Nutrição - Vitaminas e sais minerais

Não há máquina capaz de funcionar sem uma fonte de energia que a alimente. De fato, a máquina não consegue criar energia do nada nem destruí-la. Toda energia que entra em uma máquina acaba saindo dela integralmente. Quanto ao uso da energia, os seres vivos funcionam exatamente como as máquinas, só podendo existir vida como resultado de transferência e transformação de energia.

As reações químicas que se passam nos seres vivos conduzem, normalmente, à resultante certa, útil ao organismo, graças aos mecanismos de coordenação e homeostase que as regulam. Por exemplo, mesmo que a temperatura ambiente seja 15oC ou 35oC, nosso corpo se mantém normalmente muito próximo de 37oC.

Para os animais, nutrição é um conjunto de processos em que substâncias nutrientes, presentes no alimento, são assimiladas pelas células. Os nutrientes fornecem energia para todas as atividades metabólicas e também matéria-prima para o crescimento e a regeneração das partes corporais desgastadas pelo uso.

Os alimentos executam fisiologicamente diversas funções: reguladora, plástica e energética.

A função reguladora é exercida pelos hormônios e vitaminas. Exigidos em doses muito pequenas, as vitaminas chegam com a alimentação e os hormônios (proteínas ou lipídios esteroides) serão produzidos pelo nosso organismo (anabolismo). Participam das reações metabólicas acelerando ou inibindo processos fisiológicos homeostaticamente.

A função plástica é executada fundamentalmente pelas proteínas produzidas (anabolismo) pelo nosso organismo e que estarão fazendo parte do alicerce estrutural do organismo: está na membrana das células (composição lipoproteica), compõe os tecidos conjuntivos diversos (fibras colágenas, reticulares, elastina), é componente das garras, unhas, pelos, pele, etc.

Os alimentos energéticos são matéria-prima utilizada como combustível para os processos fabricadores de energia (ATP) e que garantem todas as atividades vitais: movimentos musculares, funcionamento de órgãos, manutenção de temperatura corporal, etc. Os carboidratos são os combustíveis primeiros e secundariamente lipídios e até as próprias proteínas.

A alimentação é a única forma de animais heterótrofos (não sintetizam seus próprios alimentos) conseguirem os nutrientes orgânicos indispensáveis para as reações metabólicas vitais. Visto que a composição química e respectivas funções biológicas são muito variadas, exigem dos indivíduos, a fim de se manterem normalmente saudáveis, uma dieta inteligentemente diversificada. As plantas são chamadas de autótrofas porque sintetizam seus próprios alimentos orgânicos, como o amido, a partir de substâncias minerais.

Os animais são capazes de elaborar a maioria das substâncias de que necessitam pela transformação química dos nutrientes ingeridos. Há determinadas substâncias nutritivas, porém, que um animal não consegue fabricar, necessitando, por isso, obtê-las prontas no alimento. Tais substâncias são denominadas nutrientes essenciais. Como exemplo, citamos as vitaminas.

Ao conjunto de todas as transformações químicas que ocorrem no interior dos seres vivos chamamos de metabolismo. O metabolismo basal indica a menor necessidade energética que o organismo precisa a fim de executar suas funções vitais, em estado de repouso físico e mental. É expresso em quilocalorias (kcal = quantidade de calor necessária para elevar de 1 oC – de 15 a 16 oC – a temperatura de 1 kg de água).

Valores médios resultantes da combustão completa de alguns tipos de alimentos:

  • Lipídios (gorduras) = 9,5 kcal / g.
  • Proteínas = 5,5 kcal / g.
  • Carboidratos = 4,0 kcal / g.

Portanto, se o organismo queimar 1 grama de glicose (carboidrato), a energia liberada será de 4,0 quilocalorias.

O metabolismo basal terá variações importantes em função da idade, sexo, superfície corporal e em consequências das disfunções hormonais. Se houver hipofunção tireoidiana o metabolismo basal cairá demais, provocando diminuição de muitas atividades vitais, algumas com alto grau de seriedade.

Tabela de valores aproximados de metabolismo para indivíduos em diferentes idades:

idade (anos)

homem (65 kg) - kcal

mulher (55 kg) - kcal

20 – 39

3.000

2.200

40 – 49

2.850

2.090

50 - 59

2.700

1.950

60 - 69

2.400

1.760

70 - 79

2.100

1.540

 

As taxas metabólicas são muito variadas nos diferentes animais. Nos animais pecilotermos ou de sangue frio o metabolismo é mais baixo do que nos homeotermos (temperatura corporal constante). Os animais homeotermos apresentam taxa metabólica que varia na razão inversa do tamanho ou massa corporal. Animais grandes (elefante, boi) apresentam superfície corporal pequena em relação ao seu volume corporal; em consequência, haverá menor perda de calor pela pele e sua taxa metabólica será menor. Processo inverso ocorre nos animais de menor porte (rato, coelho, cão), ou seja, alta taxa metabólica a fim de repor a maior perda de calor pela superfície corporal que é maior em relação ao seu volume.

Os sistemas circulatório, respiratório e excretor metabolizam as substâncias recebidas pela alimentação.

A digestão é esse processo de fragmentação do alimento em moléculas pequenas, que serão absorvidas ao longo do trajeto pelo intestino. Os produtos finais da digestão contendo água e sais minerais, passarão, agora, do intestino delgado para a circulação. Esse processo denomina-se absorção. No intestino existem inúmeras vilosidades intestinais cuja principal função é aumentar a superfície de contato do intestino com o quilo, favorecendo a absorção pelos vasos sanguíneos e linfáticos.

Os vasos sanguíneos absorvem os produtos hidrossolúveis, como monossacarídeos, aminoácidos, glicerol, sais minerais, além das vitaminas B e C. Os vasos linfáticos absorvem os componentes lipossolúveis, como ácidos graxos e vitaminas A, D, E, K.

O sistema circulatório é o meio de transporte que fornece as substâncias absorvidas, ao nível do trato gastrintestinal, e o O2, para os tecidos. Destes, retorna com CO2 para os pulmões, e outros produtos do metabolismo, para os rins. Exerce importante papel na regulação da temperatura do corpo e ainda, distribui os hormônios e outros agentes que regulam a função celular.

O Alimento

O alimento humano, muito variado, é composto de sólidos e líquidos, onde estão presentes gorduras, amido, açúcares, proteínas e também vitaminas, sais e água.

A água e os sais podem ser absorvidos diretamente pelo tubo digestivo, mas moléculas maiores, como amido, gorduras e proteínas, precisam ser fragmentadas em moléculas menores a fim de que possam ser absorvidas.

Nos animais vertebrados, parte dos carboidratos ingeridos é convertido em glicogênio, um polissacarídeo formado por centenas de moléculas de glicose unidas em sequência. O glicogênio é armazenadono interior das células dos músculos e do fígado.

Um animal bem alimentado geralmente armazena glicogênio até que haja o suficiente para suprir as necessidades energéticas de um dia. Quando esse estoque se completa, o excesso de carboidratos ingerido é transformado em gorduras e armazenado no tecido adiposo.

Uma dieta pobre leva o organismo animal a utilizar suas substâncias de reserva. Em primeiro lugar, é utilizado o glicogênio. Quando este se esgota, o organismo passa a utilizar a gordura armazenada nas células adiposas. No caso da espécie humana, uma pessoa bem alimentada tem estoque de gorduras suficiente para algumas semanas.

A forma física e a saúde (física e mental) são muito dependentes do tipo de alimentação e da prática de atividades físicas. Visto que a composição química e respectivas funções biológicas são muito variadas, exigem dos indivíduos, a fim de se manterem normalmente saudáveis, uma dieta inteligentemente diversificada.

A dieta alimentar é determinada e influenciada por múltiplos fatores: sociais, profissionais, raciais, culturais, religiosos, etc. Quando a escolha alimentar leva pouco em conta as necessidades nutritivas e energéticas e prioriza o sabor e os aspectos visuais “tentadores”, haverá riscos de ocorrência dos hábitos e erros não saudáveis, às vezes desde a infância.

Certamente não será saudável:

  • comer exageradamente, ou seja, acima das necessidades energéticas pessoais, o que leva ao engordamento fisiologicamente prejudicial: diabetes, hipertensão, enfartes; comer insuficientemente, acarretando em emagrecimento também danoso aos processos orgânicos normais.
  • desconsiderar as necessidades de diversificação, indispensáveis para adquirir vitaminas (função reguladora), proteínas (função reguladora - hormônios; anticorpos; enzimas; função plástica - queratina, colágeno), carboidratos (açúcares), além dos sais minerais indispensáveis e em quantidades adequadas.
  • ingerir excesso de açúcares e gorduras, que provocarão distúrbios cardiovasculares diversos (arteriosclerose, angina do peito, infarto de miocárdio, hipertensão etc), além de poderem influir decisivamente nos aspectos emocionais individuais e de relacionamento social.
  • vida sedentária: horas sentados (videogame e TV, computadores); falta de atividades físicas frequentes (caminhadas, corridas moderadas); falta de práticas esportivas diversas, com características de lazer !
  • baixa qualidade de vida, do que resultarão em diversas doenças cardiovasculares e até psicossomáticas (ou da "civilização": depressões, síndromes,): nenhuma programação que "reduza o stress que seja possível" em função das atividades profissionais; alimentação ou dieta descuidada (horários e hábitos alimentares inadequados); insuficiente cultivo de relacionamento social saudável: lazer com música, teatro, passeios, etc; desconsideração para com as necessidades de convívio com amigos ou parentes, onde fluem temas agregadores e acrescentadores para os valores humanos pessoais, intelectuais, familiares e sociais.

Sumário

- O Alimento
- Vitaminas
- Sais minerais
- Desnutrição - subnutrição
Assine login Questões a responder image Questões dissertativas image