Colocação Pronominal: Próclise, Ênclise e Mesóclise

A língua portuguesa culta, falada no Brasil, por certa teimosia, continua aderindo a normas de colocação do pronome oblíquo átono junto a verbos, conforme os ditames de Portugal. Daí a grande disparidade entre os processos do uso erudito e do uso cotidiano. Muitos escritores modernos e contemporâneos de peso em nossas letras já aboliram a prática dessa norma; mas ela existe!

São pronomes oblíquos átonos aqueles que, postos depois de um verbo, ou intercalado nele, usam o hífen. 

Ênclise

A ênclise consiste na posição do pronome oblíquo átono após a forma verbal. É a posição normal, não atraída do pronome. 

Exemplos:

Convidaram-me para a reunião.

Apoio-o incondicionalmente.

Mesóclise

mesóclise ocorre com a intercalação do oblíquo na forma verbal. Aparece entre hifens. Só ocorre com verbos flexionados no futuro do indicativo, quando iniciando período ou depois de sinal de pontuação.

Exemplos:

Dar-me-ás boas notícias?        

Ainda hoje, entregar-me-ás os documentos.

Nota:

A própria expressão formal, em nossos dias, tem abandonado essa colocação que dá um ar esnobe, antipático à expressão.

Próclise

Chama-se próclise à anteposição do pronome oblíquo ao verbo. Não há hífen e segue algumas regras.

Exemplo:

Nunca me procuraram para esclarecimentos.

Ocorre quando há palavras eufonicamente atrativas, a saber:

a) Sentido negativo sem pausa (advérbios, pronomes indefinidos).

Exemplos:

Nunca me deste apoio.  

Ninguém te abandonou.

b) Pronomes demonstrativos.

Exemplo:

Isto me causa angústia.

c) Palavras que e quem.

Exemplos:

Espero que me ouças. 

Não sei quem me procurou hoje.

d) Verbo no gerúndio precedido de “em”.

Exemplo:

Em me procurando, atenderei.

e) Orações optativas com sujeito anteposto ao verbo.

Exemplo:

Bons ventos te tragam até aqui!

f)  Orações exclamativas, iniciadas com palavras exclamativas.

Exemplo:

Quanto me aborreces!

g) Orações interrogativas, iniciadas por palavras interrogativas.

Exemplo:

Como te enganaste assim?

Colocação do pronome átono no tempo composto e na locução verbal

No tempo composto basta seguir as mesmas regras do tempo simples (dadas acima), lembrando que nunca se prende o pronome oblíquo átono a um particípio. Assim, é incorreto dizer-se: Haviam falado-me. O correto será: Haviam-me falado.

No caso das locuções verbais (verbo auxiliar + infinitivo ou gerúndio) vejam-se os exemplos:

a) verbo auxiliar + infinitivo.

Exemplos:

Posso dizer-lhe.  
Posso-lhe dizer. 

Não posso dizer-lhe.  
Não lhe posso dizer.

b) verbo auxiliar + preposição + infinitivo.

Exemplos:

Estou a esperá-lo.
Não estou a esperá-lo.

c) Verbo auxiliar + gerúndio. 

Exemplos:

Estava observando-o.
Não o estava observando.
Não estava observando-o .

Nota:

Apesar das normas de colocação dos pronomes oblíquos átonos, devem sempre prevalecer o bom senso e os ditames do estilo.

  • Aulas relacionadas

Sumário

- Ênclise
- Mesóclise
- Próclise
- Colocação do pronome átono no tempo composto e na locução verbal
Assine login Questões a responder image