Regência e Crase

Chama-se regência ao processo de estabelecer relação lógica entre o verbo e seus termos (regência verbal) ou entre os nomes e seus termos (regência nominal).

Regência nominal

Para os falantes da língua medianamente preparados, para aqueles que convivem em ambientes de linguajar mais próximo da gramática normativa, a sintaxe de regência nominal não é problema muito sério, uma vez que já assimilaram bons hábitos linguísticos. Contudo, é sempre necessário consultar os dicionários de regência nominal ou estudar as listas inseridas nas gramáticas mais recomendadas.

REGÊNCIAS MAIS USADAS PARA ALGUNS NOMES

Substantivos: admiração a, por; atentado  a, contra; aversão a, para, por; avidez por;  bacharel em; capacidade de, para; devoção a, por; doutor em; dúvida acerca de, em, sobre; horror a; impaciência com; ojeriza a, por;  respeito a, com, para com.

Adjetivos: acessível a; acostumado com, a; afável com, para com; agradável a; alheio a; análogo a; ansioso de, por; apto a, para; ávido de, por; benéfico a; capaz de, para; compatível com; contemporâneo de, a; contíguo a; entendido em; hábil em; habituado a;  indeciso em, para; liberal com; morador em; nocivo a, para; parco de, em; preferível a; prejudicial a; propício a; próximo a, de; residente em;  semelhante a; sensível a, com; sito em; suspeito de; socorrido em; vazio de

Regência verbal

A regência verbal disciplina o emprego da predicação verbal. De acordo com a norma culta da língua, determina a transitividade ou intransitividade de um verbo. Ocorre que, de acordo com o contexto em que aparece, os verbos podem mudar o significado, alterando, quase sempre, o processo de regência. Como exemplo, observe:

perfumes deliciosos

(=inalar)
aspirar
(=desejar)
perfumes deliciosos
objeto direto
a um bom cargo
objeto indireto

Regência de alguns verbos

1. São transitivos diretos, quando empregados nas construções mais usuais da nossa língua os seguintes verbos:

Abandonar, abençoar, aborrecer, abraçar, acompanhar, acusar, admirar, adorar, alegrar, ameaçar, amolar, auxiliar, castigar, condenar, conhecer, conservar, convidar, estimar, defender, eleger, estimar, humilhar, namorar, ouvir, prejudicar, prezar, proteger, respeitar, socorrer, suportar, ver, visitar.

Nota:

Nunca esquecer que a regência verbal determina uma predicação adequada ao contexto em que se emprega o verbo.

2. São transitivos indiretos, se empregados em construções mais usuais de nossa língua, os verbos seguintes:

Simpatizar/antipatizar (com alguém); consistir (em alguma coisa); obedecer/desobedecer (a alguém/algo); responder (a alguém/algo).

3. Verbos que mudam o significado, dependendo do processo de regência a que se submetem no contexto:

Agradar:
acariciar: transitivo direto.
causar satisfação, contentar: transitivo indireto  (a).

Aspirar:
Ter aspiração, vontade: transitivo indireto (a).
inalar, cheirar: transitivo direto.

Assistir:
ver: transitivo indireto (a).
ajudar: transitivo direto ou indireto (a).
caber, pertencer: transitivo indireto (a)
residir: intransitivo com adjunto adverbial de lugar (em).

Chamar:
convocar, intimar, convidar: transitivo direto.
apelidar, xingar, elogiar: transitivo direto ou indireto (a). Tem predicativo do objeto direto ou indireto.
rezar: transitivo indireto (por).

Custar:
ideia de preço: intransitivo. Acompanha adjunto adverbial de preço ou de valor.
ser trabalhoso, difícil: transitivo indireto. O sujeito é oracional.

Proceder:
agir: intransitivo.
ter origem: intransitivo (adjunto adverbial introduzido por de).
dar início, providenciar: transitivo indireto (a).

Querer:
estimar, gostar, amar: transitivo indireto (a).
pretender, cobiçar: transitivo direto.

Visar:
pretender: transitivo indireto (a). Nas demais acepções é transitivo direto.

4. São transitivos diretos e indiretos os seguintes verbos, desde que usados nas construções mais usuais de nossa língua:

Pagar, perdoar e agradecer: esses verbos têm objeto direto de coisa e objeto indireto de pessoa.

Informar, avisar, prevenir, certificar: tais verbos podem inverter os objetos; o direto pode passar a indireto e vice versa.

Preferir: (uma coisa a outra) Nunca aceita mais, menos,  que ou do que.

5. Os verbos esquecer e lembrar serão transitivos indiretos, se usados pronominalmente. Caso contrário, serão transitivos diretos.

  • Aulas relacionadas