Fontes de energia não renováveis

Fontes não renováveis de energia - Combustíveis Fósseis

As fontes de energia não renováveis são aquelas que utilizam recursos naturais esgotáveis. Isso significa que, cedo ou tarde, as fontes de energia não renováveis se esgotarão. Além disso, a utilização desse tipo de energia costuma prejudicar o meio ambiente. Os principais exemplos de fontes de energia não renováveis são os combustíveis fósseis – como petróleo, carvão mineral e gás natural – e os combustíveis nucleares.

A maioria da superfície do território brasileiro (aproximadamente 64% dele) consiste de bacias sedimentares que são depressões de terreno preenchidas por sedimentos. A importância econômica dessas bacias sedimentares é grande, pois delas são extraídos combustíveis fósseis: petróleo, carvão mineral e xisto. Quase toda a energia consumida pela humanidade (cerca de 80%) é gerada por combustíveis fósseis.

Os combustíveis fósseis, como o petróleo e o carvão mineral, foram formados devido às falhas na ação dos decompositores. Durante muitos anos, ficaram submetidos a condições especiais, isto é, estiveram protegidos entre sedimentos isentos de microrganismos. Por exemplo, o carvão, oriundo de florestas que foram cobertas por mares rasos no período carbonífero, livrou-se da oxidação total; portanto, permaneceu fora do ciclo de transformações por cerca de 300 milhões de anos, até que o homem começou a extraí-lo da terra e queimá-lo, utilizando-o em máquinas e fornalhas. Também o petróleo se originou, há milhões de anos, pela decomposição parcial de seres vivos que habitaram os mares antigos.

Leva milhões de anos para que petróleo, gás natural, carvão mineral e xisto sejam formados. Por esta razão, eles são chamados de fontes de energia não renováveis.

gasolina – fonte de energia utilizada em automóveis - é um derivado do petróleo. Como explicado acima, os combustíveis fósseis, como o petróleo, levam milhões de anos para se formarem e não podem ser produzidos de um ano para o outro.

transito

As fontes de energia não renováveis são finitas e esgotam-se, não podendo ser utilizadas novamente. Por isso, é importante conservar e poupar ao máximo as formas de energia não renováveis. Petróleo e outros combustíveis fósseis devem ser utilizados de forma responsável, evitando o desperdício. A humanidade deve também buscar novas fontes de energia, de preferência, renováveis.

Combustíveis Fósseis

Petróleo

O petróleo é um mistura de hidrocarboneto de origem orgânica, formada durante períodos geológicos distantes, quando restos de microfauna se depositavam no fundo dos mares e lagos. Tal massa, sob a ação de intensa sedimentação, de calor e de pressão, transformou-se, ao longo do tempo, em óleo e gás.

O petróleo é encontrado, portanto, em regiões sedimentares que apresentavam condições favoráveis à formatação e armazenamento do hidrocarboneto.

A partir da metade do século XX, o petróleo se tornou uma fonte de energia indispensável, causando com que muitas nações se tornassem dependentes de outros países que possuem grandes jazidas de fácil extração.

O petróleo é de importância fundamental para a rede de transportes: por terra, ar e mar. É o que move o aparato militar – aviões, navios, tanques, etc. O petróleo é também o componente básico utilizado para produzir plástico, tintas, solventes e fertilizantes.

Localização

A distribuição irregular do petróleo pelo globo é uma fonte de desafios geopolíticos para muitos países. Dois-terços das jazidas de petróleo se encontram em países do Golfo Pérsico.

Entre as áreas favoráveis, destacam-se as explorações petrolíferas localizadas em território russo e no Oriente Médio.

Xisto

O xisto é uma rocha de origem sedimentar. Seu valor econômico está vinculado à presença de hidrocarbonetos (petróleo e gás natural) em proporcionalidade, que oscila entre 6 e 12%, conforme as suas características.

Atualmente, é inviável produzir petróleo a partir de xisto, pois o processo exigiria um grande investimento financeiro. Além disso, o xisto contém de 2 a 3% de sulfeto de ferro, que dá origem a produtos gasosos poluentes. Sua emissão na atmosfera, por meio de chaminés de usinas, resulta na dissolução e produção de ácidos pelas águas das chuvas – a denominada “chuva ácida” – que prejudica os solos agrícolas de regiões próximas.

Carvão Mineral

O carvão mineral é um combustível fóssil que originou no soterramento de antigas florestas, particularmente na Era Paleozoica durante os períodos carbonífero e permiano. A formação do carvão extraído atualmente ocorreu principalmente nas grandes florestas pantanosas europeias, asiáticas e norte-americanas.

No século XIX, o carvão mineral assumiu importância mundial como fonte de energia. Com o advento da Revolução Industrial, tornou -se a principal fonte de energia até a primeira metade do século XX, quando foi superado pelo petróleo. Atualmente, o carvão mineral é usado nas siderúrgicas (carvão coque) e na produção de eletricidade (termoelétricas).

O carvão mineral – o mais abundante dos combustíveis fósseis – é o vilão do aquecimento global. As grandes reservas se encontram nos Estados Unidos, na Rússia, na China, na Austrália, na Índia, na Alemanha e no Cazaquistão. O Brasil possui a décima-quarta maior reserva de carvão.

Ecologia

O uso de combustíveis fósseis deteriora o meio ambiente. A queima desses combustíveis, feita por automóveis e indústrias, polui o ar. O gás carbônico lançado pela queima desses combustíveis eleva a temperatura do planeta contribuindo para o efeito estufa.

O gás de cozinha, gasolina e óleo diesel são todos derivados do petróleo. Apresentam compostos com enxofre, que geram o ácido sulfúrico que entra nos solos, rios e lagos, deixando-os altamente ácidos e causando sérios desequilíbrios ecológicos.

Apesar do gás natural ser um combustível muito mais limpo que o petróleo, seu uso resulta no aumento de emissões de gases de efeito estufa e de outros poluentes que causam doenças respiratórias e chuva ácida.