Gêneros jornalísticos descritivos

Um jornal contém muito mais do que notícias. Há editoriais, crônicas, imagens, fotografias, charges, classificados, críticas, etc.

Nesta aula, estudaremos alguns gêneros jornalísticos em que predominam traços descritivos.

Textos verbais e visuais

Além do texto verbal, o jornalismo emprega diversos recursos visuais, isto é, elementos figurativos, como fotografias, ilustrações, charges e gráficos.

No gênero jornalístico, os textos verbais e visuais frequentemente aparecem misturados, em um processo denominado sincretismo. Os textos sincréticos correspondem a fusões entre o verbal e o visual.

Tanto textos verbais como visuais possuem vantagens e limitações. Dependendo das circunstâncias, um é preferível ao outro. Em geral, um texto sincrético causa mais impacto do que outro que seja apenas verbal ou visual. Por exemplo, uma reportagem sobre o ataque às Torres Gêmeas de Nova York, ocorrido em 11 de setembro de 2001, seria muito mais contundente se incluísse fotografias dos prédios, em chamas, desabando.

Fotojornalismo

O fotojornalismo é um subgênero da fotografia. As fotos utilizadas são diferentes das demais, pois estão sempre ligadas ao texto de uma publicação. Uma foto jornalística, cujo valor é predominantemente informativo, e não artístico, capta e revela uma situação. Assim, destaca os elementos essenciais de um acontecimento.
Na esmagadora maioria dos casos, o fotojornalismo necessita de legendas. Trata-se de textos breves que acrescentam informações e sentido às imagens. O objetivo da legenda não é fazer referências ao que está evidente na fotografia, e sim, ajudar a transmitir o ponto de vista que a imagem defende. Dessa maneira, a legenda exerce papel fundamental na forma pela qual a fotografia é interpretada pelos leitores por ser o elemento que marca a orientação argumentativa.

É necessário que a imagem tenha uma legenda porque muitos textos visuais são polissêmicos, isto é, veiculam mais de um significado. Para direcionar a interpretação correta da imagem, o jornalista recorre à legenda, que, aliada aos elementos visuais, colaboram para a interpretação do texto. Sem a legenda, o leitor pode ter dificuldades em associar a foto ao episódio documentado por ela.

Conclui-se, portanto, que textos visuais não se limitam a tornar a publicação mais agradável visualmente, mas são fundamentais no processo de apreensão do significado de uma notícia.

Vejamos exemplos de fotos jornalísticas.


Fonte: Andrew Harnik - AP.
Acesso: http://www.lavanguardia.com/internacional/20161029/411421027900/hillary-clinton-fbi-emails-donald-trump.html - 29/10/2016.


Fonte: John Moore / Getty Images.
Acesso: http://www.latimes.com/nation/politics/la-pn-hillary-clinton-rally-20150613-story.html - 13/06/2015

Nas duas fotos aparece a candidata à presidência dos Estados Unidos pelo Partido Democrata, Hillary Clinton — esposa do ex-presidente Bill Clinton. É importante notar que, na primeira foto, a expressão facial de Hillary Clinton aparenta transmitir um sentimento negativo — incômodo, irritação ou impaciência. Já na segunda foto, a candidata está sorrindo. As outras pessoas na foto, que evidentemente a apoiam, transmitem alegria e entusiasmo. Vale ressaltar que a maioria das pessoas que aparecem na segunda foto é mulher ou negra. Como veremos a seguir, isso tem grande relevância política.

Imaginemos que um jornalista decida escrever uma reportagem a respeito de Hillary Clinton e cabe a ele decidir qual das duas fotos utilizar. É inegável que a escolha influenciará os leitores. É possível que a primeira foto transmita a mensagem de que Hillary Clinton é uma mulher séria e determinada, mas é mais provável que passe a imagem de uma pessoa nervosa e mal-humorada. Já a segunda foto retrata a candidata como alegre e confiante. Como já mencionamos, é relevante o fato de a maioria das retratadas na foto ser mulher ou negra: transmite a ideia de que Hillary Clinton conta com o apoio das mulheres e da população negra norte-americana.

O jornalista pode até escrever uma notícia objetiva sobre Hillary Clinton, mas a escolha de que foto ligar ao texto constitui uma forma de transmitir seu ponto de vista. Se apoia a candidatura de Hillary Clinton, é provável que escolha a segunda foto. Mas se tem preferência pelo candidato do Partido Republicano, Donald Trump, provavelmente escolherá a primeira foto, que passa uma imagem menos favorável da candidata.  

Esse é um exemplo de como o fotojornalismo é um meio eficaz de influenciar os leitores de uma publicação. Uma foto pode ter tanto impacto quanto um texto.

Vejamos agora um segundo exemplo:

A fotografia a seguir é de duas meninas sírias em um campo de refugiados. Seria muito difícil um texto conseguir comover os leitores como faz essa imagem.

O jornalista que escrevesse sobre a guerra civil na Síria poderia fazer uso dessa imagem para retratar o drama vivido pela população do país, especialmente pelas crianças. Evidentemente, seria necessário incluir uma legenda para informar o leitor de que se trata de vítimas da guerra civil síria.


Fonte: https://twitter.com/ihhen/status/702059308507385857 - Humanitarian Relief. Acesso: 31/01/2017.