Sangue - Tecido Conjuntivo Sanguíneo

O sangue é considerado um tipo de tecido conjuntivo pelo fato de ter uma grande quantidade de substância (matriz) intercelular, que neste caso é líquida e é chamada plasma.

Os constituintes celulares ou elementos figurados do sangue, - glóbulos brancos, glóbulos vermelhos e plaquetas - estão suspensos no plasma. O volume normal total do sangue circulante corresponde, aproximadamente, a 8% do peso corporal ou 5.600 ml em um homem de 70 kg. Cerca de 55% deste volume corresponde ao plasma.

Medula óssea

Nos adultos, os glóbulos vermelhos, os granulócitos (neutrófilos, eosinófilos, basófilos) e as plaquetas, assim como um pequeno número de linfócitos e monócitos, são formados na medula óssea. No feto, as células sanguíneas são, também, formadas no fígado e no baço. Nos adultos, esta hematopoiese extramedular pode ocorrer em doenças nas quais a medula óssea foi destruída ou fibrosada. Nas crianças, as células sanguíneas são intensamente produzidas na medula de todos os ossos. Aproximadamente aos 20 anos de idade, a medula óssea dos ossos longos, com exceção do terço superior do úmero e do fêmur, torna-se inativa. A medula com atividade celular é chamada de medula óssea vermelha; a inativa, que é infiltrada de gorduras é chamada de medula óssea amarela.

A medula é na realidade um dos maiores órgãos do corpo, aproximando-se, em tamanho e peso, ao fígado. É, também um dos mais ativos.

Normalmente, 75% das células encontradas na medula óssea pertencem à série mieloide e somente 25% são glóbulos vermelhos, mas em amadurecimento. Todavia existem acima de 500 vezes mais glóbulos vermelhos do que glóbulos brancos, na circulação sanguínea.

Valores normais para os elementos figurados do sangue

  células/mm3
(média)
limites normais
aproximados
% de glóbulos
brancos
total dos glóbulos
brancos
9.000 4.000 - 11.000 -
neutrófilos 5.400 3.000 - 6.000 50 - 70
eosinófilos 275 150 - 300 1 - 4
basófilos 35 0 - 100 0,4
linfócitos 2.750 1.500 - 4.000 20 - 40
monócitos 540 300 - 600 2 - 8
eritrócitos mulher - homem 4,8 X 106   -   5,4 X 106 - -
plaquetas 300.000 200.000 - 500.000 -

Glóbulos brancos

Num homem, existe, normalmente, 4.000 a 11.000 glóbulos brancos por ml de sangue (quadro anterior). Destes, os granulócitos (neutrófilos, eosinófilos, basófilos) ou polimorfonucleares leucócitos são os mais numerosos. Por diferentes formas, mas sempre de maneira indispensável, executam papel fundamental na defesa imunológica do organismo. Os neutrófilos, eosinófilos e basófilos são formados, a partir das células imaturas, na medula óssea.

A primeira linha de defesa contra a invasão da bactéria é a fagocitose efetuada pelos neutrófilos. A área infectada é, também, invadida por monócitos que são fagocitárias; eles seguem os neutrófilos, para a área infectada, constituindo-se numa linha de defesa secundária. Quando ocorre a infecção o número de granulócitos aumenta rapidamente.


Diapedese

Alguns linfócitos são formados na medula óssea, mas a maior parte deles é formada nos nódulos linfáticos, timo e baço, a partir de células que, originalmente provêm da medula óssea (linfoblastos). Os linfócitos entram na corrente circulatória, na sua grande maioria, através dos vasos linfáticos.

Os monócitos, assim como os leucócitos neutrófilos, são ativamente fagocitários, invadindo as áreas de inflamação logo após os neutrófilos e, por fagocitose ativa, ajudam na remoção de bactérias e detritos celulares.

Plaquetas

As plaquetas são pequenos corpúsculos granulados, com 2 a 4 μm de diâmetro. As plaquetas são formadas na medula óssea pelos megacariócitos, células gigantes, que se rompem e expulsam fragmentos de citoplasma, os quais passam para a circulação. Os grânulos das plaquetas contêm grandes quantidades de serotonina, epinefrina, ADP, cálcio, potássio, diversos fatores coagulantes, várias enzimas e outras substâncias biologicamente ativas.

Quando as paredes do vaso sanguíneo são lesadas, as plaquetas aderem ao local, seguindo-se a liberação, ou mais precisamente a secreção de materiais contidos nos grânulos das plaquetas. Serotonina e epinefrina auxiliam na vasoconstrição que se verifica no local e provocam a liberação dos componentes dos grânulos de outras plaquetas. O ADP faz com que as plaquetas fiquem pegajosas, causando a agregação de mais plaquetas, formando o "plug" hemostático. A produção de plaquetas é controlada por uma substância da corrente circulatória, chamada trombopoietina, que aumenta a formação dos megacariócitos e seu desenvolvimento.

Quando um pequeno vaso é seccionado ou lesado, inicia-se uma série de reações que provocam a formação de um coágulo. O resultado final deste processo de hemostasia é, geralmente, o selamento do vaso sanguíneo, prevenindo a perda de sangue. Em primeiro lugar, o que se verifica é a constrição do vaso e a formação de um "plug" hemostático provisório de plaquetas. Em seguida, há a conversão do "plug" em coágulo definitivo.

O endotélio do vaso sanguíneo lesado expõe uma camada de colágeno que atrai plaquetas que a ele se aderem liberando serotonina e ADP. Mais plaquetas são atraídas, formando-se um "plug" frouxo temporário. Esse agregado será convertido posteriormente no coágulo definitivo, pela fibrina. O mecanismo de coagulação responsável pela formação de fibrina implica numa série complexa - ou cadeia - de reações interrelacionadas.

A reação fundamental na coagulação do sangue é a conversão do fibrinogênio (proteína solúvel) do plasma em fibrina. As moléculas de fibrina se polimerizam para formar uma rede frouxa de fios insolúveis entrelaçados. Este polímero se converte, com a formação de cadeias cruzadas covalentes, em um agregado denso e compacto. Há 13 fatores que participam desse processo encadeiado.

Existe no organismo um sistema fibrinolítico capaz de limitar a coagulação. Neste sistema, o componente ativo é a plasmina ou fibrinolisina, uma enzima não só capaz de lisar a fibrina, como também, atacar os fatores V, VIII e o fibrinogênio. A plasmina é formada de um seu precursor inativo, o plasminogênio.

Anticoagulantes

A heparina, um potente anticoagulante, normalmente é encontrada no organismo. Ela atua como anticoagulante, principalmente, porque bloqueia a ativação do fator IX e inibe a ação da trombina.

A heparina é encontrada nos grânulos basófilos circulantes e nos grânulos dos mastócitos, células migradoras que são encontradas em muitos tecidos, mas, especialmente, em grande quantidade, no tecido conjuntivo. Os mastócitos também contêm histamina e podem liberá-la nos tecidos, constituindo parte da reação inflamatória.

A coagulação pode ser impedida "in vitro" se o Ca2+ for removido do sangue, pela adição de substâncias, como por exemplo os oxalatos, os quais formam sais insolúveis com Ca2+ ou ainda substâncias como o citrato ou outros agentes quelantes que se combinam com o Ca2+. Dicumarol, um derivado da cumarina, inibe a vitamina K por competição; esta catalisa a síntese de protrombina e dos fatores VII, IX e X.

Os derivados da cumarina são largamente utilizados como anticoagulantes.

A formação do coágulo dentro do vaso sanguíneo é conhecida como trombose. É um dos grandes problemas da medicina e ocorre particularmente quando o fluxo sanguíneo é lento, nos vasos da panturrilha ("barriga da perna") depois de operações e do parto porque, o fluxo lento permite que fatores coagulantes ativados se acumulem, ao invés de serem dispersados.

A trombose também ocorre em vasos como as coronárias e as artérias cerebrais, nos locais onde há depósito de placas arterioscleróticas e sobre as áreas de lesão do endocárdio. Frequentemente, a trombose interrompe o suprimento arterial dos órgãos onde ele se forma; fragmentos do trombo (êmbolos), algumas vezes se destacam e percorrem a circulação até lugares distantes, lesando outros órgãos. Como exemplos, citamos a obstrução da artéria pulmonar ou seus ramos (embolia pulmonar), por trombos provenientes das veias das pernas e a embolia cerebral ou dos vasos das pernas, por fragmentos de coágulo rompido proveniente de um trombo no ventrículo esquerdo (trombose mural), sobreposto a um enfarto do miocárdio.

  • Aulas relacionadas

Sumário

- Medula óssea
- Glóbulos brancos
- Plaquetas
- Anticoagulantes
- Glóbulos vermelhos
i. Eritropoiese
ii. Hemoglobina
iii. Hemoglobina fetal
iv. Catabolismo da hemoglobina
- Plasma
Assine login Questões a responder image Questões dissertativas image Questões para o Enem image