Romanceiro da Inconfidência - Cecília Meireles

Romanceiro da Inconfidência - Cecília Meireles

Cecília Meireles

Situação Histórica (1930 a 1945)

  • 1929 -  Quebra da Bolsa de Valores de Nova Iorque.
  • A "Grande Depressão" ( paralisação de fábricas, ruptura nas relações comerciais, falências, desemprego, fome... ).
  • Intervenção do Estado na Economia + crises sociais = Estados Fascistas (Mussolini - Itália; Hitler - Alemanha; Franco - Espanha; Salazar - Portugal). O mundo caminha para a Segunda Guerra (1939 - 45); horror atômico de Hiroshima e Nagasaki (agosto de 45).
  • 1930 - Brasil: fim da República Velha. Revolução de 30. Política de incentivo à industrialização e à entrada de capital americano.
  • 1932 - No dia 9 de julho acontece a Revolução Constitucionalista (S.Paulo).
  • Choques entre a Ação Integralista Brasileira (extrema direita) e a ANL (Aliança Nacional Libertadora - forças de esquerda).
  • 1937 - Golpe militar- Estado Novo (ditadura) - até 1945.

Literatura

Características da 2ª Geração Modernista

  • Amadurecimento e aprofundamento das conquistas da 1ª Geração.
  • Formalmente, continuidade da pesquisa estética (verso livre, poesia sintética) + recuperação de Formas tradicionais (poesia e prosa).
  • Conteúdo: questionamento existencial e aprofundamento nas relações EU X MUNDO:
  • Literatura politizada (transformações sociais) - Drummond e A Rosa do Povo
  • Literatura espiritualista e intimista - Cecília Meireles, Jorge de Lima, Vinícius de Morais e Murilo Mendes

Cecília Benevides de Carvalho Meireles (1901/1964)

  • Órfã, criada pela avó materna.
  • Professora primária e universitária (literatura)
  • Poeta ligada à corrente espiritualista (revista Festa), de inspiração neossimbolista e católica, porém com feições modernas e tendências universalizantes.
  • Características temáticas e estilísticas: introspecção (viagem interior); atmosfera de sonho, fantasia, solidão e padecimento (ser poeta); consciência da transitoriedade do tempo, da vida, das coisas; linguagem simbólica, imagens sugestivas e apelos sensoriais, musicalidade dos versos (geralmente curtos - redondilhos), aliterações brilhantes - linguagem essencial e hermética. Ao mesmo tempo, emprega formas consagradas, metros regulares e ritmos de acentos clássicos, fazendo uma síntese do novo com o antigo.

Obras

  • Poesia: Espectros (1919); Viagem (1939); Vaga Música (1942); Mar  Absoluto (1945); Retrato Natural (1949); Doze Noturnos de Holanda, O Aeronauta (1952), Romanceiro da Inconfidência (1953); Obra Poética (1958); Cânticos (81)
  • Prosa:  Giroflê, Giroflá (1956) Quadrante I (62) e II (1963); Escolha o Seu Sonho (1964); Vozes da Cidade (1965)...
  • Romanceiro da Inconfidência (1953)

O Gênero Literário: “Romanceiro”

Cecília faz uma síntese entre História e Poesia

"Romance" (romant, rimance) é um poema narrativo medieval, que procura na história pátria ou em seus "heróis" sua matéria inspiradora. "Romanceiro" é o coletivo de "romances" (não confundir com romances em prosa, que se constituem em um gênero narrativo em prosa e "moderno").

Fundamentação histórica: evocação do ciclo da mineração e da Inconfidência Mineira - fato real.

Fundamentação poética: explorando a onisciência e as possibilidades imaginativas, Cecília "inventa" no âmbito do imaginário das personagens, do folclore, da natureza (fala do rio, da rosa, do cavalo), e contamina o fato real com a emoção e com a técnica poética):

  • Quebra da sequência cronológica dos fatos (suspense): cada romance é uma peça única, embora em relação íntima com os demais;
  • Trabalho com vários registros diferentes: existe variação métrica, com versos de quatro, cinco, nove, dez sílabas, embora predominem os redondilhos maiores (7 sílabas), com construções coordenativas. Rimas.
  • Combina o gênero lírico, o narrativo, o épico, o dramático (falas em discursos direto) - sobretudo o trágico nele contido.
  • Interpolações de lendas e folclore nacional colonial (a menina assassinada, Chica da Silva, os boiadeiros).
  • Processo metonímico de captação da realidade (recurso cinematográfico), no levantamento da arquitetura colonial, através de enumerações.
  • Associação do Delicado (típico de Cecília) com o Brutal; do Mimoso com o Desprezível.
  • Criação de um sentimento de mágoa, de ressentimento, através de palavras que se aglutinam segundo semelhanças musicais ou imagéticas (campos fônicos e semânticos consistentes).

Exemplo:

"O país da Arcádia”
Faz dentro de um leque:
Sob mil grinaldas
Verdes - azul floresce
Por ele resvala,
Resvala e se perde
A aérea palavra
Que o zéfiro escreve".

Enredo e estrutura

O Romanceiro da Inconfidência estrutura-se em cinco partes com 85 romances numerados em algarismos romanos. Essas partes aparecem separadas por poemas transitórios, sem numeração, que se constituem em caracterizações de cenários e intervenções do narrador e suas "falas" (interpolações).

Primeira parte: do romance I ao XIX - Ambiente e contexto

  • A mineração e seu papel histórico - social;
  • Elementos ligados à tradição lendária ( caçador, donzela assassinada pelo pai, cantador negro, Chico-Rei, Vira-e-Sai).
  • Elementos ligados à tradição histórica ( troca dos quintos; fim de Ouro Podre; Ouvidor Bacelar; desgraça de Chica da Silva e João Fernandes pelo conde de Valadares, enriquecimento ilícito dos "arrogantes,  fidalgos ministros e Flibusteiros que mandam mais que a Rainha").
  • Identifica o ambiente e os acontecimentos que precedem a Inconfidência

Romance I

Descoberta do ouro; corrida para a região; fundação de Ouro Preto.

Romance II

Ladrões, contrabandistas e aventureiros correm para a região. Há exploração da miséria em contraste com a riqueza e o aumento sucessivo de impostos.

Romance III

Interpelação do eu-lírico a um  caçador que usa pepitas de ouro como munição.

Romance IV

Uma moça é assassinada pelo pai por achar que ela acena com um lenço para o namorado garimpeiro.

Romance V

O Conde de Assumar ordena o incêndio de Ouro Preto. Há destruição. Morre Filipe dos Santos, um dos líderes da Inconfidência Mineira.

Romance VI

Sebastião Fernandes Rego troca o ouro do imposto a ser enviado a D. João V por grãos de chumbo (a quinta parte do ouro era cobrada como imposto).

Romance VII

Descreve o trabalho dos escravos nos garimpos de diamante.

Romance VIII

Retorna a lenda de Chico Rei. Delata a existência de aumento de impostos.

Romance IX

Exalta Santa Ifigênia, princesa africana cultuada pelos escravos originários da Núbia.