Vegetação - As formações vegetais

A VEGETAÇÃO

Campo e deserto

Chamamos de vegetação o conjunto de plantas e vegetais existentes nas diversas regiões do planeta. Ela é sempre a expressão das condições de solo e de clima onde ocorre. De fato, a variedade das espécies, a quantidade de plantas e seu tamanho e sua distribuição dependem do terreno, das condições climáticas e da umidade. Em solos ricos em humo, portanto altamente orgânicos, a vegetação é densa e rica; nos solos mais pobres, as formações vegetais são poucas e rarefeitas. Existe uma relação de troca entre o solo e a vegetação: o solo rico em materiais orgânicos gera uma vegetação luxuriante, que fornece mais humo para o terreno. Ora, o solo com mais humo fica mais rico e desenvolve uma vegetação que irá fornecer mais humo. Portanto trata-se de um permanente ciclo interativo. Já um solo pobre é base de uma vegetação pobre. Daí o perigo do desmatamento, que danifica os terrenos. Todo esse processo prova a interdependência dos elementos do ecossistema.

O CLIMA E A VEGETAÇÃO

A luminosidade solar, a temperatura, os ventos, as chuvas e a umidade definem a vida vegetal de uma determinada região. Pode-se dizer que a vegetação é o espelho do clima. A luminosidade faz com que os vegetais realizem a fotossíntese, isto é, o processo de produção de oxigênio e de consumo de gás carbônico. Conforme a temperatura, os vegetais variam em número e distribuição de espécies. Em áreas quentes, a vegetação é mais rica e mais cerrada; nas regiões frias, ela é pobre em número de espécies e mais aberta. Também os ventos influenciam a vegetação, pois ventos fortes impedem o desenvolvimento de plantas mais débeis; ventos moderados ou fracos ajudam a vegetação pois transportam os grãos de pólen de um lugar para outro, o que ajuda a reprodução dos vegetais. Por fim, a água talvez seja o elemento mais essencial para o desenvolvimento da vida vegetal, pois a umidade determina o tipo de vegetação. Conforme a umidade, os vegetais podem ser:

xerófilas: plantas adaptadas à falta de umidade

higrófilas ou higrófitas: plantas que necessitam de muita umidade, ricas em folhagem e sempre perenes

tropófilas ou tropófitas: plantas que vivem em estações secas e úmidas

aciculifoliadas: plantas que possuem folhas na forma de agulhas, como, por exemplo, os pinheiros, nas quais a transpiração é menor e maior a preservação de água  

latifoliadas: plantas de folhas largas e existentes em regiões muito úmidas

caducifólias: plantas que perdem suas folhas nos períodos frios e secos do ano. 

AS FORMAÇÕES VEGETAIS

Existem, ao redor do planeta Terra, inúmeras formações vegetais, determinadas pela diversidade climática. Algumas são densas, como as florestas tropicais que são ricas em biodiversidade; outras são mais abertas e com menor número de espécies vegetais: as florestas temperadas. Há paisagens vegetais herbáceas - as pradarias e os campos -, outras mistas, como as savanas das áreas tropicais e ainda outras adaptadas a climas frios ou áridos. Todas são fundamentais para a manutenção dos diversos ecossistemas de nosso planeta.

As mais importantes formações vegetais do mundo são:

Floresta temperada - típica de zonas climáticas temperadas, aflorando em latitudes mais baixas e recebendo influência dos mares. A maior parte da Europa Central e Ocidental é coberta por esse tipo de vegetação, que também aparece na América do Norte e na Ásia

Floresta de coníferas - formação típicas das áreas de clima temperado, ocorrendo em altas latitudes. O Canadá, a Suécia, a Noruega, a Finlândia e a Rússia são cobertas por esse tipo de floresta. Essa paisagem, na qual predominam pinheiros, é chamada de taiga. As florestas coníferas têm grande importância econômica, pois fornecem matérias primas para a indústria madeireira e de celulose e papel.

Floresta tropical - rica em espécies vegetais, notadamente árvores de grande e médio porte, tais como a peroba, o mogno, o cedro e o jacarandá, ela é uma formação vegetal típica de áreas quentes e úmidas. Sua composição vegetal é, geralmente, de plantas higrófilas e latifoliadas.

Formações vegetais desérticas - típicas dos climas áridos e semiáridos e, por essa razão, compostas de xerófilas.

Tundra - vegetação rasteira comum nas áreas polares.

Vegetação mediterrânea - caracteriza-se por ser esparsa e se desenvolve em climas com verões quentes e secos e invernos chuvosos e amenos. O cenário típico da vegetação mediterrânea é a presença conjunta de árvores, arbustos e ervas.

Pradaria- paisagem marcada pela abundância de capim que aparece nas zonas de clima temperado continental. A pradaria é a formação vegetal padrão da área ocidental da Rússia, da Europa Central, das Grandes Planícies Norte Americanas e dos Pampas Argentinos. Sua importância econômica é grande, já que ela nasce em terrenos ricos em materiais orgânicos.

Estepe - típica de climas semiáridos, sua paisagem lembra a das pradarias, porém com vegetação mais seca e rara.

Savana- vegetação complexa típica dos climas tropicais. Composta de árvores, arbustos e ervas, a savana é o cenário vegetal típico da África, abrigando animais de grande porte, tais como girafas, elefantes e leões.