Classes dos Répteis

Vertebrados que conquistaram efetivamente o meio terrestre, pois são de fecundação interna, ovíparos (ovos com casca) na maioria, vivíparos (sucuri) ou ovovivíparos (Crotalus - cascavel; Bothrops - jararaca; urutu).

Conquistaram, evolutivamente, todos os anexos embrionários que garantem o desenvolvimento independente da água: saco vitelino, córion, âmnion, alantoide.

Excretam ácido úrico. Não sofrem metamorfose e a pele é seca e impermeável, protegida por escamas ou placas de queratina (proteína). A respiração é sempre pulmonar, desde o nascimento, inclusive nos aquáticos.

- São cordados, vertebrados, deuterostômios, tetrápodes, celomados, amniotas, alantoidianos, pecilotérmicos. O esqueleto é predominantemente ósseo.

São dioicos, exceto a jararaca-ilhoa (Bothrops insularis) da ilha da Queimada Grande, que é monóica (hermafrodita).

- Estão adaptados para viverem na água (tartaruga, jacarés) ou na terra (cobras, lagartos, lagartixas), mas todos respiram por pulmões.

- Dentição dos ofídios: áglifas (jiboia, sucuri), opistóglifas (muçurana, falsa coral) , proteróglifas (Micrurus – família Elapidae), solenóglifas (Crotalus, Bothrops).

- O aparelho circulatório apresenta um coração com duas aurículas e dois ventrículos, mas há mistura de sangue venoso com arterial nos ventrículos (circulação dupla e incompleta). Apenas nos Crocodilianos não há mistura dos sangues (circulação dupla e completa).

- A articulação do crânio com a 1a vértebra é feita por um côndilo ocipital, o que permite movimentos da cabeça mais amplos, quando comparados com os anfíbios.

- Possuem boca com dentes, exceto as tartarugas que possuem bico. O tubo digestivo é completo e termina na cloaca, juntamente com os aparelhos reprodutor e excretor.

- Enquanto peixes e anfíbios apresentam rins mesonefros (torácicos), de répteis em diante os rins serão metanefros (abdominais), melhorando muito a capacidade filtradora do sangue.

Existem cerca de 6.000 espécies atuais que estão divididas em 4 ordens:

1) Rincocéfalos

Têm apenas uma espécie atual, o tuatara (Sphenodon punctatum) da Nova Zelândia, com até 60 cm de comprimento – apresentam ainda o 3o olho na cabeça, que evolutivamente resultará na glândula pineal.

2) Quelônios

Tartarugas (mar e água doce), jabutis (terrestres), cágados (água doce). Possuem carapaça protetora dorsal e plastrão ventral, resultantes da soldadura das placas com os ossos.

3) Escamados

Aqui estão contidas a maioria das espécies de répteis. Possuem escamas, como cobras e lagartos:

Lacertílios: em geral com 4 patas locomotoras e desprovidos de dentes: lagartos, lagartixas, camaleões, teiús, iguanas, cobras-de-duas-cabeças, Heloderma (venenoso).

Ofídiosápodos, representados pelas cobras.

Possuem dentes e não possuem o osso esterno. Apresentam estreptostilia (abertura bucal de quase 180o).

As venenosas têm dentes inoculadores de veneno produzido em glândulas salivares modificadas, além de fosseta loreal termorreceptora. Os venenos podem ser neurotóxicos (cascavel, coral verdadeira), proteolíticos (Bothrops), hemolíticos (cascavel), coagulantes (Bothrops).

4) Crocodilianos

Possuem placas córneas, patas e uma cauda musculosa. São os jacarés e crocodilos. É um grupo com poucas espécies (23) atuais.

  • Aulas relacionadas

Sumário

- Classes dos Répteis
i. Rincocéfalos
ii. Quelônios
iii. Escamados
iv. Crocodilianos
Assine login Questões a responder image Questões para o Enem image