Urbanização

URBANIZAÇÃO

Urbanização
Dubai

Uma aglomeração populacional é considerada urbana quando possui uma quantidade mínima de habitantes. Essa quantidade mínima varia de um país para outro. No Canadá é de 1000 habitantes, na Grécia é de 10 mil, mas de acordo com a ONU, a quantidade mínima é de 20 mil pessoas.

No Brasil, o critério para definir uma cidade é outro - uma cidade é uma área urbana que abriga a sede de um município, ou seja, uma prefeitura. Não depende do número de habitantes.

Urbanização significa o processo que resulta na transferência de pessoas do meio rural para o meio urbano. Isto se concretiza quando há um percentual maior da população urbana ao da população rural.

O processo de urbanização moderno começou no século XVIII. A Revolução Agrícola (mecanização e tecnologia no campo) causou aumento da produtividade. Uma das consequências foi que a demanda por mão de obra caiu, já que o trabalho mecânico passou a substituir o braçal. Com o desenvolvimento da manufatura, produto da Primeira Revolução Industrial, iniciada na Inglaterra, os trabalhadores do campo passaram a migrar para as cidades. A mão de obra nas cidades tornou-se abundante e, por consequência, barata. Quando há mais trabalhadores do que demanda por mão de obra, os empregadores costumam pagar menores salários.

Não é de se surpreender que a Inglaterra tenha sido o primeiro país a se urbanizar. Afinal, foi o país de origem da Primeira Revolução Industrial. Em 1850, mais de 50% da população inglesa morava nas cidades. Em outros países desenvolvidos industrializados, a urbanização acelerou-se apenas a partir da segunda metade do século XIX, na fase da Segunda Revolução Industrial. No ano 2000, praticamente 50% da população mundial vivia nas cidades.

A urbanização resultou na implementação de novos equipamentos urbanos - ruas, pontes, iluminação pública, esgoto, comércio, transportes coletivos etc. A expansão horizontal deu lugar à verticalização - a construção de prédios.

A urbanização moderna é consequência da industrialização e do capitalismo. Os países mais urbanizados do mundo são também os mais desenvolvidos como os Estados Unidos, os países da Europa Ocidental e o Japão. Alguns destes países atingiram índices extremamente elevados de urbanização, caso da Bélgica, que tem um índice de urbanização acima de 90%.

A terciarização das cidades

A Revolução Industrial fez com que as cidades adotassem uma nova função: a da produção industrial, o que gerou novos empregos. As áreas urbanas passaram a fornecer produtos industrializados, capital (financiamento) e tecnologia para as áreas rurais. Ao mesmo tempo, as áreas rurais forneciam às áreas urbanas alimentos e matéria-prima para as indústrias. Esse processo fez com que a maioria da população rural migrasse para as áreas urbanas, passando do setor primário para o secundário. A cidade passou a comandar a economia.

A formação de mais e mais consumidores resultou no desenvolvimento e expansão do setor terciário, ou seja, na prestação de serviços: saúde, educação, transporte, serviços financeiros e imobiliários etc. Geralmente, nos países desenvolvidos, grande parte da população trabalha no setor terciário. Isto é denominado de terciarização das cidades.

Nas últimas décadas, as indústrias foram descentralizadas. Algumas das maiores indústrias norte-americanas, por exemplo, mantêm e operam fábricas em países subdesenvolvidos, onde a mão de obra é abundante e barata. Mas a administração central e coordenação de suas atividades ocorrem nas cidades globais. Escritórios das maiores empresas mundiais, bancos, corretoras, empresas de consultoria e publicidade - responsáveis pela transição de bilhões de dólares - estão geralmente sediados nas cidades globais. As principais cidades globais - Nova York, Tóquio, Paris, Londres - localizam-se em países desenvolvidos. Há exceções, entre elas, São Paulo, Cidade do México, Hong Kong, etc.

Urbanização nos países subdesenvolvidos

A urbanização ocorrida em países subdesenvolvidos (também chamados de países em desenvolvimento) ocorreu após a Segunda Guerra Mundial. Infelizmente, o processo não foi bem planejado, sendo que a ocupação do solo ocorreu desordenadamente e de maneira irresponsável. Áreas verdes foram destruídas o que deu origem a problemas como poluição do ar e contaminação da água. Ainda mais graves foram as consequências de um intenso êxodo rural que ocorreu muito rapidamente. Devido ao baixo padrão de vida no campo, houve um intenso processo de urbanização. De fato, no início, as grandes cidades de países subdesenvolvidos ofereciam oportunidades vantajosas à população rural - empregos nos setores secundário e terciário, além de melhorias nas áreas de saúde e educação. Porém, o rápido processo de industrialização resultou numa urbanização explosiva. A urbanização acelerada e anômala não foi acompanhada de uma política de planejamento e investimentos em infraestrutura que pudesse absorver tantos migrantes. Em outras palavras, as cidades não conseguiam absorver toda a mão de obra que migrava dos campos. O resultado foi a transferência de pobreza da área rural para a área urbana, e as consequências disso foram a formação de um grande contingente de pobres que se assentou em favelas gerando o aumento do subemprego. Isto agravou problemas como a criminalidade, a disseminação de doenças, o tráfico de drogas e a falta de moradias. Devido à excessiva concentração de pessoas nas áreas urbanas de países subdesenvolvidos, há cidades que concentram mais de 50% da população urbana do país. Este fenômeno é denominado de inchaço urbano ou macrocefalia urbana.

Em muitas cidades, inclusive em países desenvolvidos, há o que é chamado de segregação espacial: áreas modernas onde estão localizados edifícios, shoppings e bancos, que contrastam com áreas onde há uma pobreza generalizada - favelas e cortiços, além de uma quase total falta de infraestrutura.

As cidades formais são aquelas que foram bem planejadas, com bairros ricos, avenidas largas e bem pavimentadas. Cidades informais são compostas pela periferia, pelos subúrbios e favelas. As cidades informais costumam ter infraestrutura básica inadequada, ocupação desorganizada e desordenada, e ruas estreitas. A segregação espacial é fruto da segregação econômica. Os mais pobres costumam viver nas áreas menos valorizadas e mais carentes. Isto ocorre mesmo nos países mais ricos. Nos Estados Unidos, por exemplo, muitas pessoas vivem em bairros muito pobres. Porém, mesmo esses bairros pobres oferecem uma condição de vida melhor que a das favelas brasileiras. A criação de favelas ocorre não apenas no Brasil, mas também em outros países subdesenvolvidos. A população pobre é levada a habitar morros, encostas e mangues.

Megalópole é a conurbação de várias metrópoles ou regiões metropolitanas, formando uma enorme área urbanizada. A maior megalópole do mundo é chamada de Boswash, no nordeste dos Estados Unidos. Bowash estende-se desde Boston até Washington: Bos (Boston) - Wash (Washington) = Boswash. O centro de Boswash é Nova York. Esta megalópole inclui aproximadamente 20% da população dos Estados Unidos.

Sumário

- A terciarização das cidades
- Urbanização nos países subdesenvolvidos
- Os Principais Problemas das Grandes Cidades
Assine login Questões para o Enem image