vez que seu mau emprego denota despreparo quanto ao vocabulário da língua. Eis mais alguns:

A PAR:

Sugere estar bem informado, ter conhecimento de algo.

Exemplo:

Estou a par de sua situação.

AO PAR:

Emprega-se relativamente à cotação monetária.

Exemplo:

O real e o dólar hoje estão ao par.

AFIM:

Aquilo que é igual, semelhante, análogo.

Exemplo:

O objetivo do mestre deve ser afim ao dos alunos.

A FIM (DE):

Expressa ideia de finalidade.

Exemplo:

Não estou a fim de sair hoje.

À MEDIDA QUE:

Expressa relação de proporcionalidade; equivale à expressão à proporção que.

Exemplo:

À medida que estudo, progrido.

NA MEDIDA EM QUE:

Corresponde a tendo em vista que. Expressa uma noção causal.

Exemplo:

Na medida em que estava despreparado, tive problemas na prova.

SENÃO:

Equivale às expressões do contrário ou a não ser.

Exemplos:

Tome o remédio, senão pode ficar pior. Você nada faz, senão interromper o trânsito.

SE NÃO:

Trata-se de duas palavras: conjunção condicional se e advérbio não. Equivale à conjunção caso.

Exemplo:

Só irei à cidade, se não chover. (caso não chova.).

 

Muitas pessoas têm dúvida quanto a usar senão. Essa palavra equivale à expressão do contrário. Isso quer dizer que o aluno deve comportar-se; do contrário, será expulso da sala. Entretanto, quando se quer indicar condição, usa-se se não, equivalendo a caso não. Caso o professor não o queira na sala, que o expulse!

CLASSIFICAÇÃO E USOS DA PALAVRA "QUE"

a) Substantivo:

desde que haja determinante (artigo, numeral ou pronome adjetivo). Aparece sempre com acento circunflexo.

Exemplos:

Ela sempre tem um quê de felicidade nos olhos.

Naquela prova, dois quês salvaram a minha pele. Este quê sempre causa algum problema.

b) Interjeição:

seguido de ponto de exclamação. Exprime emoção ou admiração. Também acentuado.

Exemplo:

Quê! Você por aqui?!

c) Advérbio:

denota intensidade. Equivale a quão. Precede um adjetivo em frases exclamativas.

Exemplo:

Que lindo está o dia!

d) Pronome adjetivo:

em orações interrogativas (pronome interrogativo) e exclamativas (pronome indefinido).

Exemplos:

Que horas são?

Que trabalho espetacular!

e) Pronome substantivo:

em orações interrogativas (interrogativo) e em orações exclamativas (indefinido).

Exemplos:

Que disseste?

Que preguiça!

f) Pronome relativo:

inicia orações subordinadas adjetivas; sempre retoma o termo antecedente posto na oração principal.

Exemplo:

Nunca comprei o livro que eu quero. (= eu quero o livro). Neste caso a palavra "que" refere-se ao antecedente o livro.

g) Conjunção:

pode ser coordenativa (aditiva: = e), (adversativa: = mas) (explicativa: = pois).

Exemplos:

Fala que fala e não o entendemos. Outro que não eu irá ao escritório. Volte rápido que tenho pressa. Pode ser subordinativa. Vejam-se as orações subordinadas substantivas e as subordinadas adverbiais.

h) Preposição:

Equivale a de.

Exemplo:

Tenho que sair mais cedo. (= Tenho de sair mais cedo.).

Notas:

  1. Na expressão é que, funciona como partícula de realce (expletiva). Exemplo: Isso é que é trabalho!
  2. Em final de frase sempre se acentua a palavra "que".

CLASSIFICAÇÃO E USOS DA PALAVRA "SE"

a) Conjunção:

pode ser integrante, quando introduz as orações subordinadas substantivas, ou subordinativa, caso em que introduz orações subordinadas adverbiais. Para mais esclarecimentos, é bom estudar o período composto por subordinação.

b) Pronome apassivador:

É também chamado de partícula apassivadora. Emprega-se com verbos transitivos diretos e seu papel é transformar o objeto direto em sujeito paciente.

Exemplo:

VENDER                 CASA
  (v.t.d.)                     (o.d.)
                    (SE)
        (pronome apassivador)

VENDE - SE         CASA
      (v.t.d.)            (sujeito paciente)

c) Índice de indeterminação do sujeito:

Ocorre nos casos em que o sujeito da oração deve estar indeterminado, ou seja, o processo faz alusão a um fato genérico, sem que se esclareça o agente. O índice de indeterminação do sujeito não ocorre com verbos transitivos diretos, exceto quando o objeto direto estiver preposicionado.

Exemplos:

Vive-se bem aqui em São Paulo. Necessita-se de bons políticos. Era-se muito feliz na infância. Admira-se a Vieira.

Nota: Havendo índice de indeterminação do sujeito, o verbo permanece na terceira pessoa do singular.

d) Pronome reflexivo e recíproco:

Casos em que a partícula se denota um processo reflexivo, isto é, a ação indicada pelo verbo recai no próprio sujeito (= a si mesmo). Será recíproco sempre que o verbo denotar reciprocidade de ação. Denota a expressão um ao outro.

Exemplos:

O rapaz considerou-se ( = a si mesmo) ótimo aluno.   

Os jogadores agrediram-se (= uns aos outros) durante a partida de futebol.

e) Partícula de realce:

Em desuso na linguagem atual, serve para enfatizar o processo verbal.

Exemplo:

As meninas sorriam-se felizes.

CLASSIFICAÇÃO E USOS DA PALAVRA "A"

1. Artigo definido feminino:

Corresponde ao indefinido uma. É palavra determinante de um substantivo.

Exemplo:

Comprei a casa. (= Comprei uma casa.).

2. Preposição:

Elemento de relação entre dois termos. Opera nas relações de regência nominal ou verbal. Muitas vezes equivale à preposição para.

Exemplos:

É muito fácil ir daqui a Santos. Refiro-me a todos os alunos. A menina está a namorar.

3. Pronome pessoal oblíquo átono:

Corresponde, na forma oblíqua, ao pronome reto ela.

Exemplo:

Nunca a vi mais gorda.  (Nunca vi "ela" mais gorda.).

4. Pronome demonstrativo:

Equivale a esta, aquela.

Exemplos:

Tenho duas camisas novas, a que uso hoje está manchada, mas a que guardei não apresenta defeitos.

Nota:  A forma corresponde ao presente do indicativo do verbo haver e é empregada para expressar:

  • fato já ocorrido: Cheguei da Europa dois meses.
  • fato que se desenvolve: Estou aqui duas horas.
  • existência: árvores em toda a extensão do caminho.
  • ocorrência: Às vezes,  desastres horríveis.
  • permanência: , ainda, muitas pessoas na sala de espera.

EMPREGO DAS FORMAS POR QUE, PORQUE

Por que

  1. Início de frase interrogativa. Exemplo: Por que há tantos buracos na rua?
  2. Nas frases interrogativas indiretas (equivale a (o) motivo pelo qual/os motivos pelos quais). Exemplo: Diga-me por que existem pessoas ruins.
  3. Como pronome relativo, precedido de preposição por. Equivale às formas pelo qual, pela qual, pelos quais, pelas quais.

Exemplo: 

Não sabemos os motivos por que ela desistiu do noivado. 

b. Após os vocábulos eis e daí, sempre se subentende a palavra motivo, o que justifica a grafia da palavra separadamente. Exemplo: Ele nunca presta atenção a nada; eis por que comete tantos erros.

Por quê

1. Empregado apenas em final de frase. O acento indica ser um monossílabo tônico.

Exemplo:

Ela desistiu do emprego por quê?

 

2. No meio da frase, quando a palavra motivo está subentendida.

Exemplo:

Ele me chamou, por quê, se eu estava dormindo.

Porque

1. Resposta de pergunta direta:

Exemplos:

Por que você não foi à escola? Porque não estava me sentindo bem.

2. Classifica-se como conjunção. Expressa causa, explicação ou finalidade. 

Exemplos:

Traga-me os documentos porque devo levá-los ao advogado.  

 Morreu porque bebeu veneno.

Porquê

Deve ser acentuado graficamente quando for substantivo. Para ser classificado assim, deverá ser precedido por um artigo definido, um artigo indefinido, um pronome possessivo ou outro determinante. 

Exemplos:

O porquê de sua mágoa não ficou muito claro. 
Todo porquê causa um certo desconforto.
Dois porquês salvaram-me da reprovação no exame.

A palavra porquê dá margem a muitas dúvidas.

EMPREGO DAS FORMAS MAU e MAL

MAU

Mau é sempre um adjetivo; seu antônimo é bom. Mau modifica um substantivo.

Exemplos:

Era um mau aluno. (O adjetivo mau refere-se ao substantivo aluno).

Mau (com u) é usado somente quando é possível trocá-lo por bom.

Exemplos:

Era um mau aluno.
Era um bom aluno. 

MAL

Mal pode ser um advérbio de modo (antônimo de bem), uma conjunção temporal (equivale a assim que), ou um substantivo (quando precedido de artigo ou de outro determinante).

Exemplos:

a) advérbio de modo (o modo como alguém agiu): A criança se comportou mal.
b) conjunção temporal (indica tempo, significa "assim que"): Mal chegou, foi dormir.
c) substantivo: O mal neste mundo deve ser combatido.

 

Quanto mal! O ladrão usou um substantivo: mal é sinônimo de maldade, de problema. Escreve-se com l. O guarda falou do modo como ele agiu: muito mal! É um advérbio. A mulher quis dizer que o ato criminoso ocorreu naquele exato momento: mal ela chegou ao local. É uma conjunção e equivale a assim que. Tudo com l!

EMPREGO DAS FORMAS ONDE e AONDE

ONDE

O advérbio onde indica permanência em um lugar. Com os verbos que NÃO dão ideia de movimento, emprega-se onde.

Por exemplo:

Não sei onde ele está.

AONDE

O advérbio aonde indica movimento para um lugar. Emprega-se aonde com verbos que dão ideia de movimento e equivalem a para onde: par [a-onde].

Por exemplo:

Sua esposa sabe aonde você vai?

CESSÃO, SESSÃO, SECÇÃO/SEÇÃO

a) Cessar significa dar ou ceder.

Exemplos:

A autora fez a cessão de seus direitos autorais.
A cessão do território para a construção de um hospital foi um ato de filantropia.

b) Sessão refere-se a um intervalo de tempo.

Exemplos:

A sessão de cinema já começou.
Devido ao início do conflito, houve uma sessão extraordinária das Nações Unidas.

c) Secção (ou seção) significa um segmento ou uma parte de um todo.

Exemplo:

Os biscoitos se encontram na seção de guloseimas.

O médico procedeu à secção da aorta.

HÁ/A

a) é utilizado para indicar tempo passado. Equivale a faz.

Exemplos:

um ano que não venho aqui.
Eu cheguei de viagem uma semana.

b) A é utilizado para indicar tempo futuro e distância.

Exemplos:

Ela voltará ao Brasil daqui a dois meses.
Daqui a uma semana viajarei para o Rio de Janeiro.

Moro a duas quadras da praia.

 

Deve-se usar  para indicar um fato que já ocorreu, no passado. É a mesma coisa que dizer "Faz meses que não o vejo!" Mas, para indicar distância, não se usa . Emprega-se a preposição a. Para indicar trajeto também deve-se usar a.

Nota: Há + atrás constitui redundância. É erro dizer: "Há dois anos atrás". Use: "Há dois anos" ou "Dois anos atrás".

  • Aulas relacionadas

Sumário

- Sinônimos
- Antônimos
- Palavras homônimas
- Palavras parônimas
- Classificação e usos da palavra "que".
- Classificação e usos da palavra "se"
- Classificação e usos da palavra "a"
- Emprego das formas por que, porque
- Emprego das formas mau e mal
- Emprego das formas onde e aonde
Assine login Questões de Revisão image Questões dissertativas image Questões para o Enem image