AGRONOMIA

O que faz:

A Agronomia é uma ciência agrária que visa a aumentar a compreensão da agropecuária e melhorar as práticas agrícolas e zootécnicas. A agronomia emprega técnicas e tecnologias para melhorar a qualidade e a produtividade de lavouras, rebanhos e produtos agroindustriais.
O agrônomo pode trabalhar em fazendas, empresas, instituições financeiras que estejam envolvidas em atividades rurais, indústrias e cooperativas do setor agrícola e de produtos animais.
O agrônomo envolve-se no planejamento, coordenação e execução das atividades relacionadas ao agronegócio – o plantio ou criação de rebanhos e a comercialização da produção. O agrônomo cuida da preservação da terra e dos recursos naturais, planeja e acompanha o preparo e o cultivo do solo, o combate a pragas, a colheita, o armazenamento e a distribuição dos alimentos. Ele também cuida da alimentação, reprodução, saúde e abate de animais. O agrônomo gerencia a industrialização, armazenamento e comercialização dos alimentos, tanto os de origem animal como os de origem vegetal. O agrônomo administra propriedades e projeta obras rurais. Ele é também responsável pelo desenvolvimento de novas variedades de vegetais.
É importante não confundir Agronomia com Engenharia Agrícola. O agrônomo se aprofunda nos campos de Biologia e Química. Já a formação do engenheiro agrícola enfatiza Matemática e Física, pois a Engenharia Agrícola é voltada para a parte mecânica da agricultura: ao planejamento e à manutenção de máquinas, por exemplo. A Agronomia está voltada para as etapas da agropecuária: o plantio, a criação de rebanhos e a comercialização da produção.

Carreira:

A Agronomia é uma carreira com boas perspectivas, mas exige especialização contínua.
Para exercer a carreira de agrônomo, o profissional deve ser formado no curso de bacharelado de agronomia ou engenharia agronômica/agrícola e obter o registro no Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (CREA) do estado onde trabalha.
O mercado de trabalho para profissionais de agronomia é vasto no Brasil. O engenheiro agrônomo pode trabalhar tanto no campo – administrando propriedades rurais e gerenciando processos (irrigação do solo, colheita, etc.) – como nas cidades, ensinando ou fazendo pesquisas, controlando a qualidade de produtos na indústria agropecuária ou atuando como fiscal sanitário.
Em um país como o Brasil, em que há enormes regiões cultiváveis, há muito a ser pesquisado e desenvolvido. Isso valoriza o trabalho do engenheiro agrônomo. A maioria dos profissionais trabalha no setor público, mas o setor privado também oferece boas oportunidades de emprego. A internacionalização da economia oferece oportunidades para o engenheiro agrônomo que seja especialista em negócios de produtos agrícolas, conhecido como agribusiness.
De acordo com pesquisa divulgada pelo site de empregos Catho, a média salarial nacional para engenheiros agrônomos é de R$ 4.204,38. Para o cargo de gerente agrícola, é de R$ 6.425,46.
No setor público, o salário de engenheiros agrônomos depende de fatores como cargo, localização e carga horária.
Na indústria agropecuária, um engenheiro agrônomo pode chegar a cargos de gerência e diretoria. Segundo um estudo da Datafolha, um gerente industrial tem salário médio de R$ 13.376,50, e um diretor industrial tem rendimentos mensais médios de R$ 7.182,60.

Campo de trabalho:

Defesa Sanitária - Combate às pragas e prevenção de doenças na lavoura.

Agroindústria - Beneficiamento, acondicionamento e conservação dos produtos. Coordenação de pesquisas, criação de adubos, agrotóxicos e rações. Orientação para fabricação de máquinas.

Agrometeorologia - Análise de dados meteorológicos e organização dos procedimentos adequados a cada cultura.

Economia Agrícola - Assessoria ou gerenciamento de empresas rurais. Há também a possibilidade de atuar em bancos e instituições ligadas ao crédito rural.

Engenharia Rural - Orienta o desenvolvimento de sistemas de drenagem e irrigação e supervisiona obras como nivelamento do solo.

Entomologia - Pesquisa sobre insetos, fungos e bactérias para o combate de pragas.

Fitotecnia - Controle do uso de sementes, adubos e agrotóxicos. Acompanhamento do plantio e da colheita para correção de solos.

Manejo Ambiental - Exploração de recursos naturais, objetivando a preservação do ecossistema.

Melhoramento Animal ou Vegetal - Pesquisas no campo da biotecnologia e de engenharia genética para criação de espécies mais produtivas e resistentes.

Silvicultura - Recuperação das matas devastadas, visando ao seu reflorestamento.

Solos - Análise e tratamento do solo, utilizando matéria orgânica, fertilizantes e corretivos para a preservação das qualidades físicas, químicas e biológicas da terra, além de sua fertilidade.

Topografia - Planejamento de propriedades rurais, coordenação de terrenos, definição de seus limites e de áreas para obras de infraestrutura.

Zootecnia - Avaliação e adaptação dos animais ao meio ambiente. Alimentação, saúde e reprodução de rebanhos.

Curso:

O curso de Agronomia, do tipo bacharelado, tem duração média de cinco anos. Embora a maioria dos cursos tenha o nome de Agronomia, o profissional formado é chamado de engenheiro agrônomo.
Nos dois primeiros anos, os alunos estudam matérias das áreas de Ciências Biológicas e Exatas (Biologia, Bioquímica, Estatística, Informática, etc.). Nos três anos seguintes, o aluno estuda as disciplinas profissionalizantes, como Engenharia Rural, Engenharia Florestal, Ciências do Solo e Agricultura. Há também aulas de gestão de administração. Boa parte da carga horária é dedicada a aulas práticas em laboratórios e fazendas experimentais.

Há várias ferramentas que ajudam o aluno a organizar seus estudos e manter controle sobre as aulas já estudadas.

Mais informaçõesimage
image

Conteúdo e Ferramentas: 

Mais informaçõesimage
image

Colégios

Por ser uma única assinatura, pode ser utilizada apenas por uma pessoa de cada vez. É indicada para colégios ou cursos em que uma única pessoa elabora as provas de todas as matérias. Não representa, portanto, uma opção adequada para um grupo de professores.

Mais informaçõesimage