Conjunção / Interjeição

CONJUNÇÃO

Já vimos que a preposição é uma palavra que estabelece processo de dependência entre termos. A conjunção é, também, vocábulo relacional. No entanto, difere da preposição porque estabelece tanto processo de coordenação— entre palavras ou orações - quanto processo de subordinação - entre orações.

O conjunto de duas ou mais palavras com o valor de uma conjunção é uma locução conjuntiva. Toda locução conjuntiva termina com a conjunção que.

Exemplos:

Vá, desde que não demore.

As conjunções classificam-se, de acordo com a relação que estabelecem, em COORDENATIVAS e SUBORDINATIVAS.

As conjunções coordenativas ligam orações independentes. Estas não dependem sintaticamente uma da outra. Já as conjunções subordinativas ligam orações que são dependentes sintaticamente uma da outra.

a) Relação entre dois termos semelhantes

"Eu e você lutaremos juntos" (C. C. Branco)

 

b) Relação entre duas orações sem relação de dependência.

"Virgília traíra o marido com sinceridade, e agora chorava-o com sinceridade". (M. de Assis)

c) Relação entre duas orações, com relação de dependência.

CONJUNÇÕES COORDENATIVAS

Conjunções coordenativas são palavras invariáveis que ligam dois termos da mesma oração ou duas orações de idêntica função gramatical, ou orações independentes. Dividem-se em:

1) ADITIVAS:

relação de soma, de adição de ideias:

e, nem, que, etc.

Exemplo:

Almocei e fui trabalhar.

2) ADVERSATIVAS:

relação de oposição, de adversidade:

mas, porém, todavia, contudo, entretanto

Exemplo:

Você estuda muito, mas não vai bem na escola.

3) ALTERNATIVAS:

relação de alternância ou opção:

ou...ou; ora...ora; já...já; nem...nem; quer...quer.

Exemplo:

Você vai estudar ou jogar futebol?

4) CONCLUSIVAS:

relação de conclusão, consequência:

logo, pois, portanto, por isso, assim, etc.

Exemplo:

Estudei bastante, portanto fui bem na prova.

5) EXPLICATIVAS:

relação de justificação:

que, porque, pois, porquanto.

Exemplo:

Não estudei, porque não me interessa o assunto.

Observação:

Certas conjunções coordenativas podem assumir várias significações, de acordo com as relações que estabelecem. Observe a conjunção e nos dois exemplos abaixo:

Ele estudou muito e fez uma boa prova: adição de ideias: aditiva

Ele estudou muito e não fez boa prova: oposição: adversativa

 

CONJUNÇÕES SUBORDINATIVAS

Conjunções subordinativas são palavras invariáveis que estabelecem relação de dependência entre duas orações. É possível observar essa dependência do ponto de vista tanto sintático quanto semântico. Dividem-se em:

1) CAUSAIS:

relação de causa:

por que, pois, porquanto, que (= porque), como (= porque), por isso, já que, visto que.

Exemplo:

Não fui à praia, porque choveu.

2) COMPARATIVAS:

relação de comparação:

como, que, do que, qual, quanto, assim, bem como.

Exemplo:

Meu time sempre foi melhor que o seu.

3) CONCESSIVAS:

relação de concessão: iniciam uma oração que admite o oposto da outra, mas não pode impedir sua ação:

embora, conquanto, mesmo que, ainda que, posto que, se bem que, por mais que, por menos que.

Exemplo:

Vou ao trabalho, embora esteja cansado.

4) CONDICIONAIS:

relação de condição para que o fato da oração principal se realize:

se, caso, contanto que, a menos que, sem que, a não ser que, desde que, salvo se.

Exemplo:

Se estiver me sentindo melhor, irei à escola.

5) CONFORMATIVAS:

relação de conformidade, de adequação:

conforme, como ( = conforme), consoante, segundo.

Exemplo:

Cada um progride conforme trabalha.

6) CONSECUTIVAS:

relação de consequência:

que, de forma que, de modo que, de sorte que (em orações precedidas por outra em que estejam presentes ou subtendidas as expressões tal, tamanho, tanto, tão, etc.).

Exemplo:

Ele comeu tanto, que passou mal.

7) FINAIS:

relação de finalidade:

para que, a fim de que, por que (= para que)

Exemplo:

O ministro trabalha a fim de que haja crescimento econômico.

8) PROPORCIONAIS:

relação de proporcionalidade:

à proporção que, à medida que, ao passo que, enquanto, quanto mais...mais, quanto menos...menos.

Exemplo:

Quanto mais me esforço, mais progrido.

9) INTEGRANTES:

introduzem orações substantivas conectivas:

que e se.

Exemplos:

Quero que você volte a trabalhar.
Não sei se devo voltar a estudar.

10) TEMPORAIS:

dão ideia de tempo:

quando, assim que, mal, depois que

Exemplo:

Fui à praia assim que parou de chover.

Sumário

- Conjunção
- Interjeição
Assine login Questões para o Enem image