Morfologia

O Reino Monera é formado por organismos procariontes, representados pelas bactérias e algas azuis (cianoficeas ou cianobactérias). São unicelulares ou coloniais. Como em toda célula procariótica, nesses organismos não há organelas citoplasmáticas delimitadas por membranas e o material nuclear não está envolto pela carioteca.  Os únicos tipos de orgânulos são os ribossomos.

Bactérias

As bactérias são encontradas no ar, na terra, na água, nos organismos.

Pequenas, em geral . Possuem membrana plasmática e membrana esquelética (= mucocomplexa) e ainda podem ter uma cápsula protetora gelatinosa como nos pneumococos.

Muitas bactérias apresentam movimentos usando estruturas semelhantes aos flagelos.

Classificação das Bactérias

  • cocos: bactérias arredondadas, mais ou menos globosas:
  • bacilos: possuem a forma de bastonetes:
  • espirilos: assemelham-se a uma espiral ou saca-rolha:
  • vibrião: é um caso especial de espirilo, assemelhando-se a um segmento da espiral, ou a uma vírgula;

 
Estrutura de uma bactéria - bipartição

Técnica de Gram

A técnica de Gram é importante para indicar se a bactéria é sensível ou não às sulfas e penicilina. Os cocos, em geral são GRAM (+) ,  com exceção de Neisseria. os bacilos, em geral são GRAM (-), com exceções de Corynebacterium, Clostridium Bacillus.            

Cocos e bacilos podem, em alguns casos, formar colônias, tais como:

  • diplococos: colônias formadas por dois cocos:
  • estreptococos: colônias formadas por vários cocos em fileira;
  • tétrades: quatro cocos;
  • estafilococos: colônias formadas por vários cocos arranjados de modo semelhante a um cacho de uva;
  • sarcinas: colônias formadas por vários cocos em arranjos cúbicos;
  • diplobacilos: colônias formadas por dois bacilos;
  • estreptobacilos: colônias formadas por vários bacilos em fileira.

c) Tipo de nutrição (metabolismo): 

- AUTÓTROFAS   fotossíntese  ou  quimiossíntese 

- HETERÓTROFAS:

  • saprófitas  = decomposição por enzimas, da matéria orgânica “morta” (putrefação):“reciclagem" de sais ...
  • fermentação  = ausência de O2 : álcool; vinagre; coalhada; queijos (“cura”)...
  • mutualismo  = “nódulos” de raízes de leguminosas (feijão, ervilha) (fixadoras de N2 NO2- ; NO3-)
  • parasitas    patogênicas (doenças) vide  tabela!

BACTÉRIAS: fotossintetizantes e quimiossintetizantes: - equação:

Reprodução assexuada das bactérias

As bactérias reproduzem-se mais frequentemente por um processo assexuado denominado divisão binária ou cissiparidade.

Em uma célula inicial, ocorre a duplicação do material hereditário, que está ligado ao mesossomo (reentrância da membrana plasmática). A célula começa a crescer e os mesossomos afastam-se, levando consigo um cromossomo. Logo após, a célula se divide, dando origem a duas células-filhas com a mesma bagagem hereditária da célula-mãe. O processo dura aproximadamente 20 minutos.

Reprodução sexuada das bactérias

a) O mecanismo de recombinação gênica mais importante em bactérias é a conjugação bacteriana.

Na conjugação bacteriana duas bactérias unem-se temporariamente através de uma ponte citoplasmática. Em uma das células, denominada "doadora" ou "macho", ocorre a duplicação de parte do cromossomo. Essa parte duplicada separa-se e, através da ponte citoplasmática, passa para outra célula, denominada "receptora" ou fêmea", unindo-se ao cromossomo dessa célula receptora. Esta ficará, então, com constituição genética diferente daquela das duas células iniciais. Essa bactéria "recombinante" pode apresentar divisão binária, dando origem a outras células iguais a ela.

Como regra geral, em qualquer mecanismo de recombinação gênica nas bactérias, somente uma fração do cromossomo da bactéria doadora é transferida para a bactéria receptora. A fração doada corresponde a uma porção duplicada do cromossomo.

b) Transformação: Griffith (pneumococos) = de pedaços de DNA de “bactéria estranha”, dispersos no meio, algum é incorporado, em condições especiais e a bactéria passa a exibir o fenótipo (característica) da “doadora”. Os cientistas têm utilizado a transformação como uma técnica de Engenharia Genética, para introduzir genes de diferentes espécies em células bacterianas (bactérias transgênicas).

c) Transdução: transferência de material genético de uma bactéria para outra, através de vírus bacteriófagos ou  fago (= vetor).

BACTÉRIAS - importância

Na farmacêutica - produção de antibióticos:

  •    tirotricina ; bacitracina ; subtilina ; polimixina B.
  •    actinomicetos -  a bactérias, mesmo lembrando fungos: estreptomicina; aureomicina; terramicina.                                                        

Na agricultura  -  fixação do nitrogênio (raízes de leguminosas: feijão, ervilha); parasitas (fitopatologia).

Na indústria -  vinagre (fermentação acética); coalhadas (fermentação lática); bebidas alcoólicas  (fermentação alcoólica ou etílica); queijos (“cura”): “duros”: Cheddar; parmesão; “moles”: Limburger.

Na medicina e veterinária  -  doenças.

Em genética e biologia molecular -  estudos: mutação, reprodução, engenharia genética, etc.

Decompositores -  cadeias alimentares  -  reciclagem!

Algas azuis (= Cianobactérias)

As algas azuis são unicelulares, mas formam frequentemente colônias laminares ou filamentosas. Apesar de estruturalmente semelhantes às bactérias, as algas azuis diferem delas por possuírem clorofila, pigmento encontrado em todos os eucariontes fotossintetizantes. Existem algumas bactérias que realizam fotossíntese, mas nesse caso, o pigmento é denominado bacterioclorofila.

Estrutura celular

PAREDE CELULAR:  glicoproteínas  +  glicogênio.
“LAMELAS FOTOSSINTETIZANTES”:
(Pigmentos)
- clorofila a
-ficocianina (azul)     ficobilinas (tetrapirrólicos de cadeia aberta)
- ficoeritrina (vermelho)

Os pigmentos nos Monera estão associados a um sistema de membranas internas na célula, porém não há formação de nenhuma organela citoplasmática definida. Apresentam somente ribossomos.

A reprodução das cianofíceas não coloniais é assexuada, por divisão binária, semelhante à das bactérias. As formas filamentosas podem reproduzir-se assexuadamente por fragmentação ou hormogônia: quebram-se em alguns pontos, dando origem a vários fragmentos pequenos chamados hormogônios, que, por divisão de suas células, darão origem a novas colônias filamentosas. Algumas formas coloniais filamentosas produzem esporos resistentes, denominados acinetos, que podem destacar-se e originar novos filamentos. Além de acinetos, algumas espécies possuem uma célula especial denominada heterocisto, cuja função ainda não está esclarecida, mas há indícios de que sejam células fixadoras de nitrogênio e de que auxiliem na sobrevivência e flutuação dos organismos sob condições desfavoráveis.

Divisão

Pigmentos

Parede celular

Reserva

Locomoção

Reprodução

Cyanophyta
ad,as,ab,t

Clorofila a
Ficocianina
Ficoeritrina

Glicoproteínas
Glicogênio

Amido das cianofíceas
(~ glicogênio)

Não há

Bipartição simples

ad = água doce (1% sais) ; as = água salgada (3,5 % sais) ; ab = água salobra ; t = terrestre.
  • Aulas relacionadas

Sumário

- Morfologia
- Bactérias
i. Classificação das Bactérias
ii. Bactérias: fotossintetizantes e quimiossintetizantes
iii. Reprodução assexuada
iv. Reprodução sexuada
v. Importância das bactérias
- Algas azuis
i. Estrutura celular
ii. Reprodução nas Algas Azuis
Assine login Questões de Vestibular image Questões para o Enem image