Quinhentismo

Quinhentismo

O Quinhentismo constituiu a primeira manifestação literária no Brasil. O Quinhetismo ocorreu no Brasil durante o século XVI. O nome desse período literário se refere à data de início: 1500. É importante ressaltar que o Quinhentismo brasileiro ocorreu paralelo ao Classicismo português.

1. Datas

  • 1500: Carta, de Pêro Vaz de Caminha - início do Quinhentismo no Brasil.
  • 1601: Prosopopeia, de Bento Teixeira Pinto - início do Barroco no Brasil.

2. Contexto histórico

O Quinhentismo brasileiro corresponde ao Renascimento português e, portanto, seu contexto histórico é o mesmo, marcado pela expansão ultramarítima portuguesa. Como colônia, no entanto, a nova terra passou por transformações e sofreu explorações de caráter particular, entre as quais se destacam:

  • a exploração do pau-brasil
  • expedições de policiamento da costa brasileira
  • expedições colonizadoras
  • a fundação das primeiras vilas e cidades
  • a exploração do açúcar
  • a formação de capitanias hereditárias
  • a instalação do Governo Geral
  • a atividade jesuítica

3. Características gerais do período quinhentista no Brasil

O Quinhentismo brasileiro tem sido considerado uma vertente do Renascimento português, já que não havia ainda, aqui na colônia, atividade literária ou meios que a tornassem possível. Na realidade, o que se escreveu nesse período foram textos sobre o Brasil, não necessariamente no ou do Brasil. Os dois principais tipos de literatura do século foram a literatura de informação e a jesuítica ou catequética.

Literatura de Informação

Produzida pelos inúmeros estrangeiros que visitaram o país, é representada por verdadeiros "relatórios" com informações sobre a nova terra. Neles, destacam-se os seguintes traços:

  • detalhamento da fauna, da flora e dos aspectos exóticos e pitorescos dos habitantes do Brasil;
  • uso de linguagem referencial, denotativa;
  • caráter descritivo;
  • nativismo: visão edênica, paradisíaca da nova terra.

Os principais autores da literatura de informaçãoforamPêro Vaz Caminha, Pêro de Magalhães Gândavo, Ambrósio Fernandes Brandão, Gabriel Soares de Souza e Fernão Cardim. Esta literatura serviu, depois, como fonte de inspiração para vários autores que vieram depois, principalmente os românticos e modernistas, na busca de sugestões temáticas e formais em nossas raízes.

Literatura Jesuítica ou de Catequese

O objetivo principal deste tipo de literatura era, claro, catequese dos índios, obra missionária da Cia. de Jesus. Colaborando para a educação dos colonos, acabou por representar, também, um importante elemento na formação da nacionalidade brasileira.

O principal nome da literatura jesuítica é o do padre José de Anchieta, que escreveu principalmente teatro e poesia, além de cartas e sermões. Em seu teatro, buscou aproveitar os elementos da cultura indígena, a fim de atrair os selvagens; combinou, também, elementos dos autos de tradição medieval, música e canto. O Poema à Virgem é sua obra mais destacada.