Classes dos Anfíbios

Adaptados para viverem fora da água na fase adulta, porém, dependem da água para a reprodução, pois são de reprodução sexuada, com fecundação externa e a forma larval (girino dos anuros) só respira por brânquias.


Anfíbio - ciclo de vida

Após sofrerem a metamorfose, passam a respirar pelos pulmões e principalmente pela pele (respiração cutânea) e assim precisam da água para manterem a pele sempre úmida.

O esqueleto é predominantemente ósseo

- São cordados, vertebrados, gnatóstomos, que não possuem escamaspenas ou pelos como anexos da pele (= pele lisa). Pecilotérmicos e tetrápodas.

Não vivem em água salgada (mar).

- A metamorfose é característica desses vertebrados, pois a forma larval ou girino é bem diferente da forma adulta. O único anexo embrionário é o saco vitelino.

- A circulação é do tipo fechada e o coração tem três cavidadesduas aurículas e um ventrículo. No ventrículo ocorre mistura de sangue venoso com arterial (circulação dupla e incompleta).


Circulação dupla e incompleta

- A articulação do crânio com a 1a vértebra da coluna vertebral (curta e rígida) é feita por dois côndilos ou saliências do crânio que possibilitam a movimentação da cabeça para cima e para baixo, mas não lateralmente.

região pélvica é reforçada e firmemente ligada à coluna vertebral; a vértebra posterior forma uma estrutura alongada e rígida denominada uróstilo. A pélvis e o uróstilo conferem rigidez à parte posterior do tronco.


Esqueleto - anfíbio

- Na boca possuem pequenos dentículos para proteção e apreensão da presa; a língua é muito desenvolvida e presa na parte anterior.


- Os sistemas digestório, excretor e reprodutor terminam na cloaca.

Embora os anfíbios mais conhecidos sejam os sapos e rãs, há três ordens atuais que contam com aproximadamente 3.000 espécies:

1) Anuros, que incluem sapos (com duas glândulas de veneno = paratoides), rãs (não possuem glândulas de veneno), pererecas (com ventosas adesivas nas pontas dos dedos). Não possuem cauda na forma adulta.

2) Urodelos, com cauda na forma adultaNão são conhecidos popularmente no Brasil. A salamandra e o tritão existem nos EUA, Japão, China, América Central.

salamandra mexicana Ambystoma (Axolotl), é uma forma larval que se reproduz sexuadamente (= neotenia). Essas espécies não completam a metamorfose, permanecendo com as características morfológicas da larva, mas tornando-se sexualmente maduras, em condições de se reproduzir. Esses organismos vivem toda a sua vida no ambiente aquático e respiram por brânquias externas.

axolotle vive em lagoas frias nas montanhas do oeste dos Estados Unidos. Em outras localidades em que o clima é mais quente, essas salamandras completam a metamorfose antes de atingir a maturidade sexual, dando orgiem a adultos terrestres: a salamandra-tigre. Neste caso, é a condição climática mais fria que inibe a metamorfose e estimula o amadurecimento sexual da larva.

3) Ápodes ou Gimnofionos ("cobras nuas"), que não possuem patas locomotoras. Vivem normalmente enterrados no solo ou em ambientes aquáticos, como as cecílias ou cobras cegas (assim chamadas por terem olhos vestigiais, às vezes recobertos por uma membrana).

Os anfíbios são muito usados em experiências biológicas.