Brás, Bexiga e Barra Funda - Antonio Alcântara Machado

Brás, Bexiga e Barra Funda - Antônio Alcântara Machado

ANTÔNIO ALCÂNTARA MACHADO

Vida e Obra:

1901 - São Paulo. Família tradicional. Cursou a Faculdade de Direito de São Paulo. Trabalhou como jornalista em revistas e jornais da época.

1932 - Vai para o Rio de Janeiro.

1933 - Deputado Federal por São Paulo.

1935 - Morre (apendicite).

Obras:

  • Pathé Baley (1926);
  • Laranja da China (1928);
  • Comemoração de Brasílio Machado (1929);
  • Mana Maria (póstuma)
  • Cavaquinho e Saxofone.

Participou da primeira geração modernista - a fase heroica; mas superou-a, buscou a penetração psicológica e uma linguagem mais clara, segura e equilibrada, incursionando por vários gêneros.

Brás, Bexiga e Barra Funda ("notícias de São Paulo")

Livro = "jornal"; seus onze contos - crônicas, chama-os de "notícias". Integra vocábulos e estruturas frasais da língua italiana ao português coloquial das personagens. Baseia-se no diálogo (discurso direto, fala das personagens).