O que é dislexia?

Publicado em 13 de janeiro de 2020 Autor:

A dislexia é uma das mais comuns deficiências de aprendizado. Segundo as pesquisas, 20% de todas as crianças sofrem de dislexia – o que faz com que encontrem grande dificuldade em aprender a ler, escrever e soletrar. Pessoas disléxicas que nunca receberam tratamento para superar essa deficiência de aprendizado leem com dificuldade, pois não conseguem assimilar palavras com facilidade. Os disléxicos também costumam soletrar muito mal. Isso não significa que sejam menos inteligentes do que pessoas que não sofrem dessa deficiência de aprendizado. Aliás, muitos disléxicos apresentam um grau de inteligência normal ou até superior ao da maioria da população.

É importante ressaltar que a dislexia persiste apesar da boa escolaridade. Isto é, estudar em um bom colégio não é, por si só, a solução para quem é disléxico. A criança ou jovem que sofre de dislexia precisa receber o tratamento necessário para que consiga superar essa deficiência de aprendizado. 

É fundamental que pais, professores e educadores saibam que a dislexia é um fenômeno relativamente comum: muitas pessoas sofrem dessa deficiência de aprendizado. Pais e professores nunca devem confundir dislexia com preguiça ou indisciplina. É normal que crianças disléxicas encontrem dificuldades no colégio e expressem sua frustração por meio de mau comportamento – tanto dentro como fora da sala de aula. Portanto, pais e educadores devem saber o que é dislexia e conseguir detectar os sinais que indicam que uma criança é disléxica. É imprescindível que educadores consigam identificar que uma criança ou jovem é disléxica em vez de simplesmente considerá-la preguiçosa, pouco inteligente ou malcomportada.

A dislexia não deve ser motivo de vergonha para crianças que sofrem dessa deficiência de aprendizado. Ter um filho disléxico também não é motivo para os pais sentirem constrangimento. Dislexia não significa falta de inteligência: não é necessariamente um indicativo de futuras dificuldades acadêmicas e profissionais. A dislexia, principalmente quando é diagnosticada e devidamente tratada, pode ser superada. De fato, muitas pessoas que obtiveram grande sucesso na vida eram disléxicas. Estes são alguns exemplos de pessoas disléxicas que obtiveram enorme sucesso profissional: Thomas Edison (inventor), Tom Cruise (ator), Walt Disney (fundador dos personagens e estúdios Disney) e Agatha Christie (autora).

Alguns pesquisadores acreditam que pessoas disléxicas têm até uma maior probabilidade de serem bem-sucedidas. Acredita-se que o motivo disso seja que a batalha inicial dos disléxicos para superar essa deficiência de aprendizado estimula sua criatividade. Consequentemente, muitos disléxicos desenvolvem a habilidade de lidar bem com problemas e com o estresse – algo que falta a muitas pessoas que nunca tiveram de lidar com uma deficiência de aprendizagem.

As causas da dislexia são neurobiológicas e genéticas. A dislexia é herdada e, portanto, uma criança disléxica tem algum pai, avô, tio ou primo que também é disléxico.

Para melhor entender o que é dislexia e suas causas, é necessário conhecer, de forma geral, como funciona o cérebro. Diferentes partes do cérebro exercem funções específicas. A área esquerda, por exemplo, está mais diretamente relacionada à linguagem. Nessa área do cérebro foram identificadas três subáreas distintas: uma delas processa fonemas, a segunda analisa palavras e a terceira reconhece palavras. As três subdivisões trabalham em conjunto, permitindo que o ser humano aprenda a ler e a escrever. Uma criança aprende a ler ao reconhecer e processar fonemas, memorizando as letras e os sons. Ela passa então a analisar as palavras, dividindo-as em sílabas e fonemas e relacionando as letras a seus respectivos sons. À medida que a criança adquire a habilidade de ler com mais facilidade, outra parte de seu cérebro passa a se desenvolver, cuja função é a de construir uma memória permanente que imediatamente reconheça palavras que lhe são familiares.  À medida que a criança progride no aprendizado da leitura, essa parte do cérebro passa a dominar o processo e, consequentemente, a leitura passa a exigir menos esforço.

Sinais e Características de Dislexia

O primeiro sinal de dislexia pode ser detectado quando a criança, apesar de estudar em uma boa escola, encontra muita dificuldade em assimilar o que é transmitido pelo professor. Em muitos casos, o desenvolvimento educacional de uma criança disléxica é retardatário mesmo que ela seja bastante inteligente. A forma ideal de lidar com tal situação é permitir que profissionais qualificados examinem a criança para identificar se ela é, de fato, disléxica. Vale lembrar que a dislexia não é a única deficiência de aprendizado. É, porém, a mais comum.

É importante saber que a dislexia é tão comum em pessoas do sexo masculino como do feminino.

O Portal Mais Completo para Alunos e Professores!

ASSINE O EDUCABRAS

Posts Relacionados

Os comentários não representam a opinião do EducaBras.