O Texto Dissertativo

O que é um texto dissertativo? É um tipo de texto argumentativo e opinativo. O texto dissertativo busca defender um ponto de vista por meio da argumentação. O texto dissertativo utiliza opiniões e provas para sustentar a tese apresentada.

O texto dissertativo cumpre a função de discutir um tema. O assunto é exposto de maneira direta. Não há a progressão temporal observada no texto narrativo, e sim, uma progressão lógica. O texto dissertativo procura fazer uma generalização, por oposição ao texto descritivo.

Eis as características do texto dissertativo:

  1. Progressão lógica
  2. Generaliza o ser
  3. Texto temático

Do ponto de vista gramatical, notam-se os seguintes elementos:

- Conectivos que estabelecem oposição: “mas”, “embora”, “ainda que”, “mesmo que”, “conquanto”;

- Conectivos que estabelecem relação de causa e consequência e comparação: “visto que”, “uma vez que”, “porque”, “pois”, “como”, “mais...que”, “tanto...quanto”, etc.

- Conectivos e advérbios que estabelecem relações hipotéticas: “se”, “caso”, “por ventura”, “talvez”, etc.

- Conectivos, advérbios (por vezes locuções) e expressões que encerram conclusão: “por isso”, “logo”, “consequentemente”, “então”, “em suma”, “em síntese”, etc.

- Verbos predominantemente no presente do indicativo, o chamado presente atemporal (presente nas definições cientificas).

Dissertação expositiva e a argumentativa

Argumentativa

Argumentar é sustentar uma opinião, utilizando recursos que possam convencer o leitor de que se está certo.

A argumentação se baseia em dois elementos principais: a consistência do raciocínio e a evidência das provas. Há a evidência da razão (certeza a que se chega pelo raciocínio) e a evidência de fato (apresentação dos fatos). Eis alguns tipos mais comuns de evidência:

  1. Os fatos
  2. Exemplos típicos de determinadas situações
  3. Ilustrações
  4. Dados estatísticos

A dissertação argumentativa identifica a capacidade argumentativa do aluno. Esse tipo de texto deve assumir uma postura de uma opinião e a sua defesa por meio de argumentos.

Expositiva

A dissertação expositiva utiliza uma enunciação em terceira pessoa, distante, sem evidenciar juízos de valor e sem figuras de linguagem. Explana acerca de assuntos de forma imparcial e denotativa.

A dissertação expositiva visa a tecer comentários a respeito de um assunto de forma genérica, mas sem emitir fortes juízos de valor.

Raciocínio indutivo/dedutivo

O silogismo

A expressão formal do raciocínio dedutivo é o silogismo.

(Raciocínio indutivo: Do particular extrai-se o geral; do efeito chega-se à causa. Raciocínio dedutivo: Do geral, extrai-se o particular; da causa chega-se ao efeito).

O silogismo é formado de duas premissas e uma conclusão. A primeira premissa chama-se “maior”; a segunda, “menor”. Observe:

Premissa maior: Todo brasileiro gosta de futebol.

Premissa menor: Tiago é brasileiro.

Conclusão: Tiago gosta de futebol.

A premissa maior contém uma generalização a respeito de um ser, isto é, possui um caráter universal. Caso isso não aconteça, haverá um silogismo falso.

Premissa maior: Todos os japoneses são inteligentes.

Premissa menor: Akira é japonês.

Conclusão: Akira é inteligente.

A premissa maior não é necessariamente verdadeira. Consideremos o exemplo acima. Pode haver um japonês que não é inteligente. O silogismo é válido na forma, mas é falso quanto à matéria. Contudo, quando o silogismo é falso na forma, a conclusão poderá ser absurda. Observe:

Premissa maior: Todo tigre é feroz.

Premissa menor: Eu sou feroz.

Conclusão: Eu sou um tigre.

O silogismo estaria bem montado se a premissa menor fosse: Tony é um tigre; a conclusão seria: Tony é feroz.

O sofisma

O sofisma é um falso raciocínio com aparência de verdade. Às vezes, é empregado para enganar o interlocutor.

Eis alguns tipos:

Erro de acidente

O acidental torna-se atributo essencial.

O namorado da minha prima a traiu. Logo, os homens são traidores.

O jornalista incluiu uma informação incorreta em seu mais recente artigo. Logo, os jornalistas não são confiáveis.

Erro de acidente é, portanto, extrair do particular uma generalização falsa.

Falsa analogia

O raciocínio da analogia pressupõe uma comparação do particular para o particular. Trata-se de um raciocínio hipotético, que pode ser falso. Veja o exemplo a seguir:

Minha amiga queria perder peso, mas não conseguia. Pesquisou na Internet e leu que tomar uma colher de vinagre de maçã todos os dias ajuda a emagrecer. No último mês, ela emagreceu dois quilos. Eu também quero perder dois quilos. Portanto, vou passar a tomar uma colher de vinagre de maçã todos os dias.

Nada garante que tomar uma colher de vinagre de maçã fará a narradora emagrecer dois quilos. As diferenças não foram consideradas. É possível que há outros motivos que expliquem a perda de peso de sua amiga.

Observação inexata:

Certas partes que compõem o todo são omitidas, permitindo falsas conclusões. Considere o exemplo a seguir:

A Copa foi realizada no Brasil, muita cerveja é consumida no país e o povo brasileiro está feliz.

É preciso considerar que não basta a Copa ser realizada no Brasil e muita cerveja ser consumida no país para que o povo brasileiro esteja feliz. A análise não considera esses fatos.

Petição de direitos

A justificação, na verdade, traz uma informação que já está pressuposta na declaração. Assim, traz a própria declaração como prova.

É gordo, porque come muito!

É bêbado porque sempre bebe.

Ignorância da questão

Desvia-se do foco da questão, indo em outra direção, de modo que não nos lembremos do foco inicial.

Presidente, que medidas o senhor pretende tomar para que a economia volte a crescer?

Caro amigo, o Brasil vai muito bem! Nunca houve tantos turistas visitando nosso belo país. Alguns deles inclusive decidem permanecer aqui. Querem se tornar brasileiros. Temos o melhor futebol do mundo. As mulheres mais bonitas. O povo mais amigável. Não há motivo para pessimismo. Apenas aqueles que não amam a pátria acham motivos para criticar o país e seus governantes, que o governam com tanto amor e dedicação.

Sumário

- Dissertação expositiva e a argumentativa
i. Argumentativa
ii. Expositiva
- Raciocínio indutivo/dedutivo
i. O silogismo
ii. O sofisma
Assine login Questões de Vestibular image Questões para o Enem image