Anelídeos

Vermes segmentados

Os anelídeos são triblásticos, protostômios, celomados. Têm o corpo cilíndrico segmentado, dotado de apêndices quitinosos (cerdas), exibindo simetria bilateral. Possuem sistema digestivo completo; sistema circulatório fechado (vasos + "corações" contráteis; possuem hemoglobina); sistema excretor constituído por nefrídios (1 par por segmento); sistema nervoso ganglionar ventral.

Algumas espécies apresentam respiração branquial, embora a maioria tenha respiração cutânea. Há espécies monoicas e dioicas; a maioria é de vida livre, ocorrendo também formas parasitas.

Características gerais

Destacando-se dos grupos estudados anteriormente, os anelídeos são animais celomados; é a primeira ocorrência evolutiva de um celoma verdadeiro (cavidade completamente revestida por mesoderme). Há uma outra característica marcante - a segmentação do corpo em anéis (metâmeros) que não se restringe ao aspecto externo: a maioria das estruturas internas acompanha a segmentação, inclusive o celoma.

Corpo revestido por cutícula (escleroproteína e colágeno) lisa e permeável.

Alguns anelídeos possuem pequenos apêndices filiformes: as cerdas quitinosas, que podem ser movidas em qualquer direção por ação de feixes musculares. O número e a disposição das cerdas são utilizados como critério de classificação dos representantes deste filo.

A locomoção é feita pela ação alternada de feixes musculares. Quando uma minhoca contrai os feixes musculares circulares de uma região do corpo, o líquido do celoma é pressionado e transmite essa tensão aos músculos longitudinais, que se distendem; essa região do corpo se torna fina e longa. Logo depois as fibras longitudinais se contraem enquanto as circulares se relaxam, encurtando a região e puxando para frente a parte imediatamente posterior. Esse deslocamento é facilitado pelo apoio fornecido pelas cerdas, que não permitem que o corpo da minhoca escorregue para trás.

Diversidade

Os anelídeos de vida livre são encontrados no solo, na água doce ou em ambientes marinhos. Algumas espécies marinhas são fixas, habitando no interior de tubos calcários secretados pelo próprio verme. Outros se locomovem ativamente, explorando o ambiente à procura de alimento.

De acordo com o número e a distribuição das cerdas na superfície do corpo, os anelídeos são classificados em três classes: Oligochaeta (poucas cerdas), Polychaeta (muitas cerdas) e Hirudinea (sem cerdas).

Classe Oligochaeta

Seus representantes vivem em ambientes de água doce ou em solo úmido. Os mais conhecidos são as minhocas - Lumbricus terrestris (Europa e América do norte), Pheretima hawaiana (Brasil). São animais hermafroditas, mas apresentam fecundação cruzada e externa. Os óvulos são fecundados no interior do casulo (produzidos pelo clitelo), onde ficam protegidos. O desenvolvimento é direto.

As minhocas alimentam-se de folhas mortas e pequenos animais; vivem enterradas, cavando túneis, atividade que promove aeração, drenagem e fertilidade do solo. São animais de hábitos noturnos, permanecendo dentro de tocas durante o dia.

Classe Polychaeta

A maioria dos poliquetos é de ambiente marinho. Possuem vários apêndices sensoriais em sua extremidade anterior. Suas cerdas, numerosas, estão implantadas nos parapódios - expansões laterais do corpo. Podem nadar graças aos parapódios que funcionam como remos. Tem no Nereis o representante típico. A espécie Eunice virides (palolo) serve de alimento para nativos das ilhas Samoa e Fiji. Alguns poliquetas podem atingir até 3 m de comprimento.

Reprodução: em geral são dioicos (unissexuados). Forma-se uma larva ciliada (trocófora). Podem, ainda, reproduzir-se assexuadamente por esquizogênese (desprendem partes do corpo que regeneram novo indivíduo).

 
Eunice virens

Alguns poliquetos são predadores que se locomovem ativamente no ambiente à procura de alimento, como o Neanthes. Há também poliquetos que vivem no interior de tubos, que ele próprio fabrica, unindo com suas secreções grãos de areia ou então secretando substâncias ricas em cálcio. Neste caso o alimento é trazido para dentro do tubo por correntes de água, provocadas por movimentos dos parapódios e cerdas.

 
Chaetopterus

Classe Hirudinea

Animais aquáticos (lagos, rios e até água salgada) ou terrestres. Há alguns ectoparasitas de vertebrados, como a sanguessuga (Hirudo medicinalis).

A sanguessuga possui duas ventosas, uma na região anterior e outra na posterior. Desprovida de cerdas e parapódios, pode locomover-se por fixação das ventosas e alongamento do corpo. Encontrando um hospedeiro, fixa-se com as ventosas e perfura a pele. A ação da musculatura faringeana promove a sucção do sangue do hospedeiro, que não coagula graças a uma substância anticoagulante (hirudina) presente na saliva do parasita (foi usada, no passado para provocar sangrias).

Reprodução: são hermafroditas, mas a fecundação é cruzada. Não há formas larvais.

Reprodução

Assexuada: entre os poliquetos pode ocorrer reprodução assexuada por esquizogênese: pequenas porções da região posterior do corpo se destacam, diferenciando novos indivíduos.

Sexuada: há anelídeos dioicos (poliquetos), e muitas espécies monoicas (oligoquetos e hirudíneos). Quando monoicas, a fecundação é interna, sendo o desenvolvimento direto.

Entre os poliquetos a fecundação é externa, e o zigoto passa por um estágio de larva - trocófora - antes de se transformar em um verme jovem.


Trocófora

Reprodução da minhoca

A minhoca é monoica: em cada indivíduo há um aparelho reprodutor masculino e um feminino completos, localizados ventralmente na região anterior do corpo.

O acasalamento ocorre com a união da superfície ventral de duas minhocas com suas extremidades anteriores opostas. Cada animal elimina seus espermatozoides nos receptáculos seminais do outro e o casal se separa em seguida. Os óvulos maduros, eliminados através dos poros genitais, são envoltos em um casulo secretado pelo clitelo. Este casulo, que envolve o corpo como um anel, desloca-se para a região anterior; quando passa pelos receptáculos seminais, os espermatozoides aí armazenados fecundam os óvulos (fecundação externa). O casulo continua seu deslocamento, e ao ser liberado do corpo do animal contém os ovos que darão origem a minhocas jovens, sem estágio larval (desenvolvimento direito).

Sumário

- Vermes segmentados
i. Características gerais
ii. Diversidade
iii. Classe Oligochaeta
iv. Classe Polychaeta
v. Classe Hirudinea
Assine login Questões a responder image Questões dissertativas image