ENGENHARIA AERONÁUTICA

ENGENHARIA AERONÁUTICA

O que faz:

A Engenharia Aeronáutica é o setor da engenharia responsável por elaborar projetos para a construção de aeronaves (todos os tipos de aviões), helicópteros, foguetes e satélites, e as atividades de manutenção e inspeções periódicas. As aeronaves, principalmente as de uso comercial, precisam ser inspecionadas regularmente. O engenheiro aeronáutico realiza tais manutenções preventivas: ele observa o estado de conservação e funcionamento dos equipamentos das aeronaves e dos sistemas de controle.
O engenheiro aeronáutico também projeta e implanta sistemas de funcionamento de aeronaves, como motores, instrumentos de controle e sensores. Ele pode também atuar em obras e serviços ligados à infraestrutura aeronáutica, como a construção de aeroportos e o gerenciamento de tráfego aéreo.

Carreira:

A indústria aeronáutica no Brasil é uma das maiores do mundo. O engenheiro aeronáutico pode trabalhar nas indústrias aeronáuticas, espacial e de defesa.
O engenheiro aeronáutico pode trabalhar em fabricantes de aeronaves e em empresas que desenvolvem peças de reposição para a manutenção das aeronaves. Há também oportunidades de trabalho em institutos de pesquisa aeroespacial, como no Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA). O engenheiro aeronáutico pode seguir carreira militar, prestando seus serviços para a Força Aérea Brasileira e atuar em obras e serviços relacionados à infraestrutura aeronáutica, como a construção de aeroportos.
As indústrias são o principal mercado de trabalho para o engenheiro aeronáutico, dentre elas a Embraer, líder no mercado mundial de aviação comercial de pequeno e médio porte.
O salário médio geral de um engenheiro aeronáutico no Brasil é de R$ 5.340. Os iniciantes já saem da faculdade com salários de aproximadamente R$ 3.700. Engenheiros aeronáuticos com 10 anos ou mais de experiência conseguem salários na faixa de R$ 12.000. Os salários de engenheiros aeronáuticos que trabalham com gestão de projetos e equipes podem variar entre R$ 20.000 e R$ 45.000.

Campo de trabalho:

Engenharia espacial –Projeto e construção de foguetes e satélites. O engenheiro estuda as trajetórias a serem percorridas, as condições de estabilidade do aparelho durante o voo e a sua estrutura, sendo responsável, também, pelos testes de funcionamento no espaço. É uma especialidade que exige conhecimento de Astronomia.

Manutenção de Aeronaves - Planejamento e implantação de programas de manutenção preventiva e corretiva em aeronaves. O engenheiro é responsável pelo cronograma de inspeções e reparos.

Planejamento de Operação - Controla a operação das aeronaves e a definição das rotas, tamanho das frotas, infraestrutura de apoio e o combustível necessário para os voos.

Projeto de Aeronaves - Elabora os projetos de aviões, helicópteros, planadores, balões, dirigíveis e foguetes. O engenheiro elabora os desenhos, define os materiais e os métodos para a construção das aeronaves.

Sistemas de Aplicação Aeroespacial – O engenheiro projeta, constrói e instala sensores, motores e outros instrumentos aeroespaciais. Ele é responsável pela adaptação dos sistemas de combustível, pressurização, ar-condicionado, prevenção contra incêndio e outros esquemas de segurança de voo.

Curso:

O curso de Engenharia Aeronáutica possui habilitação de bacharelado e tem duração média de cinco anos.
Os primeiros dois anos do curso seguem a formação básica comum a outros cursos de Engenharia: Física, Química, Matemática e Computação. A partir do terceiro ano, o aluno possa a estudar as matérias tecnológicas, como Eletrônica, e matérias específicas como Aerodinâmica, Motores e Turbinas, Estruturas Aeroespaciais, Mecânica do Voo, entre outras. O Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) é obrigatório.

Há várias ferramentas que ajudam o aluno a organizar seus estudos e manter controle sobre as aulas já estudadas.

Mais informaçõesimage
image

Conteúdo e Ferramentas: 

Mais informaçõesimage
image

Colégios

Por ser uma única assinatura, pode ser utilizada apenas por uma pessoa de cada vez. É indicada para colégios ou cursos em que uma única pessoa elabora as provas de todas as matérias. Não representa, portanto, uma opção adequada para um grupo de professores.

Mais informaçõesimage