Tecido cartilaginoso e ósseo

Tecido conjuntivo ósseo e cartilaginoso

Tecido conjuntivo cartilaginoso

Forma o esqueleto de vertebrados - peixes cartilaginosos e ciclóstomos - e também do homem no início do desenvolvimento embrionário, sendo depois substituído por tecido ósseo. No adulto, as cartilagens aparecem nas orelhas, nariz, anéis da traqueia, extremidades dos ossos (articulações) e discos intervertebrais (amortecedor de impacto).

Células: condrócitos (adultas); condroblastos (células formadoras).

Propriedades: elasticidade, sustentação, resistência à tensão e amortecimento de choques mecânicos. Os condroblastos são responsáveis pela formação da matriz cartilaginosa, que é composta por fibras colágenas, por fibras reticulares e por mucopolissacarídeos associados a proteínas. Não existem vasos sanguíneos e linfáticos, nem nervos nas cartilagens, sendo nutridas pelo pericôndrio, tecido conjuntivo denso não modelado que envolve a cartilagem. A atividade metabólica da cartilagem é baixa e sua regeneração é muito lenta.

Tipos: hialino, elástico e fibroso.

a) Cartilagem hialina

Fibras: colágenas em quantidade moderada.

Ocorrência: nariz, anéis da traqueia e dos brônquios, laringe, articulação de ossos longos, liga costelas com o esterno.

b) Cartilagem elástica

Fibras: colágenas e grande quantidade de fibras elásticas dão maior elasticidade.

Ocorrência: pavilhão auditivo, trompa de Eustáquio, epiglote, algumas cartilagens da laringe.

c) Cartilagem fibrosa

Fibras: colágenas em grande quantidade; é a mais resistente.

Ocorrência: articulações, discos intervertebrais e pontos onde tendões e ligamentos fixam-se aos ossos.

O Tecido Ósseo

Os ossos são os principais componentes do sistema de sustentação dos vertebrados. Eles constituem estruturas protetoras (crânio e caixa torácica); garantem maior rendimento do trabalho muscular, formando eficientes sistemas de alavancas nas articulações; armazenam substâncias gordurosas no tecido adiposo da medula amarela e executam a hemocitopoiese, na medula vermelha. O osso apresenta vários tipos de tecidos: fibroso, reticular, cartilaginoso, adiposo, sangue e também fibras nervosas, além do tecido ósseo que é o predominante.

O osso é, consequentemente, um órgão e não deve ser confundido com o tecido ósseo.

O tecido ósseo é o mais rígido do corpo, está caracterizado pela substância fundamental (matriz) sólida, onde aparece grande quantidade de compostos minerais. Ele apresenta também fibras e suas células típicas são os osteócitos.

As células ósseas jovens, muito ramificadas, são os osteoblastos.

A matriz óssea é mineralizada [Ca3(PO4)2, Mg3(PO4)2, CaCO3 ] e deixa cavidades concêntricas, que são ocupadas pelos osteoblastos (células jovens) intercomunicados por expansões citoplasmáticas. Essas ramificações citoplasmáticas percorrem um sistema de canais paralelos entre si, os sistemas de Havers. A comunicação entre os canais de Havers é feita pelos canais de Volkmann. Passam também, no interior desses canais, os capilares sanguíneos (oferecendo alimentos e oxigenação às células) e os nervos.

FORMAÇÃO DOS OSSOS

Ossificação intramembranosa ou conjuntiva:
Ocorre a partir de membranas de tecido conjuntivo embrionário. Origina os ossos chatos do corpo.

Exemplo

ossos do crânio.

Ossificação endocondral ou intracartilaginosa:
Ocorre por substituição de um molde cartilaginoso por osso. Origina os demais ossos do corpo.

Exemplo

fêmur, úmero, tíbia.

  • Aulas relacionadas

Sumário

- Tecido conjuntivo cartilaginoso
- O tecido ósseo
- Formação dos ossos
Assine login Questões a responder image Questões dissertativas image