Velha Ordem Mundial - Mundo bipolar

Velha Ordem Mundial - Mundo bipolar

A Velha Ordem Mundial foi o período em que vigorou a Guerra Fria. A Velha Ordem Mundial se iniciou em 1945, logo após a Segunda Guerra Mundial, e se encerrou com a queda do Muro de Berlim – símbolo da dissolução da União Soviética.

GUERRA FRIA - MUNDO BIPOLAR

A cooperação dos Aliados possibilitou a derrota das forças do Eixo na Segunda Guerra Mundial. Com a esperança de construir uma paz duradoura e evitar futuras guerras, os líderes Aliados planejavam cooperar após a guerra. Mas as relações entre a União Soviética e os outros países Aliados logo deterioraram, gerando uma nova era de tensão mundial.

CONFERÊNCIA DE BRETTON WOODS

A Conferência de Bretton Woods, realizada em julho de 1944, tinha como objetivo a reconstrução da economia mundial. Quarenta e cinco países aliados se reuniram em Bretton Woods, nos Estados Unidos, onde ficou acordado a criação de duas organizações internacionais: o Banco Mundial (conhecido também como Banco Internacional de Reconstrução e Desenvolvimento - Bird) e o Fundo Monetário Internacional (FMI). Nessa reunião, também foi definido o novo padrão monetário internacional: o dólar ouro. O Banco Central Americano (o Federal Reserve - Board of Governors of the Federal Reserve System) garantia uma paridade fixa de 35 dólares por uma onça (31,1g) de ouro.

O dólar se consagrava como a nova moeda de reserva mundial, com livre circulação no mundo. A Conferência de Bretton Woods marcou o início da dominância econômica americana.

FIM DA SEGUNDA GUERRA MUNDIAL

Ao fim da Segunda Guerra Mundial, a Europa Ocidental deixou de ser o centro de poder no mundo. A França e a Inglaterra estavam enfraquecidas e a Itália, a Alemanha e o Japão, derrotados. Surgia uma nova fase geopolítica e econômica no mundo: os Estados Unidos e a União Soviética haviam se tornado as duas maiores potências.

Apesar de sua aliança contra a Alemanha nazista, as relações entre os dois países - mesmo durante o conflito - haviam sido frias. De fato, ao final da Segunda Guerra Mundial, as duas superpotências se encontravam em condições bastante diferentes.

Os Estados Unidos não sofreram a destruição das batalhas. O país era rico em recursos naturais e liderava a agricultura e indústria mundial. O país também detinha armas nucleares, ameaça militar poderosa contra outros países.

Já a União Soviética sofreu enormes perdas no decorrer da Segunda Guerra Mundial. Quatro anos de terríveis batalhas custaram a vida de milhões de soviéticos. Ademais, as regiões ocidentais do país foram destruídas e os soviéticos estavam determinados a proteger suas fronteiras ocidentais de futuros invasores.

Stalin usou o poder militar para estabelecer governos comunistas títeres nos países que seu exército havia ocupado: Polônia, Checoslováquia, Hungria, Romênia e Bulgária. Esses países eram conhecidos como "satélites" da União Soviética. Na Albânia e Iugoslávia, os comunistas também ganharam poder após a guerra. Todas essas nações tornaram-se parte do bloco soviético. A União Soviética estava expandindo seu território e sua influência - delineando o que seria chamado de bloco socialista.

Os EUA saíram da Segunda Guerra Mundial como potência hegemônica no mundo capitalista e estenderam seu comércio para quase todas as nações, ocupando o 1º lugar na produção mundial, enquanto a URSS surgia como potência do bloco comunista.

Ao final da Guerra, os Estados Unidos e a URSS entraram em uma disputa acirrada pela hegemonia no globo. A política de hostilidades entre os Estados Unidos e a União Soviética no pós-guerra é chamada de Guerra Fria. O termo Cortina de Ferro era usado para descrever a barreira política entre o bloco soviético e o Ocidente.

A Guerra Fria se estendeu de 1947 até o final dos anos 1980, quando ocorreu a queda do Muro de Berlim (1989), grande símbolo do bloco socialista. O Muro de Berlim (Alemanha) era um muro que separava Berlim Ocidental (capitalista) de Berlim Oriental (comunista). O Muro visava evitar a fuga de cidadãos da República Democrática da Alemanha, Oriental e comunista, para o Ocidente democrata. A derrubada do muro se tornou um símbolo da queda dos regimes comunistas.

INÍCIO DA GUERRA FRIA

Guerra Fria
Guerra Fria

O rompimento total entre as duas potências ocorreu em 1947, com o desenvolvimento da Doutrina Truman.

Em resposta às atividades da expansão soviética, o presidente norte-americano Harry Truman anunciou uma nova política internacional, chamada de Doutrina Truman. Falando ao Congresso em março de 1947, o presidente pediu o envio de ajuda militar e econômica para Grécia e Turquia. Pediu, ainda, que os Estados Unidos ajudassem qualquer país necessitando de apoio para resistir ao comunismo. A Doutrina Truman tornou-se a base política da Guerra Fria, tendo como objetivo conter a expansão comunista em outras nações do mundo.

A Doutrina Truman visava impedir o expansionismo soviético. Complementado a Doutrina Truman, em junho de 1947, o Secretário de Estado George C. Marshall anunciou um programa ambicioso para ajudar essas nações, denominado de Plano Marshall. Esse plano era uma ajuda econômica a todos os países europeus que precisavam de auxilio para sua reconstrução. O objetivo do Plano Marshall era consolidar o capitalismo e frear a influência da URSS e do comunismo.

O Plano Marshall foi oferecido a todos os países europeus, mas Stalin impediu que os satélites soviéticos aceitassem a ajuda. Em 1949, a União Soviética lançou um plano de cooperação entre os países da Cortina de Ferro, que foi chamado de Comecon (Conselho para Assistência Econômica Mútua). Mesmo assim a economia da Europa Oriental não cresceu tão rapidamente quanto a dos países da Europa Ocidental.

Guerra Fria - guerra ideológica e de expansão de áreas de influência, representando dois sistemas socioeconômicos distintos: o socialismo e o capitalismo.

MUNDO BIPOLAR

O período da Guerra Fria foi marcado em termos geopolíticos e econômicos por um domínio bipolar. De um lado o líder do capitalismo - os Estados Unidos - e de outro o líder do comunismo - a União Soviética.

As duas potências buscavam ampliar as "zonas de influência" interferindo em assuntos internos de outros países com recursos econômicos e militares.

O mundo vivia em tensão e medo de uma Terceira Guerra Mundial, mesmo sendo um tanto improvável. Ambas as potência possuíam armamentos com poderes devastadores de destruição, que causariam estragos em escala mundial e sem vencedores.

Em 1949 foi criada a OTAN - Organização do Tratado do Atlântico Norte. Seu objetivo era defender o mundo ocidental da ameaça soviética. A OTAN era inicialmente composta pelos Estados Unidos, Canadá e vários países da Europa Ocidental como a Bélgica, França, Grécia, Holanda, Itália, Luxemburgo, Noruega, Portugal e Reino Unido, entre outros.

Em resposta à criação da OTAN, os soviéticos instituíram o Pacto de Varsóvia - organização militar de países socialistas. Criado em 1955, o Pacto de Varsóvia era composto pela União Soviética e pelos países socialistas do Leste Europeu. O tratado estabeleceu um acordo similar ao da OTAN: compromisso de ajuda mútua entre os países membros no caso de agressão militar.

No final dos anos 50, as duas superpotências desenvolveram muito seu arsenal nuclear - criando o perigo da destruição total (que poderia ocorrer pela disputa das regiões essenciais). O perigo de destruição levou a uma busca de diminuição das tensões. Com a morte de Stalin (1953), surgiram lideranças e tendências na URSS, que passaram a pregar a não necessidade da violência para atingir-se o socialismo, ou seja, "a coexistência pacífica".

A tendência de distensão foi ameaçada no governo de John F. Kennedy (incidente da Baía dos Porcos e os mísseis soviéticos em Cuba), mas que se resolveu pelo recuo de Nikita Kruschev.

A maior aproximação deu-se nos primeiros anos da década de 70, quando Henry Kissinger (secretário de Estado norte-americano) deu início à "détente", discutindo-se pacificamente sobre os conflitos. No final de 1972, Richard Nixon tornou-se o primeiro presidente norte-americano a visitar Moscou. Durante sua visita, ele e o líder soviético Brezhnev assinaram o primeiro tratado SALT que limitava o número e tipo de mísseis que cada nação poderia ter.

O presidente Ford (que assumiu após a renúncia do presidente Nixon) e o presidente Carter continuaram com a política de détente iniciada por Nixon. Ainda assim, ações soviéticas tomadas durante a presidência de Carter fomentaram o medo norte-americano em relação à expansão soviética. Em 1979, tropas soviéticas invadiram o Afeganistão. O presidente Carter reagiu a essa invasão decretando um embargo sobre as vendas de grãos norte-americanos à União Soviética e pedindo um boicote aos Jogos Olímpicos de Moscou de 1980.

Em novembro de 1989 ocorreu a queda do Muro de Berlim, símbolo do final do comunismo e com isso o final da Guerra Fria. Com o colapso da União Soviética acabava a geopolítica do mundo bipolar. Surge então uma nova ordem mundial.


Muro de Berlim

Sumário

- Guerra Fria - Mundo Bipolar
- Conferência de Bretton Woods
- Fim da Segunda Guerra Mundial
- Início da Guerra Fria
- Mundo Bipolar
Assine login Questões de Revisão image